Ao polarizar a eleição entre Lula e Bolsonaro, a imprensa presta um desserviço ao país

Ilustração reproduzida da Folha de Pernambuco

Francisco Bendl

Em onze anos de TI (quase, completarei em outubro), jamais teci críticas à imprensa, com exceção de um ou outro artigo postado por jornalistas. Tenho até sido contra a encrenca de Bolsonaro com a Globo por entender que os problemas aumentam, além daqueles insolúveis e criados por este governo, e também herdados de seus antecessores.

Dito isso, pela primeira vez repudio a mídia em geral. Não tenho a menor dúvida de que os mais poderosos veículos de comunicação estão prejudicando drasticamente o Brasil ao apoiarem Lula abertamente, pois Bolsonaro só conta com os veículos de comunicação que foram irrigados de dinheiro pelo governo dele, tipo Record e SBT, além dos blogs amestrados e das redes sociais.

A FAVOR DE LULA – A preferência da grande imprensa por Lula é escancarada. Não há a menor crítica à duvidosa decisão do Supremo, que repentinamente resolveu “inocentar” Lula, após estar condenado a cerca de 30 anos de prisão em apenas dois  dos muitos processos a que responde.

Se a imprensa detesta Bolsonaro, divulgando Lula porque é o maior antagonista ao atual presidente, ela está errando de forma absurda sua estratégica e suas táticas, a menos que a verdadeira intenção esteja sendo motivada apenas porque a volta de Lula ao poder significa também o retorno das generosos verbas publicitárias que sempre irrigaram a imprensa falada, escrita e televisionada.

E isso representa a desmoralização completa da mídia, que jamais poderia atuar contra ou a favor do governo dependendo exclusivamente das verbas publicitárias.

SEMPRE PARA PIOR – Mutatis mutandis à brasileira, ou seja, é sempre para pior, jamais se pode ter esperança de que a mídia lute pela melhor opção, nessas alturas!

Desta vez os órgãos da imprensa erraram, e feio! Não querem desenvolvimento, honestidade nem justiça social. Ao invés de defenderam a diminuição da corrupção, já que sabem ser praticamente impossível vencê-la, estão querendo a volta de Lula, mesmo sabendo que significa incentivar a corrupção.

Desejam o caos e trabalham para que se instale permanentemente neste País, que já se tornou uma massa disforme de tantos erros e crimes cometidos contra o povo pelos poderes constituídos.

O resultado é essa pesquisa enaltecendo um ladrão, em detrimento do outro, que age como nosso exterminador de futuro.

CANDIDATOS PODRES – De que serve essa pesquisa dando a vitória de um contra o outro, se ambos atualmente são o que existe de pior para esta Nação e seu povo?

Que tanta atração pode ser uma pessoa escancarada e escandalosamente corrupta, como é Lula, disputando o Planalto com um insano, autoritário, que despreza o povo, que também é desonesto e de má fé contra o cidadão brasileiro?

A imprensa deveria trabalhar em favor do interesse público, combatendo tanto Bolsonaro quanto Lula, para que a opinião pública se conscientiza de que é preciso encontrar uma alternativa, que chamam de terceira via.

UM BRASIL MELHOR – Certamente a mídia também sonha com um Brasil melhor ou menos ruim, mas efetivamente está trabalhando para um País pior do que já se encontra, se isso fosse possível!

Assim, se Lula for eleito ou Bolsonaro reeleito, deve-se culpar especialmente a  imprensa, por ter se desviado de sua importantíssima missão social. É muito triste essa situação.

44 thoughts on “Ao polarizar a eleição entre Lula e Bolsonaro, a imprensa presta um desserviço ao país

  1. E A MÍDIA que só promove bandido$, medalhõe$, mais dos me$mo$ e afin$ é o quê: suja, ou não lavada ? A política do Brasil chegou a um ponto de sujeira, desfaçatez e falta de vergonha na cara que não tem mais outro jeito senão colocar tudo e todos os partidos numa só lavanderia, no caso um novo sistema, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, na estrada há mais de 20 anos pedindo passagem, a Terceira Via de Verdade, que vai além do continuísmo da mesmice da situação e da oposição, tal seja o projeto novo e de política e de nação, a nova política de verdade, e lavar geral, com bastante sabão, detergente e até desinfetante, e o povo viciado em se apaixonar por bandidos que aprenda a pelo menos gostar de gente séria, autêntica, sincera, verdadeira, honesta, humana e justa, preparada para resolver problemas e, por conseguinte, melhorar a vida e a convivência da população, porque é nisso que nos concentrar em gente capaz de resolver problemas e que nos mostra como resolvê-los e não em gente que em si já significam problemas. https://noticias.uol.com.br/colunas/josias-de-souza/2021/05/13/bolsonaro-precisa-explicar-por-que-tentou-aproximacao-com-o-vagabundo.htm

    • Concordo, Leão, que esta política nacional se tornou irreversível para se tornar útil e competente para o povo!

      Acabou, apodreceu, virou lixo!

      Abraço.

    • Fala, Ricardo, meu amigo,

      Tudo bem?

      Grato pelas palavras de incentivo.

      A polarização mais uma vez envolvendo Lula e outro candidato é ruim para nós, pois continuaremos a ser governados pelos piores postulantes ao Planalto que existem.

      Inadmissível que um País de 210 milhões de almas, e só temos dois bostas para escolher?

      Abração.
      Saúde e paz.

  2. Perca as esperanças, meu caro Bendl. Sem uma revolução social violenta e com fuzilamento em massa, nada se fará pelo Br.
    Só conheci, em minha longa vida, dois políticos: Carlos Lacerda – um extraordinário administrador – e Itamar Franco, meu conterrâneo de Juiz de Fora. O resto, não passa de atores mambembes e canastrões se apresentando como políticos, no palco da vida
    O curioso é que roubam e se apropriam de propriedade numéricas e totalmente inúteis. São saldos em bancos e paraísos fiscais que nunca serão usados.
    Recentemente morreu no Rio de Janeiro um baluarte da corrupção. Deveria ser colocado em seu túmulo o seguinte epitafio: Um lugar no mapa; um nome de um otário nas paginas da vida,,, é o que resta daquele que foi, FULANO DE TAL

  3. Prezado Elmir,

    Também penso igual, que a chance de termos de reorganizar esta Nação passa por uma solução radical, apesar dos males, danos e prejuízos, em termos materiais e sociais!

    Porém não se faz omelete sem quebrar os ovos, diz o ditado.
    Do jeito que se encontra o povo;
    da forma como a corrupção se instituiu no Brasil;
    de acordo com a escória social que labuta nesta política deletéria e deplorável, somente se separarmos o joio do trigo ou eliminar as ervas daninhas de uma vez por todas.

    O problema é que o País se viraria contra o próprio País.
    Metade de um lado contra a outra metade.
    O risco é que se salvem exatamente aqueles que devemos eliminar, haja vista terem o poder nas mãos.

    Sair atirando a esmo ou querendo uma revolução de caráter único, tipo pobres contra ricos ou honestos contra os corruptos ou trabalhadores contra as castas, trata-se de um sonho de uma noite de verão,.

    Por quê?
    Pelo simples fato que não temos LÍDERES de verdade, mas impostos goela abaixo.
    Quem seguiria quem?
    Quem mandaria em quem?

    Pois até isso, uma revolução, é impensável para o povo!
    A nossa situação é mesmo caótica, parceiro.

    Abraço.
    Saúde e paz.

  4. Caro Bendl,
    com o seu talento,desse ênfase a figura de linguagem que escrevi sobre FLAFLU,, GRENAL,a pouco tempo aqui nesta Tribuna TI.

    Os barões da mídia,e seus “formadores”a maioria de torcedores fanáticos, não querem debater as estruturas diversas dos problemas que nos atinge,por razões até inconfessáveis.

    O FORTALEZA, futebol clube, é o único que apresenta planos, projetos, e lógica,pra termos
    o melhor Brasileirão..

    Forte Abraço…

  5. Não há nenhuma surpresa nisso. A mídia sempre foca nas críticas e isso é papel dela. Foi assim com Lula (em menor grau, pois o país estava navegando bem) e Dilma.

    No episódio da lava jato, então, colaborou bastante ao se calar diante de garantias constitucionais que foram ultrapassadas. Passou a ideia que a corrupção no Brasil era uma novidade. Os efeitos colaterais foram ignorados.

    Mas isso é do jogo, afinal de contas o que o povo gosta mais é de escândalos. É isso que interessa mais. Acontece aqui e no mundo todo, claro, nos lugares onde há liberdade de imprensa.

    Quem se interessa por assuntos espinhosos como reforma tributária, deficits públicos, reforma política e judiciária? Por um projeto de desenvolvimento do país?

    O que vende mais, o que mexe mais com as emoções, senão a divisão existente no Brasil?

    • Vidal, meu conterrâneo,

      Obrigado pela participação e texto.

      Creio não ter existido na TI dois antagonistas como somos um do outro e que se respeitam tanto, razão pela qual temos tido bons debates.

      Verdade, que antes a imprensa considerava as críticas às autoridades como objetivo principal mas, atualmente, a análise política deu espaço para o combate político.

      Parte torce para um lado, parte da mídia defende o outro.
      Não existe mais a isenção jornalística, a ética, o profissionalismo acima de partidos.

      Lula e Bolsonaro servem de exemplo do quero dizer com relação à imprensa que, de tanto os enaltecerem à disputa do Planalto em 2022, abafam possíveis candidaturas infinitamente melhores que esses dois meliantes.

      Por outro lado, discordo de ti sobre as “garantias constitucionais” que a mídia se calou durante a Lava Jato.
      Também a imprensa não passou a ideia que a corrupção era novidade, em face de episódios anteriores.

      O ineditismo que houve é que era flagrado um presidente da República roubando o País e o povo!
      Isso sim foi novidade, pois antes jamais uma autoridade deste nível tinha sido levada às barras de um tribunal, como aconteceu com Lula!

      Mais a mais, que “efeitos colaterais” foram esses, que mencionas?!
      Não vais me dizer que a Lava Jato foi a culpada pelo desemprego, crise na economia, ações da Petrobrás que tiveram seus preços despencados, propinoduto, corrupção instituída …

      Só falta essa, Vidal, por favor!

      Assim queres dizer que o Brasil só funciona através da corrupção!
      Mexeu nesta “instituição”, e temos graves problemas!?
      Que, se Lula continuasse roubando o Brasil e povo, que a nossa situação hoje seria melhor!!?

      Agora, até para se vender jornal deveria haver uma ética na imprensa, que inexiste hoje em dia.
      Se, indiscutivelmente, Bolsonaro e Lula são o que há de pior para o País, a mídia não deveria concentrar as suas manchetes em ambos mafiosos!

      A questão não estaria atrelada às emoções, mas a necessidade imperiosa de a corrupção ser combatida, pelo menos.

      Enfim, Moro, o juiz, hoje é o criminoso e Lula, o ladrão, o bandido, é o inocente e perseguido politicamente. até no âmbito do Judiciário.
      Logo, declarações de reconhecimento às falcatruas de Lula, porém Moro sendo acusado com mais veemência que o bandido verdadeiro, tornam-se inócuas, contraditórias, e mais ainda acirram esta polarização.

      Abração.
      Saúde e paz.

    • Caro Vidal, convenhamos, sentimentalismo extremo destrói a razão.

      Exemplo: Bolsonaro foi eleito justamente pelo sentimentalismo.

      Por falta de cultura e conhecimento,e educação escolar,o povão deixou levar se pelo vendedor de ilusões..

      Chega de PIEGUICE…

      Forte Abraço..

      • Caro Vidal, convenhamos, sentimentalismo extremo destrói a razão.

        Exemplo: Bolsonaro foi eleito justamente pelo sentimentalismo.

        Por falta de cultura e conhecimento,e educação escolar,o povão deixou levar se pelo vendedor de ilusões..

        Chega de PIEGUICE…

        Forte Abraço..

  6. Prezado Souza-POA/RS

    O Brasil não pode ficar à mercê de um radicalismo prejudicial, e canalizado por dois indivíduos nefastos e nocivos!

    Mais do que nunca precisamos de uma outra opção, antes que o Brasil acabe em definitivo.
    A questão, entretanto, ficou mais difícil ainda, pelo fato de a mídia querer esta disputa, impedindo que surja a tal terceira via tão necessária.

    Cabe a nós virar este jogo.

    Se nos deixarmos levar pela maré desta política deletéria e deplorável que ambos praticam, Lula e Bolsonaro, o fim desta País é inexorável, inevitável.

    Obrigado pelo comentário.

    Abraço.
    Saúde e paz.

  7. Excelente artigo, amigo Chicão Bendl. Boa parte da imprensa está realmente torcendo por um duelo entre os dois bandidos contumazes, Lula e Bolsonaro.

    O Supremo vergonhosamente também já fez a sua parte (imunda), lavando a nojenta barra de Lula para que este se apresente às urnas.

    E infelizmente a esmagadora maioria dos eleitores não vota por convicção própria, mas sim por influência “dos outros”.

    Para piorar, a existência da estúpida votação em dois turnos fortaleceu a jabuticaba podre que é o chamado “voto útil”.

    Então muitos vão às urnas para votar em um dos dois que tem “chances”. Ao invés de votarem com consciência de que escolhem o melhor.

    Para terminar: o sistema político brasileiro é vergonhoso e viciado, que me causa um nojo terrível. E parte da imprensa embarca nessa jogada porca.

    • Caro amigo Isac,

      Fiquei sem bateria no celular, então não pude completar a nossa conversa.
      Meu perdão, parceiro.

      Obrigado pelo apoio e comentário.

      Che, o que se poderia dizer que funciona neste País?
      Só o que não presta.
      Roubo, corrupção, política deletéria, impunidade …

      Nada que fosse honesto ou favorável ao povo existe no Brasil.
      Até a imprensa entrou neste tornado de malefícios ao Brasil e sua população, enaltecendo um combate para 2022, estilo filmes antigos de bang bang, como Matar ou Morrer!

      No entanto, se haverá “mortos” neste duelo entre Bolsonaro e Lula, será entre o cidadão, pois ambos sobreviverão à luta nas urnas, e sairão mais ricos do que já se encontram atualmente!

      O que podemos depurar desta situação atual, é que sequer a imprensa conseguiu evitar ser envolvida nesse mar de podridão política, pois levada de arrasto para entender que seria a sua salvação entrar neste jogo de cartas marcadas.

      Logo, esses interesses de sobrevivências acima da verdade, da realidade, da honestidade, da probidade, ocasionaram uma queda acentuada na credibilidade da mídia, que só existe em busca de dinheiro, e não mais à procura de notícias que ajudassem o Brasil a sair deste caos que se encontra.

      Evidente que as empresas de comunicação precisam se sustentar, ganhar dinheiro, lucrar, crescer, se expandir … evidente.
      Mas, ao oferecer seus préstimos e capacidade de divulgação de interesses governamentais, em troca de polpudas verbas oficiais para propaganda, a mídia optou por trocar a sua antiga confiabilidade por tendências e parcialidades nefastas e nocivas à Nação e ao povo.

      Ora, se nossos inimigos declarados são os poderes constituídos, e temos agora também atrás de nos a imprensa adulterando a verdade, e querendo impor uma realidade que a beneficie, pobre povo brasileiro!

      Abração, meu caro.
      Saúde e paz.

  8. Empresa jornalística também é empresa e inserida no mercado, portanto deve ser rentável.
    Sendo assim, sobrevive do que vende, e como em tempos de comunicação eletrônica, ficaram os métodos antigos ultrapassados e a venda de jornais e revistas nas bancas, já não bancam mais os custos, é necessário correr atrás de outro tipo de receita, ou seja a publicidade.
    Como todos sabemos, o maior anunciante de todos, sempre foi o governo e suas empresas, que historicamente tem bancado a mídia nacional.
    Nunca entendi porque empresas públicas detentoras de monopólios precisam de propaganda.
    Na verdade, acho eu, que a coisa funciona assim, o governante abre os cofres públicos para
    empresa fazer a propaganda, e as matérias jornalísticas passam a ser todas favoráveis ao poderoso de plantão.
    Qualquer semelhança com o procedimento de um ex condenado e agora inocentado, que inclusive já se manifesta candidato, acho que é mera coincidência o procedimento dele com a minha imaginação.
    Quando o atual inquilino do planalto chegou e cortou quase tudo, foi um deus nos acuda, o homem quase chegou a condição de ser declarado um proscrito tipo Adolf Hitler, até o epíteto de “genocida” tentaram lhe impingir, tudo em nome da abstinência do “ervanário” da viúva.
    Se Brizola fosse vivo, o que será que acharia disto tudo, pois o que Bolsonaro esta fazendo com a Globo, era o que ele imaginava que o lula faria quando foi eleito.
    Como não fez, ou fez tudo ao contrário, Brizola passou a dizer que havíamos caído no conto do operário. Será que foi mesmo?

  9. É isso aí amigo Bendl; a corrupção em um planeta de expiação e provas não acabará; mas, temos que combater tenazmente, incansavelmente de modo a diminuí-la a um nível que não nos de vergonha de sermos brasileiros.
    Trabalhei com muitos estrangeiros e vi fazerem aqui o que não faziam em seus países de origem.
    Logo, a diferença não são os cidadãos e sim os sistemas de controle e punição de forma a levar ao desencorajamento de maus hábitos.

    • Caro amigo Pereira Filho,

      Obrigado pelo comentário.

      A corrupção se tornou a instituição mais forte e enraizada no Brasil!
      Nada funciona sem que ela esteja presente ou determinando as regras e normas a serem cumpridas.

      O Legislativo é o exemplo e modelo característico e adequado, pois simplesmente sinônimo de corrupção.

      Ora, se o País não anda sem a maldita corrupção porque a maldita política a alimenta com fartura, o povo se deu conta que somente ele andar de passo certo não chegaria a lugar algum.

      Logo, a corrupção se alastrou como uma peste, a ponto que está incontrolável, além de influenciar poderosamente qualquer setor do País:
      da educação à economia;
      da saúde pública à segurança.

      O povo não tinha como se proteger desta contaminação porque totalmente sem imunizantes.
      Explico:
      Analfabetismo absoluto e funcional;
      sem capacidade de discernimento;
      sem senso crítico;
      sem saber a importância de civismo;
      alienado politicamente por causa de desinformação, temos hoje uma Nação à deriva e um povo perdido, sem rumo, sem norte, sem futuro.

      Vivemos por viver, porém se que a vida de milhões de pessoas tenha algum sentido, pelo contrário!

      Para desencorajarmos esses maus hábitos que te referes, Pereira Filho, só existe uma maneira:
      através de exemplos que venham, de cima!

      Quando servi o Exército, há mais de cinquenta anos, aprendi o seguinte:
      “O mandar se executa mas, o exemplo, arrasta!”

      Que tipos de bons exemplos as nossas autoridades nos têm deixado??!!
      Nenhum, nada, apenas e tão somente comportamentos deletérios e desonestos.

      Combater a corrupção significaria antes de qualquer outra medida dar educação ao povo.
      Pergunto:
      Como anda a educação/ensino no Brasil?
      NUNCA ESTEVE TÃO RUIM!!!

      Logo, se antes havia um enigma, cujas palavras eram:
      “Decifra-me ou te devoro”, o enigma brasileiro inverteu o enunciado:
      “Devoro-te para ser decifrado”.
      ???????????
      Como decifrar algo se os monstros nos devoraram??!!

      Em outras palavras, meu caro:
      Ou um milagre de proporções bíblicas para nos salvar ou não temos mais solução alguma!!

      Abração.
      Saúde e paz.

  10. Querido, estimado e respeitado Bendl, bom dia!

    Eu discordo muito respeitosamente de você quando diz: “os grandes veículos da Comunicação apoiam Lula”

    Onde está isso?

    Eu não acompanho as mídias como no passado acompanhando nas redes sociais grandes veículos e notáveis jornalistas dos principais grupos e mídias alternativas. E ainda das principais agências internacionais DW, FP, ATP…

    Hoje é dia sim, dia não, a ver alguns telejornais e acessar alguns portais de notícias e mídias alternativas.

    Em todos que assisto não há espaço dedidado a ele. Quando a Globo ou a CNN Brasil chamou Lula para falar? Foi convidado para entrevista no Roda Viva, matéria na 1ª página d grande jornal?

    Só vejo mesmo apoio ao Lula na mídia alternativa.

      • Prezado Leão,

        Obrigado pelo comentário.

        A personagem mais fotografada na história foi a falecida – que Deus a tenha! – Diana, Princesa de Gales.

        Pois afirmo, parceiro, que na história da imprensa brasileira ninguém ocupou mais as páginas dos jornais e espaços na TV que Lula!

        A bem da verdade, de maneira negativa, mas Lula está presente na mídia todo o santo dia.

        Queres mais exposição que as estatísticas que colocam Lula à frente de Bolsonaro nas pesquisas para o Planalto em 22?

        Um abração, Leão.
        Saúde e paz.

        • Francisco Bendl, que tb não tem bandidos de estimação, ao que parece, está repleto de razão. Foi uma das suas melhores, mais profícuas e mais imparciais manifestações que já vi por aqui, nos últimos dez anos.

          • Leão,

            Não precisavas ser irônico comigo.
            Sei da tua simpatia por Lula, mesmo com os danos e prejuízos que nos ocasionou.

            Neste aspecto, ser justo com o ex-presidente é ser injusto com o povo, pois como não considerar os crimes cometidos pelo petista, tanto consciente quanto inconscientemente?

            Logo, a mídia deveria esquecer Lula, mas não é o que acontece.
            Não há dia que o ex-presidente não seja notícia, ainda mais quando enfatiza ( a imprensa) que é o único com possibilidades para vencer Bolsonaro.

            Agora, não tenho mesmo bandido de estimação.
            No entanto, sei avaliar e mensurar o mal praticado em comparação com outros cometidos por antecessores e sucessores de Lula.

            Várias vezes publiquei que o petista merece o reconhecimento dos trabalhadores, pelo fato de reajustar o Salário Mínimo acima da inflação, devolvendo parte do seu poder aquisitivo.

            Lembro que se queria que o salário chegasse a cem dólares, que seria uma vitória do povo.
            Pois bateu 300 dólares no governo de Lula.

            Hoje, o dólar a 5,30 o Mínimo vale pouco mais de 200 dólares porque o vice-presidente Mourão afirmou que o culpado pela crise econômica quando Bolsonaro assumiu era o reajuste concedido ao Mínimo pelo PT!!

            Tento escrever sempre a verdade, Leão. Muitas vezes de acordo com o meu pensamento. Em outras porque basta observarmos os fatos, para se conseguir a realidade brasileira.

            Outro abraço.

            O pobre já perdeu 33% do poder de compra, a economia segue em crise e sem perspectiva de reagir!

  11. Diversas vezes escrevi aqui que meu candidato à sucessão é o CIRO. Entretanto, é dificílimo fazer o povo pensar numa terceira via, dado que os eleitores, em sua arrasadora maioria, são fanáticos. Lula é o único que poderá tirar a presidência das mãos do boçal que está no planalto. COM TODOS OS SEUS DEFEITOS, LULA É MIL VEZES SUPERIOR AO BOÇAL.

    • Prezado Antônio,

      Obrigado pelo texto e participação.

      Por favor:
      Pobre Nação, que depende de um ladrão, de um bandido, para que outro corrupto e delinquente não seja reeleito!!!

      Che, que baile de bruxas que nos metemos!
      Morto por ter cão, morto por não tê-lo.

      Abraço.
      Saúde e paz, parceiro.

  12. Ching Ling,

    Olha, parceiro, a situação nacional está tão confusa, que ninguém mais entende ninguém.

    Somos uma espécie de renovação da Torre de Babel, onde cada poder e instituição falam línguas diferentes, e a imprensa a sua também.

    A questão da mídia brasileira depois da devolução do poder aos civis pelos militares, teve o seu início alvissareiro – deixa eu escrever desse jeito.
    Reportagens investigativas, descobertas de escândalos, informações preciosas ao povo.

    Mas, a inflação detonou com a economia, e Collor ratificou a gravidade do momento quando confiscou o dinheiro em conta e a poupança do cidadão, a título de acabar com o mal que corroía salários e faturamentos empresariais.

    Os grandes beneficiários da inflação foram os bancos, que nunca antes ganharam tanto dinheiro quanto naquele período de oito anos, de Sarney, Collor, e parte do governo de Itamar, até o surgimento do Plano Real.

    A mídia se ressentiu dessa magreza econômica, até se dar conta que havia um veio de ouro a ser explorado, desde que oferecesse seus préstimos em níveis maiores que os anteriores, para divulgação de “obras” governamentais, e notícias que interessassem o governo vigente.

    Lula aceitou a oferta. Abriu as torneiras, que jorraram verbas para publicidade oficial em profusão, e nunca antes visto no País.
    Dilma fez o mesmo.
    Os petistas criaram o monstro, e deveriam alimentá-lo cada vez mais.

    O fim da era Lula e Dilma foi também o fechamento das torneiras de verbas publicitárias por Bolsonaro.
    Diga-se de passagem, um erro crasso, da forma como foi levado a efeito esse rompimento, à base de acusações e ódio.

    A mídia jamais poderia ser inimiga de qualquer governo. Mas, Bolsonaro, empolgado pelas redes sociais que o colocavam na ponta das pesquisas, entendeu que a imprensa não mais faria falta, e a elegeu como sua inimiga número um, principalmente a Globo.

    Para quem não se lembra, acredito que a Globo passou a ser considerada inimiga dos militares, independente do quanto os auxiliou quando no poder, a partir do momento que foi lido no Jornal Nacional um pedido de desculpas pela empresa ter apoiado o golpe contra Jango.

    De amiga íntima para inimiga foi um estalar de dedos.
    Bolsonaro trouxe consigo este repúdio à Rede Globo por este pedido de desculpas.
    O resto já sabemos em que pé está este relacionamento.

    Obrigado pelo comentário.

    Abraço.
    Saúde e paz.

  13. Bendl, parabéns pela utilíssima e integral análise que elaboraste, cujo fecho é um claríssimo brado de alerta:

    “Assim, se Lula for eleito ou Bolsonaro reeleito, deve-se culpar especialmente a imprensa, por ter se desviado de sua importantíssima missão social. É muito triste essa situação.”

    Parabenizo também os comentaristas que agregaram ao texto palavras e pensamentos magníficos, que propiciaram o Bendl enriquecer a análise feita.

    • Caro Celso,

      Obrigado pelo comentário e participação.

      Apesar de todos nós termos culpas em cartório sobre a situação do Brasil atualmente, a bem da verdade uns tem mais e outros têm menos responsabilidades.

      Em razão do poder de divulgação e atingir os quadrantes nacionais, a imprensa hoje não presta um bom serviço à Nação, pois enfatiza uma polarização que só nos prejudica e aumenta a crise que se instalou no País.

      Conforme escrevi acima, pobres de nós, que estamos à mercê de dois meliantes como candidatos à presidência, sem que haja uma terceira opção, pois a mídia abafa esta pretensão.

      Independente de a imprensa precisar se manter, de necessitar de dinheiro, ela jamais poderia prescindir da verdade, da isenção, da ética profissional de veicular verdades e não opiniões ou de publicar notícias tendenciosas, pois precisa de verbas para se manter.

      Se, para a imprensa, Lula eleito é muito melhor que Bolsonaro, para o Brasil e seus cidadãos é péssimo!
      Da mesma forma, se Bolsonaro for reeleito, que pode agradar uma parcela da mídia, para o povo seria a continuidade de uma tragédia já conhecida.

      Logo, deveria haver a preocupação de um outro nome, e caberia aos veículos de comunicação enfatizar esta possibilidade, menos indiretamente vetar a chance de surgir um outro candidato que não tivesse tantos defeitos, erros e crimes, como os têm Lula e Bolsonaro.

      Abração.
      Saúde e paz.

  14. É importante registrar também o seguinte:

    A TV Globo é apenas uma concessionária de serviço público, de competência da União, de radiodifusão de sons e imagens, vide art. 21, inciso XII, alínea a, da Constituição.

    Além disso, essa concessão pode não ser renovada e, por isso, extinta, conforme prevê a Lei nº 8987, em seu art. 29, inciso IV, ato previsto no art. 175, parágrafo único, inciso I, da Constituição.

    As irregularidades da TV Globo, inclusive nas simulações de transferência do controle acionário, já foram mais do que evidenciadas em artigos aqui neste Blog, tais como em http://www.tribunadainternet.com.br/sai-de-cena-o-empresario-roberto-irineu-marinho-que-livrou-o-grupo-globo-da-ameaca-de-falencia

  15. Prezado Franco,

    Obrigado pelos comentários.

    Por essas e outras que postaste, que mencionei ser a Globo odiada por Bolsonaro.
    Não só as fortunas transferidas para pagamento de propaganda oficial, mas pelo fato de a Globo ter pedido desculpas em pleno ar, por ter apoiado os militares no período de exceção.

    Certamente foi uma das causas que a emissora recebeu tanto dinheiro do governo petista, conforme está sendo agora repudiada por Bolsonaro.

    No entanto, faz-se necessário também acusarmos o congresso porque lhe cabe a tarefa constitucional de fiscalizar o governo, função que não exerce porque tem muito mais a ganhar negociando com o Executivo, que cumprir com a sua obrigação.

    Abraço.
    Saúde e paz.

    • Prezado Rocha, meu amigo e professor,

      Grato pela tua participação e comentário sempre sensato e equilibrado.

      Concordo contigo, que a próxima eleição tem mesmo esse cunho de plebiscito que mencionaste oportunamente.

      A questão será o povo entender sobre a necessidade de outra opção, que não seja a dupla do mal, do retrocesso, da corrupção.

      Trabalho árduo, difícil mas, caso não começarmos a trabalhar, Bolsonaro ou Lula comandará este País esfacelado, esgualepado, destroçado pela imoralidade, falta de ética e incompetência.

      Abração, parceiro.
      Saúde e paz.

  16. Um olhar acurado, Chicão!
    Assino!

    A mídia deveria mudar de nome para média!!

    Brigam com unhas e dentes por verbas milionárias do governo que afinal das contas é o nosso dinheiro. É grana pra dar com pau e levanta qualquer defunto. (Sem trocadilho, rsrs…)

    Pouquíssimos são os jornalistas ou comentaristas políticos que são independentes.

    Temos os Blogs honestos e imparciais como é a nossa grande TI.
    Temos pessoas interessantes no YouTube, que pedem por um brasil melhor, e estão fora dessa dicotomia, não aceitam o vértice lula, bolsonaro!
    Estes meios atingem hoje milhões de pessoas e muitos pensam como nós.
    HÁ DE SURGIR UM NOME, CHICÃO!
    Não é possível que as amarras sejam tão fortes!!

    Há também um jornalismo muito interessante feito pelo O Antagonista, um jornalismo inovador e INVESTIGATIVO!
    Trazem à baila assuntos importantíssimos que rolam por debaixo dos panos que só eles descobrem, considero particularmente, um excelente trabalho.

    Voltando a falar na “grande média”, estão todos falidos e as eleições é a salvação para estes conglomerados da “informação”.
    Portanto só podemos esperar por parcialidade pra um lado ou pro outro. Estão se lixando pro Brasil, estão viciados na grana e pronto!
    Poucos são os jornalistas dentro dos mesmos que tem o direito de se expressar imparcialmente, geralmente estão ainda empregados porque tem que existir o contraponto pra não serem chamados de chapa branca.

    O sbt é a record são chapa branca descaradamente, a rede tv, também.

    Obs: A Raquel Cherazade rodou bonito do sbt por discordar do crápula do silvio santos.
    O bispo macedo, dispensa comentários.

    Isso sem falar nos institutos de pesquisas, são uma piada!! (de mau gosto)

    Lamentavelmente o país está loteado sempre pros mesmos, os que roubam e se beneficiam de um lado e vice-versa!

    Como sempre pagamos a conta é ficamos com as migalhas, o país está atrasado CEM ANOS, mas como diz o Sr. Carlos Newton, quem se interessa?

    O povo já responde como republiqueta e nos dão o prato pronto, só podemos escolher no A ou no B. Na verdade são exatamente os mesmos e parafraseando a dilma, “quem ganhar ou perder, nem vai ganhar ou perder… parecia ilógico, mas pensa bem, até que a tarja preta acertou nessa. rsrs

    Caro Chicão, o povo pensante tem que arranjar uma terceira via DE QUALQUER MANEIRA!!

    Nada de ciro, isso é mais do mesmo!

    Temos que encontrar alguém neste atoleiro, ou o país (nós) não vai aguentar.

    É inadmissível ter que ir até as urnas votar num LADRÃO LOUCO ou num LOUCO LADRÃO!!!

    Um forte abraço e muita paciência pra aturar toda esta loucura.

    José Luis.

    • Caro José Luis, meu amigo,

      Achei genial mudar o nome de mídia para média!
      Perfeito.

      De fato, os grandes veículos de comunicação perderam as suas credibilidades que tinham anteriormente.
      Mas, ainda são eles que formam opiniões e informam a maioria do povo, enquanto as redes sociais operam um grupo restrito de pessoas com bem mais poder aquisitivo e tempo para lidar com seus computadores e smartphones.

      O povão ouve as outras pessoas, vê na TV à noite os noticiários, então toma partido sem maiores preocupações com a realidade brasileira.
      Resultado:
      são essas pessoas/eleitores que darão a vitória ao candidato que ela NÃO escolheu, mas conforme as estatísticas e tendências mostradas nas pesquisas e comentários de jornalistas políticos.

      Quanto a encontrarmos uma terceira via “DE QUALQUER MANEIRA”, lembro que temos graves problemas que impedem essa procura, lamentavelmente:
      o principal, a educação;

      O analfabetismo absoluto e funcional;
      o desemprego;
      a desesperança com as autoridades;
      a miséria e a pobreza;
      a falta de dinheiro;
      a corrupção como instituição e a mais poderosa de todas que temos, também são fatores que levam o povo a votar ou na forma de protesto ou naquele que tem chances de vitória.

      Por outro lado, a necessidade de se ganhar algum dinheiro durante a campanha eleitoral, também contribui à reeleição dos mesmos, pelo fato de haver recursos disponíveis para gastar na divulgação de uns e outros mais abastados.

      Esse pessoal pede que seus familiares, parentes, amigos e conhecidos, votem no candidato que está sendo divulgado, ocasionado uma outra barreira complicada de ser transposta para um novo nome.

      Escrevi anteriormente que a próxima eleição será entre Lula e Bolsonaro.
      O tabuleiro das peças está pronto; os ingressos já foram vendidos para este confronto;
      não termos ninguém agora e até às eleições, que obtenha a atenção dos interessados nesta disputa entre Lula e Bolsonaro.

      Se temos de trabalhar, deveremos começar imediatamente para 2026, tempo hábil e suficiente para lapidarmos um candidato capaz de enfrentar aquele que sobrou do duelo tão esperado.

      Se Bolsonaro se reeleger, ele estará fora da disputa em 2026;
      Se lula for o vencedor será derrotado porque não conseguirá erguer o Brasil e tirar o povo da miséria e da pobreza que se encontra, além de aumentar a já poderosa e invencível corrupção.

      Muito obrigado pelo interessante comentário e participação.

      Tua análise é incontestável, porém a realidade que nos cerca determina que ainda teremos mais 4 anos de sofrimento, padecimento, dores e falta de esperança, e após as eleições de 22.

      Seis anos é muito tempo para uma Nação que se encontra em frangalhos, necessitando urgentemente ser reerguida e motivada para enfrentar novos desafios.

      No entanto, ainda não temos essa razão que nos impulsione para apoiar uma terceira força.
      Ciro poderia ser esta opção, mas entendo a sua imagem desgastada e sem a necessária densidade eleitoral.

      Mesmo assim, na falta de outra opção voto nele, pois na dupla de bandidos é impossível.

      Um forte abraço, parceiro.
      Saúde e paz.

  17. Renato,

    O Brasil está vulnerável para qualquer tipo de guerra, seja híbrida ou não.

    As décadas de 30 e 40 não podem servir de exemplo para esse interesse americano que relatas sobre o Brasil.
    Nos anos 30, a Grande Depressão, ocasionada pela quebra da Bolsa em 29, arruinou os americanos.
    Não fosse o notável F.D.Roosevelt e seu New Deal, os Estados Unidos não seriam nem sombra do que foram e ainda são no cenário mundial.

    Na década de 50, depois do fim da Guerra da Coréia, em 53, o Tio Sam se recolhia à sua casa com o mundo lhe devendo até as calças.
    Europa e Ásia estavam nas suas mãos, passando a ser o dólar a moeda mundial para transações comerciais pelo seu poder e estabilidade.

    Logo, o Brasil nessa época experimentava o doce gosto da industrialização por Vargas, e com o auxílio dos americanos, nossos aliados na Segunda Guerra Mundial.

    Os anos cinquenta foram conhecidos como a época de ouro para os Estados Unidos.
    Indústria, comércio, forças armadas, influência mundial, cinema, moda, cultura, religião, rebeldia dos jovens através do rock, graves protestos com relação ao preconceito racial norte-americano com seus próprios cidadãos negros.

    A década de sessenta, sim, trouxe preocupações aos americanos por causa da Revolução Cubana.
    Em 61, a Aliança para o Progresso foi um programa de auxílio para o desenvolvimento latino-americano, com a intenção de refrear o avanço do socialismo no continente, elaborado por John Kennedy.

    No entanto, em 62, ano seguinte, o mundo esteve perto da 3ª Guerra Mundial com a crise dos mísseis soviéticos instalados em Cuba.
    A atenção do Tio Sam voltou-se em definitivo para a guerra fria, iniciada com a construção do Muro de Berlim, em 61.

    Portanto, longe dos americanos quererem impor a sua práxis ao Brasil e à nossa mídia.

    Em 65, estoura a Guerra do Vetnã, roubando a atenção dos Estados Unidos na sua totalidade absoluta.
    Os 10 anos de duração deste conflito enfraqueceram os americanos tanto interna quanto externamente.

    Paralelamente à guerra no sudeste asiático, o Brasil era tomado pelos militares, apoiados pelo Tio Sam, em 64.
    O Brasil não seria mais preocupação para os Estados Unidos na política.

    Enfim, sem querer me alongar em demasia, quero refutar esse interesse imenso dos americanos sobre o Brasil e nosso povo, mormente a mídia que te referes.

    Se observares com mais atenção, a imprensa nacional sempre teve um pé na esquerda tradicionalmente.
    Nossa posição política midiática sempre foi de rebeldia, contestação, de protesto.

    Mais:
    na década de sessenta, logo no seu início, Brizola, governador do RS, encampou a comunicação e a energia elétrica, comandada pelos americanos, criando uma crise entre os Estados Unidos e Brasil.

    Outro aspecto:
    O primeiro veículo montado no país foi o Fusca, e não um carro americano.
    Outro veículo de grande sucesso foi o DKW, também alemão.
    Os caminhões Alfa Romeu tiveram o nome substituído pelo FNM, Fábrica Nacional de Motores.

    Enquanto os caminhões e camionetes Ford e Chevrolet mantinham seus mercados, a Mercedes Benz aporta com seus veículos a diesel, e toma conta das estradas nacionais.

    O cinema americano também sofria com a concorrência do cinema europeu, principalmente o italiano e francês.
    Sofia Loren, Gina Lolobrígida, Cláudia Cardinalli, Brigite Bardot, se tornaram pedras nos sapatos das atrizes americanas.

    Apesar de belas, as americanas não eram tão voluptuosas quanto às estrangeiras; não tinham a mesma sensualidade e sex appeal das europeias.
    O filme mais comentado por décadas a fio foi E Deus Criou a Mulher, em 56, despontando para o mundo a estonteante Brigite Bardot.

    Em termos de música, a década de sessenta, o Brasil se viu invadido pelas canções românticas italianas, e versões do rock americano.
    Para fazer frente ao avanço americano, tivemos a Jovem Guarda e o Movimento Tropicália.

    No cinema, tivemos o início do Cinema Novo, um marco cultural brasileiro de importância transcendental.
    A seca nordestina, a miséria do País, o desprezo governamental pelos mais pobres, foram trazidos à tela com esplendor jamais visto.
    Glauber Rocha, Nelson Pereira dos Santos, Ruy Guerra, Cacá Diegues, Joaquim Pedro de Andrade … fizeram um trabalho ímpar, magnífico, de muita importância histórica e cultural.

    A literatura nacional mostrou a sua pujança nas décadas de 50 e 60:
    Monteiro Lobato;
    Cecília Meireles;
    Carlos Drummond de Andrade;
    Clarice Lispector;
    João Cabral de Melo Neto;
    Graciliano Ramos;
    Mário Quintana;
    Guimarães Rosa;
    Érico Veríssimo;
    Jorge Amado …

    A título de informação e curiosidade, em termos de literatura internacional, os Prêmio Nobel de Literatura de 1.950 até 1.970, houve somente DOIS AMERICANOS como vencedores:
    Hemingway e Steinbeck.

    União Soviética = 4;
    Reino Unido = 2;
    Japão – 1;
    França = 4;
    Israel = 1;
    Guatemala = 1;
    Suécia = 1;
    Islândia = 1;
    Grécia= 1;
    Irlanda = 1;
    Espanha =1;
    Itália -1.

    Enfim, os Estados Unidos jamais tiveram esta influência que lhes atribuem os opositores.

    O nosso complexo de vira-latas não se originou na imprensa, mas no meio político.

  18. Caro Renato,me sinto feliz- exteciado,os meus pitacos escrito no mês passado,veio a baila hj.com roupagem cartesiana.

    Sim,com argumentos robustos,o seu texto reflete a geopolítica e guerra híbrida mantida pelo Tio Sam,contra China,e Rússia, Brasil,e quem se atravessar no seu caminho.

    Claro usando seus agentes internos e externos,para nos travar o nosso crescimento nos commodities,na construção,e o nosso querer ser protagonista…
    Exemplo: intermediar o acordo nuclear Irã X EUA.

  19. A meu ver, Bolsonaro, não os representa, pois, não é confiável,e está em rota de colisão com atual Tio Sam.

    Para mim, vão apostar no aliado Sérgio Moro,com apoio do FHC, Armênio Praga,ambos representantes do George Soros,e sua urna eletrônica.

    Claro, Bolsonaro,que de bobo não tem nada,sabe que o pai da urna eletrônica é o Soros,que garantiu FHC,duas vezes…

    O Lula, é quebrou o acordo…
    Pergunta a q.q especialista em informática o que nuvem…

    O Doutor Leonel BRIZOLA,tbem sabia da nuvem proconsut..

    Só não entendo,talvez por ser provinciano,tem colegas que não reconhece esses movimentos,o pior, são agentes,talvez,inocentes multiplicadores dessa mesma ordem.

    PS: isso, são realidades dos fatos..

  20. Caro Bendl,

    Está de brincadeira.

    CIRO GOMES,com imagem desgastada..

    Sem densidade..
    É brincadeira.
    Já desembarcou das idéias e projetos.

    CIRO GOMES, é um NACIOLISTA,que luta em três frentes.

    A saber,contra o Lula, e Bolsonaro,ambos treinados pelo Tio Sam,como Bin Laden,foi.
    Ambos tomaram rumos diferentes.

    Por,isso, CIRO,diz,a vitória do Bolsonaro,foi a negligência do Lulopetismos com o povo..

    Bom domingo…

  21. Prezado Souza-POA/RS,

    Usei a palavra desgastado me referindo à sua imagem nos veículos de comunicação e, em algumas oportunidades não lá muito boas, tendo em vista o jeito de Ciro.

    Sobre a sua densidade eleitoral, na última eleição Ciro apenas venceu no Ceará, razão pela qual não foi para o segundo turno.

    Por outro lado, tenho escrito que Ciro é a outra via que precisamos para impedir que Lula e Bolsonaro disputem o Planalto entre eles.
    Mas, em meu juízo, será difícil dourar a pílula, nessas alturas, pois Ciro tem também contra si alguns episódios nada recomendáveis como alguém que deveria se mostrar pacífico e mais tolerante com aqueles que dele discordam.

    Fui sincero e honesto nas minhas observações, Souza, pois Ciro tem seus defeitos, e ocultá-los ou omiti-los será um tiro no pé.

    No entanto, suas qualidades superam as arestas que possui e a sua personalidade um tanto quanto explosiva.
    Não foi por nada que o PDT contratou um marqueteiro para diminuir as reações de Ciro.

    Concordo com Ciro – até porque não é dele esta conclusão, que o lulopetismo foi negligente com o povo.
    Bolsonaro foi eleito para que tirássemos o PT do governo, porém a decisão era sobre a corrupção, e não a negligência com o povo.

    Ciro usou de um eufemismo para com Lula, pois seria ruim para ele afirmar que o petista Haddad perdeu em razão da corrupção avassaladora do PT, que a institui nos governos onde foi maioria.

    Agora, precisamos realçar a capacidade de Ciro.
    Se nos prendermos para discutir a personalidade e o caráter do pedetista, auxiliaremos ou Bolsonaro ou Lula como vencedores em 2022.

    Creio que será a partir da honestidade e franqueza que deveremos comentar sobre Ciro, que poderão ajudá-lo a subir nas pesquisas, assim como postar as verdades já conhecidas do povo a respeito de Ciro serão entendidas como transparência.

    Considera que estou do teu lado nesta empreitada, Souza, porém tenho a minha visão a respeito, enquanto tens a tua sobre o mesmo tema.
    Não podemos nos digladiar sobre o mesmo candidato que, lá pelas tantas, pode ser o único com alguma chance de impedir a eleição ou reeleição do atual presidente ou do ex-presidente.

    Bom domingo, junto aos teus amados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *