Uma mensagem de amor do poeta Geraldo Carneiro, em forma de canção

Geraldinho, no traço de Chico Caruso

O roteirista, teatrólogo, escritor, poeta e compositor mineiro Geraldo Eduardo Ribeiro Carneiro, na letra de “A Flor e o Cais”, em parceria com Wagner Tiso, fala de tudo que deseja ser para o seu amor. Essa música faz parte do DVD do Wagner Tiso 60 anos lançado em 2005.

A FLOR E O CAIS
Wagner Tiso e Geraldo Carneiro

só quero ser teu sol
só quero ser teu sal
só quero ser teu nunca mais
só quero ser teu céu
teu doce teu dossel
tua memória e cais

só quero ser teu trovador
que cante a tua dor maior
só quero te assombrar no fim
em tudo o que restar de amor
só quero ser teu mar
teu sul e teu não-ser
teu sonho de voar
a tua arquitetura de sonhar
a primavera que inventamos no jardim

só quero ser teu não
fantasma do teu cão
um sono que não tenha paz
a tua encarnação
o exílio da nação
a que não voltarás

só quero ser teu perdedor
que sempre se perdeu de amor
e agora sobrevive assim
em tudo que há depois do fim
essa memória-flor
um resto de esplendor
que insiste contra o caos
a flor que te anuncie a cada dia
a primavera que perdemos no jardim.

                   (Colaboração enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canções)

5 thoughts on “Uma mensagem de amor do poeta Geraldo Carneiro, em forma de canção

  1. Esse tal de Geraldinho Carneiro quer ser imortal, entrando para a Academia Brasileira de Letras. Lá estão Sarney, Marco Maciel, Arnaldo Niskier e outros menos votados. Nunca li o que eles escreveram. O curioso é que Carneiro não tem cabedal para tanto, embora seja protegido por colunistas pouco informados.

  2. O Wagner Tiso é petista até a última gota de sangue. E o Geraldo Carneiro, por ser mineiro, parece um muraldino incorrigível. Uma dupla e tanto. Pra não se ouvir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *