Caso Queiroz faz Carlos e Eduardo Bolsonaro preencherem redes sociais com silêncio e ironia

atacam STF após ação da PF contra aliados

Eduardo e Carlos fingem que não está acontecendo nada

Deu no Globo

O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos) e o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL) escolheram maneiras diferentes para administrar publicamente a repercussão da prisão de Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, irmão dos dois parlamentares.

Carlos preferiu não se manifestar por meio das redes sociais, nas quais é bastante ativo. No Twitter, fez uma série de publicações sobre ações dos ministérios da Educação, Economia e Infraestrutura.  No Instagram, manteve a mesma linha de discurso, afastado do problema.

MESMA TÁTICA – O irmão Eduardo Bolsonaro usou a mesma tática e também escreveu sobre medidas do governo que considera positivas, direcionando elogios à ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e ao ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Jorge Oliveira Francisco.

Sobre Queiroz, Eduardo se limitou a republicar dois conteúdos. Um deles, criado por outro usuário, afirma que a filha do juiz Flávio Itabaiana, da 27ª Vara Criminal do Rio, trabalha no gabinete do governador Wilson Witzel (PSC), adversário político da família Bolsonaro. Natália trabalha, de fato, para o governo fluminense, mas na Casa Civil. O pai dela foi quem decretou a prisão de Queiroz.

Em uma segunda publicação, também compartilhada de outro usuário, Eduardo endossou uma piada sobre a operação contra Queiroz, mais especificamente sobre o cartaz com os dizeres “AI-5” encontrado com ele em Atibaia, entre outros objetos. “Expectativa: Achar malas de dinheiro. Realidade: Um cartaz velho e uns bonequinhos”. A brincadeira foi originalmente feita pelo influenciador bolsonarista Luiz Galeazzo, que já foi cotado para um cargo na Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) da Presidência.

FLÁVIO SE DIZ TRANQUILO – Dos três filhos de Bolsonaro em carreira política, só Flávio, diretamente envolvido no caso Queiroz, se manifestou. Ele afirmou que encara os acontecimentos “com tranquilidade” e que a prisão teve como objetivo atacar o presidente.

A primeira-dama Michelle Bolsonaro, que já não costuma abordar temas políticos em suas publicações no Instagram, escolheu amenidades para encerrar o dia. Ela fez um breve tutorial para ensinar seus seguidores a falarem algumas expressões utilizando a Língua Brasileira de Sinais

3 thoughts on “Caso Queiroz faz Carlos e Eduardo Bolsonaro preencherem redes sociais com silêncio e ironia

  1. A estratégia da “velha política” ensina: Quando a situação fica preta, a saída é submergir” Senão veja o exemplo de Renan Calheiros.

  2. O que está acontecendo é a histeria e regozijo por parte dos jovens, vitimados por anos de dominação petralha nas escolas e universidades, e dos saudosos da cleptocracia de outrora, com o “breaking news” do momento, a rachadinha do queiroz…novidade que alimenta há 3 anos essa imprensa rola bosta que junto aos petistas e afins, insistem em acusar, somente. Não se conclui nada.. só a difamação, especialidade da orcrim.
    Está patente que a justiça brasileira, em todas as instâncias, encontra-se contaminada pelos desmandos do STF. O exemplo vem de cima.
    Quem vigia o vigia?

  3. Os filhos puxaram o pai em materia de covardia. Essa familicia banca de machoes diante das bolsonaretes, mas na vida pessoal sao um bando de medrosos e provavelmente estao todos borrados de medo. Nao ficarei surpreso se esses dois e o papai Bozo estao ate mesmo se escondendo debaixo da cama.

Deixe uma resposta para Renato Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *