Vasco: o golpe dos salários atrasados

Paulo Peres

Desde julho de 2008, a atual diretoria do Vasco da Gama não paga os impostos do clube e, consequentemente, não consegue obter as certidões negativas de débito, sem as quais o clube não que recebe a verba da Eletrobras da forma regular. Entretanto, o presidente interino do clube e deputado gazeteiro, Roberto Dinamite, covardemente, aplica o golpe de atrasar os salários do clube, inclusive, os salários dos funcionários mais humildes, que possuem famílias para sustentar, passando a se constituir em mais uma triste realidade social.

Somente através deste golpe de atrasar salários, o pagamento acontece, tendo em vista que existe uma ação na Justiça efetuada pelo Sindicato dos Funcionários de Clubes do Rio de Janeiro, baseada na premissa constitucional de que todo o trabalhador tem o direito de receber seu salário. Todavia, a Justiça repassa somente os valores referentes aos atrasos salariais.

Vale ressaltar que, com base no processo ganho pelo Sindicato dos Funcionários de Clubes do Rio, mais uma vez, o clube deverá quitar parte das dívidas até a semana que vem com o verba de patrocínio da Eletrobras. O Sindiclubes calcula que o valor a ser transferido para os funcionários e jogadores, levando-se em conta o 13º e o mês de dezembro que estão em atraso, gire em torno de R$ 3,2 milhões.

O período de espera até o pagamento se dá por conta do trâmite burocrático que envolve a liberação da quantia, já que é necessário que o Sindicato entre com um pedido de autorização da verba na Justiça do Trabalho para que esta, então, autorize o repasse diretamente aos trabalhadores, sem que os valores sejam transferidos para o clube.

A empresa estatal faz pagamentos semestrais ao Vasco do valor total de R$ 14 milhões, sendo que o último aconteceu em outubro. O clube recebeu um adiantamento e a segunda parte, que chegaria em janeiro, foi retida como sempre pela Justiça.

Este dispositivo vem sendo observado e investigado pelo Tribunal de Contas da União (TCU). O processo corre em segredo de Justiça em Brasília e deixa o Vasco numa posição de risco para continuar a receber a verba referente ao seu patrocínio.

Na verdade, atrasos de salários tem acontecido, também, em outros clubes por motivos diversos que os praticados no Vasco, clube onde por incompetência do seu presidente interino, Roberto Dinamite, cotidianamente, perde patrocinadores, surge uma nova dívida, um novo processo  etc.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *