Vice-governador e ministro, Guilherme Afif abusa e trata a dualidade de cargos com bazófia

Ucho Haddad

Quando afirmamos, em recente matéria, que o agora ministro  (Secretaria da Micro e Pequena Empresa) tornou-se um Cavalo de Tróia no Palácio dos Bandeirantes, colocado na sede do Executivo paulista por obra do PT, muitos leitores acharam graça na comparação, mas a cada dia esse status se confirma.

Ocupando o 39º ministério do paralisado governo de Dilma Rousseff, Afif, que é vice-governador do estado de São Paulo, disse que acumulará os cargos e que não vê qualquer problema nisso. Filiado ao PSD, partido de Gilberto Kassab, o ministro afirmou, logo após a cerimônia de posse, que “não serve a dois senhores” e só deixará o cargo de vice-governador mediante determinação judicial.

Questionado nesta sexta-feira sobre como faria na necessidade de assumir o governo paulista, mediante eventual ausência do governador Geraldo Alckmin, Afif disse que recorrerá à exoneração temporária do ministério.

Nenhum governante sério convidaria alguém para assumir uma pasta ministerial nessas condições. A estratégia rasteira do PT palaciano teve como objetivo não apenas infiltrar um suposto aliado no Palácio dos Bandeirantes, mas garantir que o PSD não embarcaria no projeto de reeleição de Alckmin. Isso porque, a mando do fugitivo Luiz Inácio da Silva, o Partido dos Trabalhadores trabalha para tomar de assalto o mais importante e rico estado da federação.

Os brasileiros de bem precisam reagir diante do avanço de um projeto criminoso que pode culminar com a instalação de uma ditadura comunista no Brasil, a exemplo do que ocorre na vizinha e bolivariana Venezuela.

(transcrito do uchoinfo)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

5 thoughts on “Vice-governador e ministro, Guilherme Afif abusa e trata a dualidade de cargos com bazófia

  1. Neste caso eu só posso é relembrar as palavras de Luther King: “O que me preocupa não é o barulho dos maus mas sim o silêncio dos bons”.

  2. AAAAFFFFIIIFF! TÁ FININHO EM BOLAO! O QUE FAZ 1 VICE-GOVERNADOR? ALÉM DE SE LOCUPLETAR COM O DINHEIRO PÚBLICO E ALÉM DE TUDO, NO SEU CASO, SER UM COVARDE? VAI SE ESCONDER EM BAIXO DA SAIA DE DONA DILMA? VAO TRABALHAR, VAGABUNDOS! VCS SAO NOSSOS EMPREGADOS! TODO O POVO PAGANDO POR ESSA CORJA DE IRRESPONSÁVEIS TUPINIQUINS!DÁ VONTADE DE VOMITAR!!!

  3. Não simpatizo com o Lula, mas ele não é fugitivo. Fugitivo e foragido comprovado judicialmente foi o articulista Ucho Haddad, cujo nome verdadeiro é Evaldo Haddad Fenerich, em 2001 na capital paulista. Esteve foragido como criminoso e a juiza da 3a Vara Criminal da Capital (SP), Nidea Rita Coltro Sorci, decretou sua prisão preventiva, que foi efetuada no dia 31 de agosto de 2001, às 14:30 h, por investigadores da seção de capturas especializados em agarrar trambiqueiros da 27 DP (Campo Belo- Zona Sul de SP). E esse vulgo Ucho Haddad lá permaneceu atrás das grades até 24 de setembro do mesmo ano, isto é, quase um mes fora de circulação. Tem mais. Esse vulgo Ucho Haddad foi condenado por apropriação indébita em 02 de fevereiro de 1998 a um ano de reclusão em regime aberto e 10 dias de multa. Melhor faria ele se nos contasse aqui sobre aquele leilão do dossier Cayman II que ele fez por 60 mil dólares e que foi relatado no Jornal da Tarde e Estadão em repoprtagem assinada por Renan Antunes de Oliveira, em 09 de outubro de 2000. A gente poderia se distrair com a trambicagem.

  4. Sem dúvida, o blog da Tribuna não é mais o que antes, estando aberto a pessoas desqualificadas como esse Ucho Haddad e outros. Acho que o Hélio, o Pedro do Coutto, o Santayana, o Carlos Chagas e outros que são a linha de frente do jornalismo equilibrado e honesto que caracterizava antes a Tribuna deveriam evitar a desfiguração da linha editorial do jornal, em nome de uma “democracia editorial” que acaba possibilitando a entrada de “colaboradores” com matérias histéricas, destorcidas, ou contrárias ao interesse nacional brasileiro. Para não ser “contaminado”, leio hoje somente uma parte do que é publicado na Tribuna online.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *