Uma história de Jorge Amado e Calazans Neto

Valter Xéu

Fui amigo de Jorge e Zelia Amado e era um frequentador assíduo da casa do Rio Vermelho.
Continuoi amigo dos netos (Jorge Amado Neto e João Jorge Amado).

Vou pedir ao Jorge Amado Neto (aproveitando que é o ano de centenário do avô) para escrever para a Tribuna contando as inúmeras histórias das brincadeiras que o avô fazia com os amigos Caymmi, Calazans Neto, Carybé, Camafeu e tantos outros.

Um caso  interessante. Jorge colocou um anúncio no jornal A Tarde (o maior da Bahia) com o título “COMPRA-SE GATOS”. No anúncio, o endereço do pintor, gravador, ilustrador, desenhista, entalhador e cenógrafo Calazans Neto, aqui em Itapuã.

Bem cedinho Jorge Amadoveio para a casa do filho João Amado (pai de Jorge Amado Neto), que morava em frente à casa de Calazans. A fila estava enorme, toda pessoa que chegava para vender o gato, Calazans comprava. Ele sacou de onde partiu a brincadeira e fazia o seguinte: comprava o gato e mandava entregar na casa de Jorge Amado. no bairro do Rio Vermelho.

Essas e outras histórias, Jorge Amado Neto poderá contar melhor do que eu.

Juca Chaves, o cantor francês Georges Moustaki, Jorge Amado e Calazans Neto

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *