Dilma, Aécio, Pimentel… Os políticos mineiros não são mais os mesmos…

Resultado de imagem para dilma aecio e pimentel

O PSB fez um cartaz gozando seus adversários

Eliane Cantanhêde
Estadão

Minas Gerais é um dos três principais Estados da Federação e tinha fama de ser, historicamente, o maior celeiro de políticos matreiros e competentes do País, as tais “raposas políticas”. Porém, se o Rio vive um caos e a eleição presidencial é uma grande interrogação, a situação de Minas não é nenhuma maravilha e a campanha no Estado é igualmente incerta.

Terceira maior economia do País, segunda maior população e segundo maior eleitorado (quase 11% do total), Minas continua sendo definidor de eleições presidenciais, mas seus principais partidos estão machucados e seus mais lustrosos líderes políticos andam em maus lençóis, devendo muitas explicações à Justiça, à Assembleia, à opinião pública.

SURPRESAS – Diferentemente de São Paulo e Rio, Minas aparece pouco na grande mídia e, em 2014, as análises políticas partiam de duas premissas: Dilma Rousseff ganharia no Nordeste e Aécio Neves levaria fácil em Minas, mas ele perdeu no primeiro e segundo turnos no seu Estado e seu candidato ao governo, Pimenta da Veiga, sofreu derrota fragorosa. Para arrematar, a aposta de Aécio perdeu feio, dois anos depois, para a prefeitura de Belo Horizonte.

De outro lado, Dilma ganhou no Nordeste e em Minas, seu Estado de origem, apesar de ser gaúcha por adoção, e seu ex-ministro, conselheiro e amigo Fernando Pimentel levou o governo e assim dividiu o “Triângulo das Bermudas” pelos três principais partidos: São Paulo manteve o PSDB, Rio continuou com o agora MDB (apesar de tudo…) e Minas foi do PSDB para o PT.

TERCEIRA VIA – A guerra entre PT e PSDB é particularmente encarniçada em Minas, mas o resultado é que quem levou a prefeitura da capital em 2016 foi o empresário e dirigente desportivo Alexandre Kalil, do insignificante PHS, que se tornou o mais lustroso “outsider” da eleição no País, apresentando-se como apolítico e apartidário.

Kalil é, assim, o maior exemplo de que em Minas não se fazem mais políticos como antigamente, ou como Afonso Arinos, Milton Campos, Gustavo Capanema, Juscelino Kubitschek, Tancredo Neves e Itamar Franco, que tinham lá suas idiossincrasias, mas com imensa liderança ou matreirice política.

Os ex-governadores e ex-presidentes do PSDB Eduardo Azeredo e Aécio Neves estão mal, um com o pé na prisão, o outro réu no Supremo. E a Assembleia Legislativa acaba de acatar o pedido de impeachment do petista Fernando Pimentel, candidato à reeleição contra o ex-governador tucano Antonio Anastasia, caçado a laço pelo presidenciável Geraldo Alckmin. A contragosto, ele cedeu.

CASO ANASTÁSIA – E por que tanto empenho do PSDB por Anastasia? O PT reina no Nordeste, o Rio virou a casa da mãe Joana, Álvaro Dias capitaliza o desencanto com Aécio no Sul e Jair Bolsonaro embrenhou-se pelo Centro-Oeste. Alckmin só terá chance se, além de recuperar São Paulo, conquistar Minas – algo que nem Aécio conseguiu.

Como complicador tanto para tucanos quanto para petistas, Dilma Rousseff resolveu aproveitar o jeitinho do Senado, que lhe cassou o mandato, mas manteve a elegibilidade, e quer disputar o Senado por Minas, apesar de alternar residência entre Rio e Porto Alegre. Se tende a tirar votos do PSDB, ela já entra rachando a aliança entre PT e MDB.

VICE IDEAL – Depois do impeachment de Dilma e do colapso político de Aécio, os dois mineiros do segundo turno de 2014, sobra como consolo para Minas ser ainda o Estado mais cobiçado na escolha de vices. O empresário Josué Gomes da Silva é o melhor exemplo.

De um Estado-chave, dono de uma das maiores fortunas do Brasil e filho do vice de Lula, José Alencar, ele se filiou a um partido, o PR, e tem tudo para ser o vice ideal e salvar a imagem da política mineira em outubro. Só falta o principal: querer.

4 thoughts on “Dilma, Aécio, Pimentel… Os políticos mineiros não são mais os mesmos…

  1. MÍDIA AMA “SALVADORES DA PÁTRIA”, DESDE QUE ENDINHEIRADOS. “De um Estado-chave, dono de uma das maiores fortunas do Brasil e filho do vice de Lula, José Alencar, ele se filiou a um partido, o PR, e tem tudo para ser o vice ideal e salvar a imagem da política mineira em outubro. Só falta o principal: querer.” Por que será que a mídia e os partidos sente tesão por esse tipo de gente, supostamente endinheirada e compra fácil o bordão segundo o qual “porque é rico não precisa roubar”, valendo lembrar que não tem pobres envolvidos nos esquemas do famigerado “Petrolão”. Eleição deveria ser questão de méritos, e não de dinheiro, ou seja, do ser mais preparado e não do ter mais dinheiro. Dona Eliane, pelo visto, ainda não entendeu nada, e talvez já esteja flertando com uma possível boquinha de assessora de imprensa do mineiro endinheirado. E essa coisa de siglas é tudo bobagem, porque a corrupção que faz a diferença, que move grande parte do eleitorado e vence eleições, segue sempre o rastro do dinheiro, esteja ele onde estiver. Já fiz esse teste. Aqui no sudoeste-paulista, onde malufistas, tucanistas e pemedebistas são os reis do pedaço, o PT era o partido mais rejeitado, ninguém queria saber do infeliz, como ainda não quer. Daí eu sugeri, a um dos dirigentes do PT, coloque o fulano de tal que tem fama de rico, e o seu PT será o partido mais amado do seu município e não deu outra o cara topou, o eleitorado cativo da direita encheu as urnas com o número 13, que dizem dar azar. Isso aconteceu há cerca de 20 anos, e até hoje o cara continua dono do eleitorado local, agora noutra sigla, pelo PSDB. Basta. Chega dos me$mo$. Fora todo$. Democracia Direta Já, com meritocracia eleitoral. Lula só chegou à presidência, e se tornou o melhor e mais popular presidente do país, mundialmente reconhecido, porque passou a usar os mesmos métodos da direita: dinheiro, dinheiro, dinheiro…, senão continuaria elegendo quando muito meia dúzia de gatos pingados, a moda PSOL, o filhote, uma espécie de campeão moral, que, nas eleições mercenárias, só leva bola nas costas. É o $istema, como diria C.N., o Capitão Nascimento.

  2. MINEIROS CRIEM VERGONHA NA CARA E NÃO ELEJAM DE FORMA NENHUMA ESSAS 3 FIGURAS:
    – AÉCIO, DILMA E PIMENTEL.

    SÃO 3 BANDIDOS QUE MERECEM IR PARA A CADEIA!

  3. Corrigindo o educado texto: “Como complicador tanto para tucanos quanto para petistas, Dilma Rousseff resolveu aproveitar o jeitinho do Senado, que lhe cassou o mandato, mas manteve a elegibilidade…” o jeitinho do criminoso Renan unido ao “notável saber jurídico” do seu Lewando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *