Enfraquecido pela CPI e com rejeição em alta, tendência de Bolsonaro é radicalizar cada vez mais

Bolsonaro xinga de vagabundo quem, via Butantan, fornece 80% das vacinas que o Ministério da Saúde distribui

Imagem reproduzida do domtotal.com

Merval Pereira
O Globo

A investigação da CPI sobre a ação do governo na pandemia só tende a piorar e a cada momento que mais gente vai falando por lá, vemos que perdemos quase um ano com as vacinas. A ideia de Bolsonaro de que o Brasil é um mercado tão grande que poderia impor o preço que queria é pequena e absurda, de uma pessoa que não entende nada de negociações internacionais.

Não tem como a CPI ser boa para o governo. A tendência é Bolsonaro reagir, assim como Flavio Bolsonaro tumultuou quarta-feira, ao acusar Renan Calheiros de vagabundo, tudo para preparar a viagem do pai a Alagoas, onde ele repetiu o xingamento.

RADICALIZAÇÃO RETÓRICA – O agravamento da situação de Bolsonaro vai corresponder à radicalização, e o perigo é que, do discurso, ele tente passar aos atos. Mas diante do que está acontecendo, da previsão de que a economia não vai se recuperar e da pesquisa Datafolha em que ele já está abaixo de 30 por cento de apoio e perde fácil para Lula, não vejo como tenha condições políticas de fazer nada além da própria retórica.

Não vejo como possa afrontar o Congresso, o Supremo Tribunal Federal, como já foi sua intenção. Além do mais, o Centrão vai aos poucos sair da base do governo.

O PSD de Gilberto Kassab saiu e já está conversando com Lula. Vamos ver a debandada este ano. E em 2021, quando começar a campanha eleitoral, Bolsonaro estará com uma base política muito fragilizada.

3 thoughts on “Enfraquecido pela CPI e com rejeição em alta, tendência de Bolsonaro é radicalizar cada vez mais

  1. Lido no oantagonista:

    ‘Sou imorrível, imbrochável e também sou incomível’, diz Bolsonaro.

    – Pasmem, mas esse Jumento é nosso presidente!

    • A ascenção de Lula, nas últimas pesquisas eleitorais, pode ser explicada por esta nem só tendência, mas também compulsão da gente brasileira.
      -Todos nós exigimos que a Justiça seja draconiana, mas no lombo alheio. Se a transgressão for cometida por nós, ou por alguém nosso, aí o tratamento deve ser aplicacado “no modo” humanizado ou até mesmo relaxado: “Ah, coisas piores a gente vê por este mundo de meu Deus!”
      E Lula, embora não seja PhD, em coisa nenhuma, conhece muito bem a ISCA que atrai o povo REFLETIDO e o seu outro REFLETOR, a MÍDIA mercenária e libertina.
      -Give The People What They Want – dêem às pessoas aquilo que elas querem. Música de Albert Griffithis. Lulinha é um exímio, na habilidade de fazer concessões, sem cobrança rigorosa dos retornos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *