Venceu a tradio

Tosto
O Tempo
Contra o Chile, a histria se repetiu. Mais uma vez, os chilenos foram eliminados nas oitavas de final, como se fosse impossvel fugir do que foi programado, do que est no DNA e no imaginrio coletivo do futebol. O Chile quase mudou a histria. Assim, tambm na vida. Por mais que sejamos criativos, nicos, h um programa, um cdigo, que influencia nossa existncia. O maior deles o da finitude da vida. Dessa, ningum escapa.
Brasil e Colmbia vo fazer outro jogo equilibrado. Colmbia e Chile esto no mesmo nvel. A Colmbia mostrou superioridade sobre o Uruguai. Diferentemente de outras selees colombianas dos ltimos tempos, que se destacavam muito mais pela habilidade dos jogadores, a atual, alm dessa qualidade, um time mais pragmtico e organizado taticamente.
A Colmbia possui vrios timos jogadores, principalmente Cuadrado, uma mistura de volante, meia e atacante. Outro destaque, hoje, a sensao da Copa, James Rodrguez. o artilheiro do Mundial. Ele brilha mais em lances isolados do que por uma participao regular e efetiva durante do jogo.
No fiquei surpreso com o empate e a atuao do Brasil contra o Chile. O time brasileiro no tem agradado, no tem meio-campo, alm de outras deficincias, mas ainda forte candidato ao ttulo. Todas as outras selees possuem tambm deficincias. No h um time excepcional.
O Mxico jogava bem, era melhor, ganhava por 1 a 0, mas recuou e perdeu o jogo, nos ltimos minutos, para a Holanda. As modificaes feitas pelo tcnico, para reforar a defesa, foram decisivas, pois facilitaram a presso da Holanda. Alm disso, do outro lado, estavam Sneijder e, principalmente, o excepcional Robben.
Mxico e Chile, mais uma vez, saram nas oitavas de final. So boas equipes, mas no tm a fora da confiana, da tradio. A Holanda favorita, na prxima fase, contra a Costa Rica.

One thought on “Venceu a tradio

  1. Concordo com quase tudo que foi a opinio de Tosto. De fato, ele sabe das coisas e est acompanhando essa Copa, com lupa…
    Diz o Tosto que a equipe brasileira no tem agradado aos torcedores e que no tem meio- campo, alm de outras deficincias.
    Tosto benevolente…
    Sada de bola do time brasileiro na base do chuto dos zagueiros, de David Luiz ou Thiago Silva, em ligao direta com o ataque.
    S quando anunciada a escalao, que se toma conhecimento do time que Felipo armou. Iniciado o jogo, podemos esquecer que ela existe… a mistura do meio para a frente de um modo do tal, que as caractersticas de um esquema ttico somem da viso de quem assiste o jogo.
    Passa a ser o time da bola parada ou dos chutes da zaga, que tambm comparece com chance nos escanteios. Sem o meio de campo, “projetado” como tal, a “zona” s no maior, por fora do lampejo de alguns poucos jogadores na marcao e na fraca tentativa de armar um contra ataque.
    Com esse tipo de jogo, no necessrio um centro avante .
    Sobra no jogo… seja Fred, J ou qualquer um outro escalado para a posio. Ficamos deriva, de muleta, na base dos brucutus que tentam jogar bola, e uns e outros se escondendo do jogo..
    Sobra para quem ?
    Neymar…
    Obrigado a buscar a bola, ainda acusado de individualista. pois o nico que se atreve a levar repetidas faltas, algumas bem duras, tudo na tentativa de aproximao e tentar o chute ao gol, j que ningum se apresenta.
    Nessa de depender do Neymar, com ele sofrendo e se safando como pode das faltas, ai de ns, time e torcedores, se ele contundir de modo mais grave, e ficar fora do jogo ou do resto da Copa…
    Concordo com Tosto em outro detalhe: no existe nenhum time excepcional, estamos nivelados a todos os participantes.
    Isso significa que tudo vai depender de como Felipo vai reagir e fazer o time tambm reagir, com o futebol que o time tem, contra a Colmbia.
    A sorte est lanada… que ela comparea, como fez no jogo com o Chile.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.