Vetos e opinies acabam tornando Bolsonaro o anticandidato de si mesmo

Charge do Aroeira (diariodocentrodomundo.com.br)

Pedro do Coutto

O presidente Jair Bolsonaro apresentou vetos Lei do Oramento para este ano num montante de R$ 3,1 bilhes, percentual muito pequeno diante do total oramentrio de R$ 4,8 trilhes , mas atingindo setores muito importantes da administrao pblica e preservando R$ 5 bilhes para o fundo eleitoral e R$ 16 bilhes para as emendas dos oramento quase secreto de senadores e deputados federais.

No O Globo, a matria de autoria de Daniel Gullino, Gabriel Shinohara e Fernanda Trisotto. Na Folha de S. Paulo, de Idiana Tomazelli e Matheus Vargas. No Estado de S. Paulo a reportagem de Eduardo Rodrigues, Daniel Weterman e Luci Ribeiro.

CORTE – Os vetos atingiram fortemente o Ministrio do Trabalho, englobando a Previdncia Social, o Ministrio da Educao e recursos para hospitais universitrios. No caso da Previdncia Social, o alvo foi o INSS, alcanado por um corte de R$ 890 milhes. O Ministrio da Educao levou um torpedo de R$ 739 milhes.

Quanto ao INSS, a repercusso ser enorme, sobretudo porque h necessidade de recursos adicionais para que o Instituto atenda 1,8 milho de requerimentos de aposentadorias, penses e tambm de percias mdicas. H uma carncia de pessoal na Previdncia e boa parte causada pelo nmero de aposentadorias de servidores.

O presidente Jair Bolsonaro, a meu ver, torna-se assim o anticandidato de si mesmo nas urnas de outubro, pois a cada ato praticado, ele atinge comunidades que prejudicadas certamente reagiro pelo voto. Geralmente os candidatos fazem o contrrio. Nos perodos eleitorais procuram ir ao encontro da populao. O presidente da Repblica faz exatamente o contrrio. s ver os fatos e exp-los luz da realidade.

REAO – Bolsonaro manteve no oramento uma dotao de R$ 1,7 bilho para reajuste de servidores. Mas especialistas acentuam que essa parcela no pode cobrir reposio inflacionria geral para o funcionalismo da Unio. Ele, Bolsonaro, est voltado para conceder reajuste apenas Polcia Federal, Polcia Rodoviria e Polcia Judiciria, o que vai, como natural, causar forte reao contrria junto s demais categorias do funcionalismo pblico, sem reajustes h anos. Enquanto isso, os preos sobem diariamente.

Conforme j comentei, o governo tem uma poltica liberal para os preos e restritiva para os salrios. O processo est se refletindo na fome e na queda do consumo, incluindo os supermercados. Em matria de reajustes para categorias funcionais, Manuel Ventura, O Globo de ontem, comenta a questo.

claro, que todos esses atos de Bolsonaro revertem contra ele junto ao eleitorado, junto opinio pblica. A queda de renda do trabalho um fato. Na noite desta segunda-feira, a GloboNews divulgou que 51% da populao brasileira encontra-se nos segmentos D e E, que figuram na base das pesquisas eleitorais do Datafolha e do Ipec e baseiam os seus levantamentos na renda da populao.

VACINAO – Bolsonaro perdeu pontos, mais uma vez, com a sua posio nitidamente contrria vacinao das crianas de 5 a 11 anos de idade, como alis de forma absolutamente ilgica criou obstculos ao prprio processo de vacinao a partir de 2020, quando se registraram os primeiros casos. Vetou a aquisio da Coronavac, determinando ao ministro Eduardo Pazuello que anulasse a encomenda, em seguida colocou barreiras oferta da Pfizer.

Entretanto, acreditou na eficcia da Covaxin cuja intermediao entre o laboratrio e o Ministrio da Sade era realizada pela Prtica, uma empresa que desejava uma antecipao de US$ 45 milhes e cujo histrico era muito ruim em matria de relacionamento com a prpria pasta da Sade. A intermediao era um absurdo.

REAJUSTE – Mas as contradies de Bolsonaro no terminam neste elenco de fatos. Ele agora, revela Paulo Saldaa na Folha de S. Paulo, volta-se para barrar o reajuste de 33% no piso dos professores e professoras que atuam no Fundeb. A legislao do Fundo de Educao Bsica prev reajustes na mesma proporo do crescimento do nmero de alunos.

O presidente da Repblica estuda editar Medida provisria contra essa correo salarial. claro que a repercusso em matria de voto no ser das melhores.Bolsonaro at hoje no fixou nenhum projeto de interesse coletivo voltado para um sentido construtivo. Esses so os fatos mais aparentes que revelam uma impossibilidade de Bolsonaro ser reeleito este ano.

So muitas convergncias que desabam sobre o presidente da Repblica que demonstra no estar preocupado com a popularidade e a rejeio ao seu governo. Se estivesse, logicamente o seu comportamento seria outro.

DESTEMPERO - Numa entrevista publicada na segunda-feira pelo Estado de S. Paulo a Lauriberto Pompeu e Felipe Frazo, o ex-juiz Sergio Moro partiu para o ataque a Bolsonaro. Em encontro com investidores, sustentou que o destempero de Bolsonaro abalou a economia brasileira.

Moro centralizou a sua bateria contra o presidente, numa tentativa de super-lo e enfrentar Lula da Silva num segundo turno. Mas a tarefa difcil, sobretudo porque a tendncia que se confirma em setores da opinio pblica a de que o ex-presidente, se o pleito fosse hoje, venceria no primeiro turno.

11 thoughts on “Vetos e opinies acabam tornando Bolsonaro o anticandidato de si mesmo

  1. o que sempre tenho escrito aqui nos comentrios: Pior do que um sujeito burro um sujeito burro motivado!
    Bolsonaro quer o bem do Brasil, porm ele no tem conhecimento de nada. A ainda por cima cercou se de iguais a ele.
    E se algum pensar diferente torna se inimigo.
    Nem ser necessrio muito esforo para ser derrotado.

  2. Pronto, acharam a definio condizente com a realidade
    Um sujeito burro: O LULA.
    Um sujeito burro motivado: O BOLSONARO.
    Que venha a terceira via, porque essa dupla ai, vai fazer com que demos os burros ngua.

    • O mito sempre o mesmo, j no surpreende mais ningum. No veta o Fundo Eleitoral mas veta o reajuste dos professores do ensino fundamental e mdio. Reajusta policiais mas no os servidores civis, vai se reeleger como?

  3. Os tarados contra as vacinas, no vo arredar p das suas convices. Preferem a contaminao do que a vacinao.
    Seguem a liderana do Mito.
    Que fazer,?

  4. Pedro do Couto
    O corte de quase 1 bilho do Oramento da Previdncia Social, para este ano, indica que tanto Bolsonaro quanto Paulo Guedes no gostam dos Aposentados. Vai faltar dinheiro para atender as demandas dos brasileiros que precisam do Auxlio Doena, de Percias Mdicas. Esto apostando no caos e no sofrimento dos que precisam do INSS, justamente o povo pobre.
    Que falta de humanidade. Como pode uma pessoa, que faz esse corte absurdo, ainda vem falar em Deus, Famlia e Ptria?
    Pura falcia e palavras ao vento. O povo evanglico tambm sofre na pele, os efeitos dessa poltica anti social. No adianta os pastores defenderem o governo nos cultos, pois a realidade, ningum muda com discurso.
    Outra coisa, os cortes na Educao, demonstram, que esse governo no tem compromisso com os brasileiros que frequentam as Escolas Pblicas. Com isso, condenam a classe trabalhadora, a ficar excluda da nova matriz tecnolgica baseada Robtica, na Automao, e na Informtica.
    No temos computadores individuais para os alunos das escolas pblicas. Na China e no Japo, alm de tablets so oferecidos o 5 G para todos se conectarem.
    Nosso pas, vai ficando para trs, de retrocesso em retrocesso.
    Ser que ainda tm almas aqui, que concordam com isso?

Deixe um comentário para AndreBR Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.