Um dos desafios de Cármen Lúcia é aumentar a produtividade do Supremo

Resultado de imagem para carmen luciaGabriel Mascarenhas e Valdo Cruz
Folha

Quando o ministro Ricardo Lewandowski passar o malhete da presidência do STF (Supremo Tribunal Federal) à ministra Cármen Lúcia, na tarde desta segunda (12), o tribunal entrará num biênio de pautas mais populares e menos corporativistas. Nos dois primeiros julgamentos sob a condução de Cármen, na quarta e na quinta-feira, o plenário decidirá, por exemplo, se o Estado é obrigado a fornecer medicamento de alto custo a portador de doença grave e se mulheres têm direito a 15 minutos de descanso antes das horas extras.

Na reta final antes de assumir o principal posto do Supremo, Cármen deu dois recados objetivos: quer ser chamada de presidente, em vez de “presidenta”, e não está interessada em badalação.

“Não gosto muito de festas, de nada disso. Eu gosto é de processo”, avisou, na segunda turma do STF, na terça-feira (6).

RESTRIÇÕES – Lewandowski deixa a cadeira de comando do STF com o ônus da decisão tomada de fatiar a votação que afastou a ex-presidente Dilma Rousseff.

A medida garantiu à petista o direito de ocupar funções públicas, mesmo depois de ter sido cassada. Até então, sua condução do julgamento vinha ganhando elogios dos colegas.

A maioria dos magistrados do Supremo se esquiva das perguntas sobre o tema publicamente. Internamente, no entanto, boa parte deles não esconde o desconforto com o ocorrido no Congresso. Na avaliação de um ministro da corte, o presidente “derrapou” na reta final do processo de afastamento.

AUSTERIDADE – Ministros e servidores preveem que a futura presidente caminhará no sentido oposto ao do antecessor, sobretudo no que diz respeito às pautas.

Enquanto Lewandowski enfrentou o desgaste de batalhar até o último dia pelo aumento da remuneração da categoria, Cármen é conhecida pelo discurso a favor da austeridade.

A reportagem apurou, por exemplo, que, no CNJ (Conselho Nacional de Justiça), colegiado comandado pelo presidente do Supremo, servidores dão como certo o enxugamento da concessão de diárias para serviço externo.

Antes da cerimônia de posse nesta segunda, que deverá contar com presenças ilustres, que vão do presidente Michel Temer a Caetano Veloso, Cármen se comprometeu a apresentar “pautas racionais” e “discutir com os colegas” as medidas mais importantes que for adotar.

PERSONALIDADE – Outro ponto que diferencia Cármen de Lewandowski é a personalidade. A frase do ministro Luís Roberto Barroso sintetiza a opinião da maioria dos integrantes da corte sobre o presidente.

“Ele é uma pessoa extremamente fidalga e educada. Conduziu o Supremo de maneira muito cordial com as pessoas”, disse Barroso, sem querer analisar, no entanto, o desempenho dela últimos dois anos.

Edson Fachin foi menos contido: enviou carta a todos os ministros para elogiar Lewandowski. “Senhor presidente, com meu agradecimento ao azo do registro da ocasião, estou seguro de que a história desta Casa inscreverá devidamente a Presidência de Vossa Excelência em seus anais”, diz o texto, ao qual a Folha teve acesso.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Além do intransigente combate à corrupção, a maior qualidade de Cármen Lúcia é a dedicação ao trabalho. Na única vez que Lewandowski concedeu a Cármen Lúcia a presidência dos trabalhos, ela conseguiu julgar 50 processos numa só sessão. Segundo o excelente jornalista Frederico Vasconcelos, Lewandowski nunca mais deixou que Cármen presidisse os julgamentos. A diferença no desempenho iria pegar muito mal para ele… (C.N.)   

21 thoughts on “Um dos desafios de Cármen Lúcia é aumentar a produtividade do Supremo

    • E você ainda acredita em isenção de petralhas? Você acredita mesmo que a “noiva de Frankstein” é imparcial? O caráter logo se vê pelos convidados…

  1. A noiva de Frankstein é tão intransigente no combate à corrupção que fez questão de convidar o Rei dela (da corrupção): O Barba! Quanta hipocrisia barata!! kkkk

  2. Cármen Lúcia protagonizou um ato tão ou mais rasteiro que aquele praticado pelo Lewandowski na escuridão dos bastidores do palco do Senado Federal.
    Cármen Lúcia deveria ter convidado o Capo Lulla, líder da maior ORCRIM que detonou o Brasil, para um chá de ervas na sua residência particular, jamais na Casa da Justiça brasileira, outrora respeitada por todos.
    Cármen Lúcia chancelou, no ato de posse, um AVISO intimidatório para o Juiz Moro e para todos aqueles togados que ousarem se aproximar demais do seu patrão Lulla.
    Ela apenas ratificou a farsa promovida por seu antecessor no palco do Senado Federal e mostrou que o caminho da tal esperança será o mesmo: inglório para nós, meros escravos da elite comunista.

    • Realmente, o que se poderia esperar de quem convidou o maior bandido brasileiro para a sua posse? Nada, absolutamente nada a não se mais proteção aos políticos corruptos. Saiu um asno e entrou uma asna (em homenagem a dona Anta).

  3. ACREDITAR OU NÃO ACREDITAR, SABER OU NÃO SABER, EIS A QUESTÃO.

    No Judiciário, PRINCIPALMENTE NO BRASIL,
    se o Doutor (a) Juiz tem um notório saber eu não sei, se é honrado eu não sei, se é probo eu não sei, se é honesto eu não sei, se é imparcial eu não sei, se beneficia ou não um partido eu não sei, se é justo eu não sei,

    MAS sei que, nem sempre a justiça é justa como representada nos seus símbolos.
    A Balança é representada sempre imóvel e nivelada onde simboliza o equilíbrio das forças, a ponderação, a imparcialidade etc.
    É mesmo?

    Eu João pobre e anônimo cometo um crime financeiro contra o erário publico. Daí sou processado e vou responder sem um advogado ou vou com um grátis oferecido pela defensoria pública.
    Lá eu digo: – Eu me reservo a ficar calado e só vou falar diante do juiz. No mínimo, se não tomar uns esporros e um pescoção eu posso ficar detido.
    E se me envolver numa briga de rua ou se alguém me acusar de roubo, mesmo que injustamente, e for levado para uma delegacia de polícia sem advogado e dizer:
    – Só vou falar na presença de um advogado.
    Ah meu amigo, se segure João, você pode apanhar igual a mala véa.
    E se em vez de João pobre e anônimo for preso uma celebridade, nem precisa ser rica, basta ter nome famoso, alguma otoridade vai gritar no pé do seu ouvido? DUVIDO! A celebridade diz logo que por lei tem direito a um telefonema e logo, logo chega seus ótimos advogados para livra-los de possíveis maltrato.
    Estou condenando a celebridade por ter ótimos advogados e eu não? NÃO, não estou, só estou querendo dizer que para mim aquela Balança (imparcialidade) e aqueles olhos vendados (… diante da lei, todos são iguais) não funciona como é pregado como símbolo do Direito. Pra pobre não funciona mesmo!
    Aliás, já desde criança ouvimos frases tipo:
    A lei é feita para ser aplicada contra os pobres,
    Já viu rico ir para a cadeia?,
    Lei é pros pobres!,
    Só pobre vai para cadeia
    e outras mais…

  4. E os FATOS já conhecidos em que uma pessoa pobre rouba uma caixinha de margarina ou uma lata de leite e vai parar atrás das grades?
    A lei foi cumprida, até aí tudo nos conformes, não justifica o tamanho ou o montante, não deixa de ser um delito. MAS, quando uma emissora de TV divulga o caso e põe um advogado para soltar a pessoa e mostra que a mesma roubou para matar a fome do filhinho também é lembrado sobre os crimes de colarinho branco, dos Figurões que sempre são impunes.
    Então meus prezados, não me venham dizer que os olhos vedados da dona justiça simbolizam a imparcialidade e transmitem a ideia de que diante da lei, todos são iguais.
    Balela.
    Eu vivo em um país injusto.

    Tem aqui na NET uma charge onde mostra Dona Justiça.
    Só que ela descobre o olho esquerdo e com um riso nos lábios olha para o réu à sua frente que está com uma mala jorrando dinheiro para fora. O mais humilhante é que este mesmo réu da charge está lhe oferecendo dinheiro, pois demonstra ser uma pessoa rica.
    E à frente da Dona Justiça tem um João ninguém com uma galinha representando o produto do roubo. MAS, com a Espada da Justiça enfiada nas costas (entre a camisa e o corpo) do pobretão ladrão de galinha.
    Tem também charge mostrando a Dona Justiça julgando um pobre à velocidade de um leopardo e julgando um poderoso à velocidade de uma lesma.
    O Lula ofende o Supremo dizendo que o mesmo está acovardado e manda a Polícia Federal enfiar o processo da lava jato.

    Chega ao ponto de um apresentador de TV da Bahia dizer que, quem tiver R$ 500.000 e cometer crime de Pedofilia não fica preso. E o mesmo sempre diz que só quem vai para cadeia no Brasil são os 3 P: Preto, Pobre e Prostituta.

    Certa vez o Hélio Fernandes escreveu aqui que quem tiver dinheiro que procure os melhores médicos e os melhores advogados.

  5. Mas João, tu acha que a justiça é perfeita lá fora, em outros países?
    Bom, desde meus 18 anos eu ouço coisas tipo: Ah, se fosse nos EUA. E mais recentemente muitos falam: Ah, se fosse nos EUA ou na China.
    De uma coisa eu tenho plena certeza, no Brasil quase nada funciona como deveria.
    E tenho mais certeza ainda de que, se fosse nos EUA e até na China o Lula e a Dilma se não estivessem, a muito tempo, na cadeia ao menos estariam defenestrados da política e do serviço público para sempre e jogados no ostracismo.
    Essa elite dirigente da Petrobras que roubou e beneficiaram empreiteiros ou mesmo se não roubou, mas foi conivente com a corrupção, incluindo seus presidentes,
    e gente envolvida com o Mensalão
    e em todos os atos de corrupção
    estariam atrás das grades, pois, lugar de ladrão por lá é na cadeia.

    OU SEJA, entre os 206.000.000 de brasileiros eu sou um dos que, não acredita neste Ôba Ôba festejado no STF.

    E concluindo o Título do meu comentário “Acreditar ou não acreditar, saber ou não saber, eis a questão”
    Não acredito no discurso e nas pregações com promessas vindo dessa gente.
    Não sei de algumas coisas, mas sei de outras.

    Dizer-me que tal otoridade do Executivo, do Legislativo e do Judiciário é isso e aquilo eu NÃO SEI.
    MAS, sei que, dos interesses de nós os mais pobres eles não se preocupam e não estão nem aí.

    Um historiador (tem o Vídeo por aí) fala que cada ministro do Supremo tem 10 seguranças.
    Enquanto isso já chega a quase 60 mil homicídios por ano neste país.
    E
    Não se pode sair com um celular ou com um tênis de marca na rua, pois pode-se ser roubado e até assassinado.
    Entrar em um banco e fazer um saque? É perigoso.
    Então eu pergunto: Quem se importa?

    Dias melhores virão? Só se for para a Dinamarca.

    Se fizer uma pesquisa sobre o número de brasileiros que nunca acreditou e continua a não acreditar no Brasil eu devo estar entre os MIL primeiros lugares.
    Isto em um universo de 206 milhões de pessoas.

    Tomar um pescoção.
    Provavelmente o povo do Sul e Sudeste (principalmente os mais jovens) não sabe do que se trata.
    Quando morava nos anos 60 em um pequeno povoado aqui na Bahia as pessoas e até nossos país ameaçavam os mais jovens dizendo: Vou te dar um pescoção. Era um tapão na nuca e que podia até derrubar uma pessoa.

      • Sugestão de Olavo de Carvalho.
        Sugestão ao governo Temer (ou a qualquer outro governo que venha a existir neste país): Querem sanear as universidades brasileiras? Não façam nenhuma perseguição ideológica, nem mesmo levantem discussões políticas. Submetam os professores a um teste de língua pátria. Se não a dominam, não é que não tenham condições de ser professores. Não têm condições de ser ALUNOS de uma universidade. Demitam impiedosamente os ineptos, e em um instante a ditadura comunista estará eliminada das nossas universidades.

  6. PALAVRAS SÃO PALAVRAS, NADA MAIS QUE PALAVRAS…

    … em vez de cumprimentar em primeiro lugar o presidente Michel Temer, cumprimentou o cidadão, a quem chamou de “autoridade suprema sobre todos nós servidores públicos”.

    “Não tenho notícia de um ser humano que não aspire à Justiça”,
    “Há de ser reconhecer que o cidadão não há de estar satisfeito hoje com o Poder Judiciário”,

    … a obrigação dos magistrados é “entregar ao cidadão brasileiro o seu direito”.
    “O que no Judiciário não deu certo há de se mudar para se fazer na forma constitucionalmente prevista. Mas não vou continuar apontando problemas. Minha responsabiliade é fazer acontecer as soluções. O Judiciário brasileiro reclama mudanças. Estamos fazendo mudanças e é preciso que elas continuem e cada vez com mais pressa”,

    … disse que projetos para melhorar o Judiciário serão “expostos breve e pormenorizadamente aos cidadãos”.
    “o tempo é de esperança”.

    “Cansamos de sermos país de um futuro que não chega nunca. O futuro é hoje e deve ser construído com a participação de todos”, disse. “O Brasil é cada um e todos nós. O Brasil que queremos que seja mesmo pátria mãe gentil para todos os brasileiros e não apenas para alguns.”

    PALAVRAS SÃO LEVADAS AO VENTO.

    OPINO:
    São dois anos na presidência não é?
    O anterior deve ter feito seu belo discurso de posse, claro, com promessas
    Agora foi a vez da doutora
    E
    Os próximos sempre farão os mesmos tipos de discursos.
    E daqui a 30/40/50 anos a Lei continua punindo os pobres e beneficiando os ricos.

    E para não esquecer (eu que não sei de nada mesmo, mas…) sei que um pobre tem um advogado de graça fornecido pelo Estado ou um que custa um salário mínimo a cada audiência.
    Esse advogado vai ter o mesmo desempenho de um advogado contratado no melhor escritório de advocacia da cidade que pode custar R$ 50/100 ou 200 mil?
    Sou leigo, mas, já li que nossas leis são cheias de Brechas.
    O advogado de pobre vai correr atrás das brechas da lei para apresenta-las nos tribunais?

    REPITO: Certa vez o Hélio Fernandes escreveu aqui que quem tiver dinheiro que procure os melhores médicos e os MELHORES ADVOGADOS.

    Aqui é a América Latina, aqui é o Brasil. Aqui impera a lei do mais forte e estamos conversados.

  7. Espero que ela resgate a credibilidade do poder judiciário, foi manchado pelo Ricardo Lewandowski, desejo que cobre da justiça trabalhista, processos que se arrastam a 20 ou mais anos, isto não é justiça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *