Um procurador chamado Marx “inocenta” Dilma, mas agrava as penas dela

Marx atribui “improbidade” a Dilma, cuja pena é muito maior

Carlos Newton

Os sites da grande mídia divulgam com estardalhaço um instigante parecer do procurador da República Ivan Cláudio Marx, apresentado em inquérito aberto para apurar as pedaladas fiscais. Na semana passada, Marx já havia decidido arquivar parte das investigações, referentes à “pedalada” com o BNDES, mas nesta quinta-feira ele se empolgou e propôs logo o arquivamento de todo o inquérito, com base em argumentos altamente contraditórios e polêmicos.

O parecer do procurador, que é da nova geração do Ministério Público, vem dar seguimento à curiosa perícia recentemente executada por três técnicos do Senado, que levantaram a escalafobética tese de que a presidente Dilma Rousseff não poderia levar a culpa das “pedaladas”, simplesmente porque não assinara nenhum documento oficial autorizando a maquiagem das contas.

Repetindo: esses peritos concluíram que houve “pedaladas”, mas Dilma não poderia ser incriminada, pois não existiu autorização por escrito, vejam o grau de criatividade burocrática desses diligentes servidores subordinados ao senador Renan Calheiros. Certamente, esperavam encontrar um decreto que tivesse instituído a maquiagem das contas públicas…

MARX EM AÇÃO – Agora, surge o procurador Ivan Cláudio Marx, que envereda pelo mesmo caminho tortuoso e também utiliza argumentos jurídico-contábeis verdadeiramente revolucionários, digamos assim.

A justificativa dele é de que não houve crime, porque o objetivo das “pedaladas” era apenas a manipulação das contas fiscais: “Todos os atos seguiram o único objetivo de maquiar as estatísticas fiscais, utilizando-se para tanto do abuso do poder controlador por parte da União e do ‘drible’ nas estatísticas do Banco Central“, disse candidamente Marx, no pedido de arquivamento da gravíssima denúncia.

Para provar sua inovadora tese, o procurador argumentou que não teria havido crime de responsabilidade, mas ato de improbidade administrativa. Na prática jurídica, isso significa apenas trocar seis por meia dúzia, até porque a pena a que Dilma estaria sujeita por improbidade é muito mais grave do que o crime de responsabilidade, que só acarreta impeachment. Ou seja, no afã de inocentar, o criativo Marx acabou complicando a situação de Dilma.

PENAS MUITO GRAVES – Ao enquadrar a presidente Dilma na Lei Nº 8.429, de 2 de junho de 1992, sobre Improbidade Administrativa, o distraído procurador não percebeu que estava agravando as penas que podem ser aplicadas à chefe do governo pelas pedaladas. O artigo 10, item IX, estabelece ser improbidade “ordenar ou permitir a realização de despesas não autorizadas em lei ou regulamento”.

E o artigo 12, inciso III, determina que esse ato ilícito deve ser punido com “ressarcimento integral do dano, perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio, se concorrer esta circunstância, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de cinco a oito anos, pagamento de multa civil de até duas vezes o valor do dano (…)”.

Ou seja, antes de apresentar seu insólito parecer, o procurador deveria ter feito a seguinte pergunta à presidente afastada Dilma Rousseff: “Vossa Excelência prefere o impeachment ou essa pena mais grave por improbidade?”

LULA CONFIA EM MARX – Acontece que o procurador Ivan Cláudio Marx não é nenhum estranho ao PT. Pelo contrário. O ex-presidente Lula do Silva mostra confiar totalmente nele. Como se sabe, o juiz Moro causa pavor a Lula, que desesperadamente tenta escapar dele. Para colher depoimento do ex-presidente, Moro já teve de autorizar “condução coercitiva”.

No entanto, em 15 de outubro de 2015, Lula tomou a iniciativa de contatar o procurador Ivan Cláudio Marx e lhe prestou voluntariamente depoimento acerca de um inquérito aberto pelo Ministério Público do Distrito Federal para investigar as palestras e viagens do ex-presidente ao exterior. Até agora, nenhum outro membro da Procuradoria da República teve o privilégio de colher depoimento voluntário de Lula.

Embora jamais tenha sido marxista, o ex-presidente, que recentemente se definiu como “neoliberal”, tomou a iniciativa de prestar essa homenagem ao procurador Marx. É claro que isso ocorreu só mera coincidência.

24 thoughts on “Um procurador chamado Marx “inocenta” Dilma, mas agrava as penas dela

  1. A sorte do povo brasileiro é que os petistas são incompetentes e soberbos ao ponto de beirar as raias da insanidade mental, do contrário seguramente chegaríamos ao que chegou a Venezuela.

    • As premiadas do Machado e do Odebrecht, somadas a ‘sumida’ Operação Turbulência do pai do ministro, fizeram cerrar as cortinas do espetáculo circense …..

      • DEMORA ESTRANHA !!!!

        PF busca no exterior tecnologia para ler chip de celular de Eduardo Campos
        ———-
        A PF busca em outros países tecnologia que possibilite a leitura do chip do celular do ex-governador Eduardo Campos encontrado nos escombros do acidente aéreo que o matou em 2014.
        As tentativas de fazer a leitura do chip no Brasil fracassaram. A expectativa é encontrar informações de minutos antes do acidente que possam trazer novidades sobre a causa da tragédia.
        Siga a Coluna do Estadão:
        No Twitter: @colunadoestadao

  2. Moro diz que Lula quis ‘intimidar’, ‘obstruir’, ‘influenciar’

    Em ofício ao Supremo Tribunal Federal, juiz da Operação Lava Jato transcreve 12 interceptações telefônicas que pegaram ex-presidente ‘intencionando ou tentando obstruir ou influenciar indevidamente a Justiça’

    Beatriz Bulla, Gustavo Aguiar, Ricardo Brandt, Julia Afonso e Fausto Macedo

    http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/moro-diz-que-lula-quis-intimidar-obstruir-influenciar/

  3. Caro Newton, o jovem procurador, agiu como a velharia corrupta, é lamentável, ver a AMORALIDADE que grassa no PAÍS, a cada dia, uma nova patifaria!!!
    31 de julho, na rua participando pacificamente contra a corja que nos desgoverna, não podendo ir, panelaço!. e outubro, VOTAR COM CONSCIÊNCIA E DIGNIDADE (O PROBLEMA É ACHAR CANDIDATO, QUE MEREÇA CONFIANÇA), AO MENOS NÃO REELEGER.

  4. Apenas sócios…

    Os candidatos do empreiteiro
    Brasil 15.07.16 09:40
    Um celular apreendido na Lava Jato revela os candidatos favoritos do ex-presidente da Andrade Gutierrez Otávio Azevedo, informa o Estadão.

    Por WhatsApp, ele indicou em quem os filhos deveriam votar.

    “Eu se fosse votar, votaria: PR: Aécio; Gov.: Fernando Pimentel; Senador: Anastasia; Dep. Federal: Geovane Baggio (vôlei) (Giovane Gavio, na verdade); Dep. Estadual: Gustavo Correa (DEM).”

    É o pluripartidarismo brasileiro.

    ( O Antagonista ).

  5. Vão encher as cuecas juntos ??? CIRCO !

    Rodrigo Maia: “Tive 30 votos do PT”
    Brasil 14.07.16 18:43
    O Antagonista falou há pouco com Rodrigo Maia. Ele falou das visitas de agradecimento que fez a Michel Temer, Aécio Neves, José Serra e Renan Calheiros, e também a Fernando Coelho Filho, Marcos Pereira e Maurício Quintela.

    “Agradeci aos que ajudaram e aos que não atrapalharam”, disse.

    Maia também se reuniu com José Guimarães, que trabalhou internamente para convencer metade da bancada a apoiar o deputado do DEM.

    “Tive 30 votos do PT. Chamei os deputados para conversar. Estão dispostos a construir uma pauta comum para dar celeridade às reformas.”

    Ontem, comemoraram efusivamente a eleição de Maia os deputados José Guimarães, Carlos Zarattini, Arlindo Chinaglia e Vicente Cândito.

  6. Newton, Lula sabe o que ser liberal? Essa gente é tão burra que cada dia se enrola mais. O falastrão Eduardo Cardozo já alardeou que vai juntar à defesa de Dilma a tese do procurador Marx. Cada dia que passa Cardozo afunda mais Dilma.” Se a defesa de Dilma fosse feita por um malandro carioca, desses que ficam na Cinelância jogando conversa fora, ela nem teria saido do governo”. Com Eduado cardozo como defensor Dilma pode parar na Papuda.

  7. ABUSANDO DA NOSSA PACIÊNCIA !

    O ABUSO DE RENAN
    Brasil 15.07.16 13:48
    Em pronunciamento divulgado pela TV Senado, Renan Calheiros avisa que o plenário votará, sim, na segunda semana de agosto, o projeto sobre “abuso de autoridade”.

    “É uma proposta para regulamentar a Constituição e não foi feita de encomenda contra ninguém ou para embaçar nenhuma investigação, nenhuma apuração.”

    Renan chega a pressionar os pares a votar a favor do projeto: “É um mito alegar falsas razões para não votar.”

    Ele trata do tema a partir do minuto 1:38 do pronunciamento abaixo.

    Renan não nos engana.

  8. Pingback: Procurador tenta inocentar Dilma, mas agrava a situação dela – Debates Culturais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *