Lewandowski dá cinco dias para manifestação de Bolsonaro e Queiroga sobre cronograma da vacina

Última atualização no calendário foi feita em 19 de março

Rayssa Motta
Estadão

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu cinco dias para que o governo federal preste informações sobre a divulgação do cronograma de recebimento de doses de vacinas para Covid-19. Foram encaminhados ofícios ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e ao ministro da Saúde Marcelo Queiroga.

O pedido de esclarecimentos foi feito em uma ação movida pela Rede Sustentabilidade, que pede ao tribunal que obrigue o governo a atualizar o calendário de entregas dos imunizantes comprados, disponibilizado no site do Ministério da Saúde, pelo menos a cada 15 dias. O partido argumenta que os números defasados comprometem a programação de governadores e prefeitos. A última atualização foi feita em 19 de março.

EMERGÊNCIA – Em despacho nesta terça-feira, dia 20, o ministro afirma que pediu informações do governo em razão da ‘importância da matéria’ e da ‘emergência de saúde pública’. “Solicitem-se prévias informações ao Presidente da República e ao Ministro de Estado da Saúde, no prazo de 5 (cinco) dias, sobre os pedidos formulados”, escreveu Lewandowski.

O governo está sob pressão para ampliar o ritmo de vacinação na fase mais crítica da pandemia. Por falta de doses, algumas cidades chegaram a interromper as campanhas de imunização. Depois de alterações sucessivas no cronograma de entrega das vacinas, o Ministério da Saúde chegou a dizer ao Estadão que não iria mais divulgar a previsão de doses que espera receber a cada mês. Na sequência, o ministro Marcelo Queiroga contrariou a informação repassada por sua assessoria de imprensa e disse, em entrevista no Rio de Janeiro, que o cronograma ainda será divulgado.

5 thoughts on “Lewandowski dá cinco dias para manifestação de Bolsonaro e Queiroga sobre cronograma da vacina

    • HORA 7: Covid: cientistas listam 10 razões que indicam transmissão pelo ar.
      https://noticias.r7.com/saude/covid-cientistas-listam-10-razoes-que-indicam-transmissao-pelo-ar-22042021
      PS.
      Diante da falta de perspectivas mundiais para erradicação desse específico vírus e sabedor(mídia) que o Parque Industrial Tupy é o único isento desse vírus em atividade, pergunto já sugerindo, um especializado estudo da composição do ar persistente na região que ao ser inalado inibe a existência e propagação do vírus na comunidade alí residente.
      PS. Sem sombra de dúvidas, deve-se à então agora bendita ACIDEZ do meio ambiente!
      PS. Sabedores e de posse da formula dessa “composição” porque não borrifar os demais bairros, municipios, cidades e estados brasileiros e quiçá outros paises, para erradicação(anular) esses vetores?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *