Uma canção de protesto de Edu Lobo

O arranjador, instrumentista, cantor e compositor carioca Eduardo de Góes Lobo compôs “Borandá” (conjunção de “embora andar”), estilo bossa-protesto, onde também aparece o verso “Vam’borandá” (conjunção de “Vamos embora andar”).

A letra da música retrata a procura do homem do campo por uma vida melhor na cidade. “Borandá” foi gravada no Lp A música de Edu Lobo por Edu Lobo, em 1964, pela Elenco/Polygram.

BORANDÁ
Edu Lobo

Deve ser que eu rezo baixo
(Pois meu Deus não ouve, não)
É melhor partir lembrando
Que ver tudo piorrar

Vam’borandá, que a terra
Já secou, borandá
É borandá, que a chuva
Não chegou, borandá

Já fiz mais de mil promessas
Rezei tanta oração
Deve ser que eu rezo baixo
(Pois meu Deus não ouve, não)

Borandá, que a terra (…)

Vou-me embora, vou chorando
Vou me lembrando
Do meu lugar

É borandá, que a terra (…)

Quanto mais eu vou pra longe
Mais eu penso sem parar
Que é melhor partir
Lembrando
Que ver tudo piorar

Borandá, borandá, borandá
Vam’borandá

(Colaboração enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canções)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *