Voluntários da Olimpíada de 2016 podem agora pedir indenização na Justiça

Resultado de imagem para nuzman preso

Nuzman, o poderoso chefão da Olimpíada,  foi depor 

Jorge Béja

Você, leitor que navega pela internet, que lê notícias, variados blogs e que trabalhou voluntariamente para a realização da Olimpíada do Rio no ano passado, 2016, que empregou sua força laborativa, física, mental, cultural, antes, durante e depois do evento, não fique de braços cruzados. O tempo passou e se constata agora que você trabalhou gratuitamente para o enriquecimento ilícito de governantes, dos dirigentes do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), do Comitê Olímpico Internacional (COI) e de muitas outras entidades congêneres que integram e patrocinam o grandioso evento.

Você foi ludibriado da sua boa-fé. Deu o máximo de si. Mal dormiu, mal se alimentou, ficou exposto ao tempo, recebeu ordens mas não recebeu um centavo de retribuição. Sabemos que você conhecia a regra do jogo, que era trabalhar de graça. Conhecia e aceitou. Porém, a questão passou a ser de ordem e de moralidade públicas, de desrespeito à dignidade da pessoa humana, após o desvendamento da corrupção.

ROUBALHEIRA – Na época, você desconhecia a roubalheira que existiu desde 2009, quando a Cidade do Rio de Janeiro foi escolhida para sediar a Olimpíada pelo voto comprado. Ou seja, pela corrupção que enriqueceu os bolsos de muita gente que explorou o seu sacrifício.

Você, leitor, recorra à Justiça Trabalhista com uma ação com base na Consolidação das Leis do Trabalho. Ou à Justiça Comum, baseando-se no Código Civil, com uma ação indenizatória por trabalhos prestados. É direito seu. Não importa que você tenha assinado, antes da Olimpíada, um documento renunciando a receber qualquer remuneração pelo seu trabalho. Os promotores públicos e as polícias federais, da França e do Brasil descobriram a trama fraudulenta que você desconhecia. Isso é o suficiente para você vencer na Justiça os pleitos indenizatórios. Aquele documento que você assinou tornou-se nulo, sem valor jurídico.

ESTELIONATO – Você foi tapeado. Você foi vítima de um estelionato internacional.  Processe o COB e o COI. Coloque-os no banco dos réus junto à Justiça da cidade onde você mora. Comprove que você foi um dos milhares de voluntários que trabalharam para a realização da Olimpíada. Diga que agora você quer ser indenizado. O prazo para entrar na Justiça vai até 2021. Mas não perca tempo. Dê entrada com a sua ação. E peça à Justiça que arbitre uma indenização pecuniária em seu favor.

Você tem todas as chances de vencer o processo, por causa dos fatos criminosos que trouxeram o evento para o Rio. Você não pode nem deve concordar com a roubalheira que COI e COB cometeram contra o dinheiro do povo brasileiro, conforme a própria procuradora da República disse nesta terça-feira na entrevista coletiva que reuniu promotorias e polícias da França e do Brasil. Você, leitor, você é povo, é do povo. Vá em frente. E não deixe isso ficar barato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *