Um país apodrecido

Garcia Marquez: “Onde encosta o dedo sai pus…”

Sebastião Nery

Éramos quase crianças, 19 anos. Eu, professor de latim e português. Ele, professor de matemática e ginástica. No ginásio de Pedra Azul, lá no infinito e saudoso norte de Minas.Os outros professores tínhamos inveja dele. Era o único que via as pernas das meninas da cidade. Não havia praia nem piscina. Nas aulas de ginástica, as alunas usavam short. João Bênio era um Salomão, naquela Jerusalém de virtudes.

Um dia, fomos embora. De quando em vez, tinha notícias dele. Ator, correu o país fazendo “As Mãos de Eurídice”, de Pedro Bloch. Depois, foi para o cinema. Terminou diretor e produtor, fazendo sucesso e dinheiro.

Naquela tarde, seis anos depois, nos encontramos numa esquina de Zurique (Suíça), a caminho do “Festival Mundial da Juventude” de Moscou. Com champanha, celebramos nossa vitória sobre aquele pequeno mundo que nos quis segurar para vereador e delegado, prefeito e marido.

O trem até Praga e Moscou saia às 10. Resolvemos comprar máquinas fotográficas, com preços os menores da Europa. Chovia uma chuvinha fina, magra e feia, subdesenvolvida, poça na rua, pingo na cabeça, Os carros passavam ordeiros no asfalto, sem contramão e sem buzina.

Encostados na vitrina de uma loja ainda fechada, doídos de frio, esperávamos. Aquelas mulheres feias, cheias de luvas e capotes, pisando ligeiro o passeio molhado, brancas, branquelas, pernas finas e cara gorda, davam-nos saudade do Rio. João Bênio dizia besteiras. Cada uma que passava, um comentário. E as mulheres feias seguindo para o trabalho.

De repente, aponta uma linda. Alta, loura, rosto fino, andar esguio, parecia uma potranca árabe pisando aqueles passeios arrumadinhos. Vinha acompanhada de um homem muito alto, quase dois metros. Quando chegaram perto, bem em frente a nós, João Bênio não se conteve:

– Nesta eu dava uma dentada no pescoço.

O homem alto, muito alto, forte, muito forte, virou nos calcanhares, pôs o dedo bem no nariz de nós dois e grunhiu:

– Morder pescoço puta “parrriu”. “Trrrês anos Santa “Catarrrrina!”

A loja abriu. Pulamos dentro. E compramos nossas “Rolleiflex ”.

Não é preciso ter vivido três anos em Santa Catarina para saber que o pais está apodrecido. Cada dia um novo escândalo. Agora, na Receita, um rombo de 19 bilhões: HSBC, Santander, os grande bancos, todos bandidos.

GARCIA MARQUEZ

Quando chegamos a Moscou, no Hotel Zariá, ao lado da Universidade dos Povos (hoje Lumumba), os brasileiros logo conhecemos um jornalista colombiano, estudante de cinema, 30 anos, exilado em Paris:

– Na Colômbia está tudo tão ruim que onde se encosta o dedo sai pus.

Era Gabriel Garcia Marquez. Meio século depois, o Brasil igual.

DILMA

A recente pesquisa do “Instituto Data Folha” sobre o governo Dilma chega a ser surrealista quando analisa as diferentes regiões do pais. Consideram o governo “ruim e péssimo”, no Sudeste, 66%. No Sul, 64%; No Centro-Oeste, 75%. No Norte, 51%. No Nordeste, 55%.

Há 15 meses, em novembro de 2013, o “ruim e péssimo” do governo era de 22% no Sudeste, 20% no Sul, 17% no Centro-Oeste, 10% no Norte, e 11% no Nordeste. A “marola” da insatisfação com o governo Dilma transformou-se em um gigante “tsunami” indonésio.

RENDA E IMPOSTO

Por que essa violenta repugnância diante do governo?:

1.- A renda dos mais ricos cresceu na velocidade da Fórmula 1. O Brasil tem 50% do seu PIB nas mãos de 10% da população.

  1. – Nossa distribuição de renda é selvagemente desigual e a política tributária é confiscadora da renda da maioria da sociedade.
  2. – Vejam no Imposto de Renda. O contribuinte que ganha mais de R$ 5.000,00 tem a alíquota de 27%. Quem ganha R$ 50.000,00 ou R$ 300.000,00 por mês, tem a mesma alíquota. O sistema tributário é algoz de quem trabalha e produz. E o governo do PT escorchando quem trabalha.

JANIO DE FREITAS (Folha)

– “Se Joaquim Levy “não sabe de onde tirar os R$3 bilhões” que o governo deixará de receber se encerrada a agiotagem oficial, basta-lhe dar uma olhada no imposto cobrado à especulação financeira e às remessas de lucros – aliás não precisa olhar, porque sabe muito bem e dá a sua proteção”

5 thoughts on “Um país apodrecido

  1. Me fez lembrar do professor de russo, camarada. Conhecia Moscou e era admirador da cultura soviética; belo dia perguntei: “Na URSS tem mulher bonita?” solene respondeu… em todo lugar tem mulher bonita ! São mais de 100 Repúblicas, cada uma com suas características… as mulheres e as repúblicas… por isso, discordo do ilustre Nery, a quem muito respeito. Mulher feia… ora Sebastião, qual é o critério ???

  2. Jornalista Sebastião Nery

    Histórias belas da vida, de Minas, de Zurique e de Moscou. Só quem viveu é capaz de contar.

    O parágrafo final é uma sentença de morte neste e em todos os governos. A regra é não mexer no lucro dos ricos, dos empresários, dos empreiteiros, dos lobistas, dos financiadores de campanha, dos bancos e dos latifundiários.

    Na menor dificuldade, os economistas, sejam da Escola de Chicago, dos amantes de Lord Keynes, da Escola neoliberal, qualquer escola existente, a mesma medida de redução de direitos de aposentados, de viúvas, de trabalhadores, da classe média. Chega a ser execrável. Tiram de quem sabe que não têm condições de se opor a tunga em seus salários.

    Agora, peço licença nos comentários ao artigo de Nery, para contar a minha história.

    Da varanda da casa do meu avô materno, em Ramos, subúrbio da Leopoldina/RJ ouvia suas histórias da estiva, da praça Mauá, dos estaleiros, das cargas que chegavam, dos Sindicatos. Um dia me disse com lágrimas nos olhos: Roberto, não acredite em governos e em revolução. Aposentado, doente, vivia com míseros R$ 1.300, 00, aproximadamente dois salários mínimos. O governo Castelo Branco reduziu sua aposentadoria quase a metade. Passou a ganhar R$ 700,00.

    Meu querido avô falava muito bem de João Goulart, da sua política salarial no rumo da elevação do poder de compra dos trabalhadores, jogada de lado por todos os que vieram depois, inclusive do “Partido dos Trabalhadores”, que usa os mesmos argumentos antigos, para não aumentar o salário dos aposentados que ganham acima do salário mínimo, como fazia FHC, Lula, Sarney. Qual o argumento? Vai quebrar a Previdência Social. Mesmo argumento do Regime Militar e agora também.

    Nos governos Ditatoriais e nas Democracias, quem paga a conta das medidas desastradas é sempre o trabalhador. Com um pequeno detalhe: O olhar de paisagem das Centrais Sindicais.

    A sorte está lançada.

  3. Brasil: Um caricatura de país na UTI

    Podridão pouca é bobagem, vamos ser sinceros, a falta de respeito nessa coisa é endêmica, desde o “cidadão” que corrompe o guarda de trânsito para suprimir uma multa até os altos funcionários públicos de bolsos escancarados à corrupção, e que nesses últimos doze anos de governo do PT, chegou à maturidade, podemos dizer que, como a corrupção é muito maior que o caráter dos políticos ela foi institucionalizada. Além de todos esses escândalos já detonados e os que estão na fila para virem à tona, como é o caso do BNDES que já deveria ter feito seu début, mas foi atropelado pelo novo escândalo na Receita Federal, onde, praticamente os mesmos atores do escândalo da Petrobras fazem parte, e nesse, o montante em dinheiro é de cerca de Dezenove BILHÕES de Reais, notem que agora todos os valores estão casa dos nove dígitos. A sonegação junto a Receita Federal, só nos mostra a que ponto estão profundas as raízes da safadeza com que estamos mergulhados, e justamente a Receita Federal, que nos arranca nacos da nossa carne sem dó e piedade, pois qualquer um mortal que receba acima de R$ 5.000,00 por mês é sangrado em 27%, sei disso porque sou sangrado mês a mês no meu suado salário e também para conseguir pagar as contas públicas, todas majoradas por conta dos rombos nos cofres públicos e que acabam sempre nas nossas costas, nem olho mais o contracheque, para evitar uma depressão. Mas para quem tem um padrinho dentro do tal órgão arrecadatório, fica tudo mais fácil. Os Bancos, que chegam a ter juros mais escorchantes que os dos agiotas, esses mesmos juros que pesam sobre os ombros do zé ruela que usa seu cartão de crédito, são eles banqueiros, os principais parasitas da Receita Federal, um gerente de banco um dia confessou que “os banqueiros não mentem, não roubam, não cheiram, SÓ NEGAM”.
    Mas se fossem apenas os escândalos, esses já se tornaram parte da família Brasil há muito, são tantos que nossa memória não consegue guardá-los, sem falar que logo a Polícia Federal vai abrir concurso para nomeá-los, mas o que doí mesmo é a fome estatal, que some com nosso dinheiro, que nos rouba e não devolve como deveria, em forma de melhores serviços, saúde, educação e segurança, que se continuarem nesse ritmo só o veremos nos dicionários, falar em saúde, ela está numa gaveta do IML junto com a segurança e a educação, aguardando que a burocracia processe os documentos para o seus funerais. Sim pois esses personagens que são os pilares de qualquer país que se dê ao respeito, são as colunas mestras que o sustentam, aqui foram destruídas. Menciono isso porque o suposto imposto que nos é estorquido às dura penas, serviria para isso, para manter uma segurança razoável, um sistema de saúde que pudesse atender com os mínimos padrões de qualidade e a educação, essa é o fundamento de um PAÍS, que não é o caso disso aqui, somos apenas um ajuntamento de povo com hino e bandeira, que como já são tantas, principalmente as de cor vermelha que causa confusão nos mais jovens, bem a educação que é o tesouro de países como Finlândia, Coreia do Sul, Japão e agora da China, que está a milhares de anos luz da nossa, que se estivesse viva estaria entrado na idade do bronze.
    E para complicar mais ainda a situação, quem vai pagar pelos prejuízos que essa quadrilha, esse verdadeiro crime organizado, que tem uma hierarquia bem definida, com a rainha encastelada no alto de trono e que nada sabia e os 300, 400 ou mais achacadores, que em um momento de lucidez o ex ministro Cid Gomes da defunta educação afirmou existir nesse poço de fezes que é o Congresso Nacional.
    No baú de atrocidades da Dilma, que matou as vacas de tanto tossirem, vem a destruição da classe C, invenção do Guru Lula, aumentos da carga tributária. Até o DETRAN aumentou as tarifas, muitas das quais só para achacarem o cidadão, em 145% segundo eles por estarem defasadas, já que mencionei o famigerado DETRAN, me lembrei de outra obscenidade, a vistoria obrigatória dos veículos com mais de cinco anos, que até o momento não sei para que serve, a não ser para assaltar mais ainda o desprezado cidadão, (passou dos R$ 90,00 para R$ 120,00), e não esqueçamos do EXTINTOR ABC, que é outra estrovenga dos achacadores de plantão, que também devem ter recebido propina das indústrias que os produzem com o objetivo de criaram “LEIS” para nos empurrar os tais instrumentos goela abaixo.
    A situação disso aqui já está tão podre que não há um lugar para por o dedo, pois já se transformou em puro pus, vivemos afogados no pus das latrinas públicas abarrotadas de corruptos e corruptores.
    Já disse uma vez em um comentário aqui na Tribuna da Internet, a corrupção nem sequer reduziu, ela continua à toda, sem freios, uma vez que os instrumentos legais que poderiam contê-la estão em farrapos Dias Toffoli, o mais sujo desses arreios é o santo que o PT conta para inocentar os sujos e nessa blindar a rainha de copas e seu valete.
    É por essas e outras que essa turminha de carrapatos e ratazana deve ser retirada do poder, mesmo que seja por fórceps, eles já deram mostras que não vão largar o osso, mesmo depois das manifestações do dia 15 de março que mostram o repúdio a Dilma e sua patota. Por covardia, já que não teria argumentos, ela designa dois Marionetes, quer dizer Ministros, para falarem aos insurgentes, minha nossa, quem tem um pouco de massa encefálica funcionante ficou sem entender do que aqueles alienígenas falavam, pois parecia um discurso sobre um mundo distante dessa realidade brasileira, corrupta, de um povo enraivecido por estar sendo roubado e assassinado. Os títeres do Planalto talvez tenham errado de mundo, bem melhor que tivesse sido a Rainha de Copas, pois como é fluente em destrabelhamentos, poderia ter ao menos no seus discursos desconexos ter entretido os enfurecidos, teríamos tido motivo para dar umas gargalhadas, teria sido um momento cômico pra nos ajudar a relaxar. Ela e seus amiguinhos estão se fazendo de surdos para os gritos dos verdadeiros oprimidos, nós, cidadãos assaltados pelo Estado.

  4. Caro Nery

    Que memória! E que mineiralidade nos causos envolvendo Minas.

    Já é cidadão honorário de quantos municípios mineiros?

    Se BH ainda não reparou essa injustiça, com certeza depois dessa história, Mutum, terra original do personagem Bennio, não regateará.

    Se também fizerem ouvidos moucos, vamos apelar para Conceição de Mato Dentro do Zé Paricido.

    Com a atual hegemonia Petista na governança do estado e se seu habitual sectarismo contra a inteligência prosperar, recorreremos para Goiânia (GO) na fronteira com Minas, a meio caminho entre sua Bahia e sua Minas Gerais, terrinha adotada por seu amigo João Bennio.
    http://www.ccon.go.gov.br/homenageados_detalhes/Jo%C3%A3o+Bennio/8

    Com um forte abraço mineiro, goiano e baiano vão essas lembrancinhas a seguir para os leitores de sua coluna para não pensarem que estamos tendo delírios ao estilo de outro bravo mineiro de Cordisburgo (MG).

    13 filmes essenciais
    Diretor cinematográfico apresenta sua lista de filmes essenciais
    Pedro Novaes
    Especial para o Jornal Opção
    “O Diabo Mora no Sangue” (1968), de Cecil Thirré e João Bennio

    Este filme não está aqui por bairrismo. Quem não viu, tem que ver. É um mega filmaço, uma pérola esquecida do cinema brasileiro. Estão ali, entrelaçadas de forma genial pela maestria de Bennio, as duas únicas questões verdadeiras: o incesto e o embate entre tradição e modernidade. Sendo pouco conhecido, vale uma breve sinopse: enquanto questiona seus valores no contato com turistas urbanos acampados em uma praia do Araguaia, um caboclo (interpretado por Bennio) se debate com a atração que sente pela própria irmã (Ana Maria Magalhães em seu primeiro papel de cinema). Um monumento. Para quem não sabe, é importante ressaltar que o filme tem roteiro do João Bennio, ator e diretor de teatro e cineasta goiano, que também o produziu, convidando Cecil Thirré para dirigi-lo.
    http://www.jornalopcao.com.br/posts/opcao-cultural/13-filmes-essenciais-

    João Bênnio Baptista, nascido no dia 11 de abril de 1927, em Mutum, Minas Gerais, começou a sua carreira artística levando peças de teatro amador para o interior de Minas. Aos 19 anos ele atuou na peça Manhãs de Sol, uma comédia de Oduvaldo Viana. Interpretando no monólogo As Mãos de Eurídice, de Pedro Bloch, ele apresentou-se em diversas cidades e estados, até que os goianos, que compareceram em grande número ao Jóquei Clube, puderam vê-lo no palco. Depois desse primeiro e fascinante contato, João Bênnio decide mudar-se para Goiânia em 1955 e viveu 29 anos na capital goiana, onde criou o grupo teatral Bênnio e seus Artistas.

    http://www.ccon.go.gov.br/homenageados_detalhes/Jo%C3%A3o+Bennio/8

    Finalmente, fica aqui o desafio para você apresentar o seu álbum de fotos com a sua Rolleiflex para os leitores daqui verificarem se alguma delas estará à altura das seguintes que deve conhecer pessoalmente no original:

    Cordisburgo: terra de Guimarães Rosa e da Gruta de Maquiné:
    http://www.viaggiando.com.br/2014/02/cordisburgo.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *