Novo ministro da Justiça terá a ousadia de interferir na Polícia Federal?

Torquato e Temer sonham em “enquadrar” a PF

Júnia Gama, Fernanda Krakovics e Jailton de Carvalho
O Globo

Convidado para o Ministério da Justiça, o ministro da Transparência, Torquato Jardim, sinalizou a ministros e interlocutores do presidente Michel Temer que terá um controle maior sobre o comportamento da PF de agora em diante. O novo ministro, no entanto, não definiu se isto significa uma troca no comando da Polícia Federal (PF).

Ao presidente Michel Temer, Torquato disse que pretende conversar com o diretor-geral da PF, Leandro Daiello, antes de tomar qualquer decisão sobre a permanência dele no cargo. Segundo relatos, o futuro ministro da Justiça disse ao presidente que ainda não tem informações suficientes para um diagnóstico sobre a situação da PF e que não quer fazer nenhum gesto sem saber dos detalhes da situação interna na corporação.

TEMER RECLAMA – Após se tornar alvo das investigações, Temer passou a dizer que há excessos por parte da Polícia Federal e que eles devem ser corrigidos. O presidente demonstrou forte incômodo, por exemplo, com o fato de a PF ter tentado tomar diretamente seu depoimento semana passada na investigação que apura a delação do dono da JBS, o empresário Joesley Batista. Para o presidente, é preciso combater o “voluntarismo de interpretação” na PF.

Entidades de classe criticaram a troca de comando no Ministério da Justiça e manifestaram preocupação com o que consideram uma tentativa de controlar a operação Lava-Jato. Em nota, a Federação Nacionais do Policiais Federais afirma esperar que o novo ministro “gerencie sua pasta com imparcialidade sem qualquer tentativa de interferência nas investigações da PF, especialmente na Operação Lava-Jato”.

Já o presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), Carlos Sobral, disse que a mudança pode ser a senha para uma eventual intervenção política na PF, com o propósito de esvaziar a Lava-Jato e outras investigações sobre corrupção.

NOMEAÇÕES – Tudo depende do novo ministro. “Não só o diretor geral, mas todo o comando da instituição. Quem nomeia essas pessoas é o ministro da Justiça. A troca do comando da instituição pode gerar atrasos, interferências ou interrupções nas investigações” — afirmou Sobral.

O delegado lembra que, em recentes diálogos captados a partir da delação de executivos da JBS, os senadores tucanos Aécio Neves (MG) e José Serra (SP), ambos investigados na Lava-Jato, foram flagrados articulando a saída de Osmar Serraglio da Justiça. Segundo Sobral, um ministro da Justiça pode interferir de várias maneiras para enfraquecer a atuação da polícia. Uma delas é com o corte de verbas para grandes operações. Outra, é a indicação política para cargos estratégicos da instituição.

O novo ministro da Justiça deve ser pressionado por alas do governo que defendem um “freio de arrumação” no órgão, responsável pelas investigações da Lava-Jato: “Em algum momento vai ter que mexer naquilo, não dá para ficar como está” — afirmou um auxiliar de Temer.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Em tradução simultânea, há um clima de grande suspense. Será mesmo que o novo ministro da Justiça terá a ousadia de interferir na atuação da Polícia Federal, uma instituição que se tornou orgulho dos brasileiros? É difícil de acreditar, mas tudo é possível nesse governo que caminha para o abismo político. (C.N.)

15 thoughts on “Novo ministro da Justiça terá a ousadia de interferir na Polícia Federal?

  1. Na justificativa que enviou ao STF para manter em sigilo as provas referentes à colaboração premiada da Odebrecht, o procurador-geral da Republica, Rodrigo Janot, abriu o jogo: o objetivo da PGR é ajudar a destruir a maior empresa brasileira de engenharia no mundo inteiro.

    A atuação do PGR explica a reação desesperada dos donos da JBS, os irmãos Batistas.

    O Estado brasileiro perdeu qualquer sentido de responsabilidade sobre a segurança econômica do país. Nada mais importa a não ser subsidiar a mídia com um novo espetáculo, não importa o grau de destruição que isso possa acarretar para a economia brasileira.

    … é evidente que nenhum acordo internacional pode ser fechado não apenas sem monitoramento constante do Ministério da Justiça, autorização do legislativo e um mínimo de debate junto à sociedade civil organizada.

    Há um ponto essencial nessa história: os ministérios públicos do mundo inteiro são estritamente submetidos a seus respetivos governos, os quais estão se deliciando pela oportunidade grátis de destruir a Odebrecht e prestar serviço às suas empresas locais de engenharia.

    A Odebrecht tinha consolidado negócios no mundo inteiro. Destruir isso é de uma estupidez que flerta diretamente com traição ao interesses nacionais.

    É realmente incrível que a PGR tenha orgulho de trair o mais importantes e estratégicos interesses econômicos nacionais.

    Miguel do Rosário

    https://goo.gl/SqQxFC

  2. -TERÁ SIM, pois quem manda no Brasil é o CRIME ORGANIZADO, que jaz infiltrado em todos os níveis dos Três Poderes.

    Veja um exemplo:

    “Pela 1ª vez, detentos do DF serão beneficiados por saidão de festa junina. Período de liberdade vai entre 9 e 12 de junho. Medida foi autorizada pela Vara de Execuções Penais para cumprir regra que autoriza 35 dias de liberação durante ano.”
    Fonte: http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/detentos-do-df-serao-beneficiados-por-saidao-de-festa-junina.ghtml

  3. Triste deste País. Você olha para um lado e estão as quadrilhas dos traficantes, olha para o outro lado esta a quadrilha dos políticos. Estamos fadados ao fracasso.

    • Eu diria que o exército existe, mas não sei se podemos contar com ele. Já houve declarações de seu comandante exaltando o amor a patria e coisa e tal, mas me pareceu pura retórica. Quando chega a hora do pega pra capar (when the rubber hits the road) a coisa é outra. Vamos ver.

  4. Políticos bandidos em desespero, parecem ser águias mas agem como galinhas.

    A polícia Federal é apenas uma fração da Lava Jato, que na maioria das vezes obedece determinações judiciais sob provocação do MPF.

    Tentar deter a PF, todos tentaram, sempre fracassaram.

    Mesmo que cortem mais verbas da PF, o Juiz pode com parte de valores recuperados, alocar recursos para cobrir as despesas. O Dr. Sérgio Moro já “bancou” várias operações neutralizando a máfia que luta contra a Lava Jato.

    Esse tal Torquato, será mais um a quebrar a cara.

    Temer é vergonhoso, um Zumbi, que tem a estatura de uma ameba, e em breve será lembrado pela beleza de sua mulher, somente por isto.

  5. No Brasil, quando as coisas funcionam bem, vem um político e faz porcaria. Mexer na PF porque se vem fazendo um ótimo trabalho, e é confiável? só pode ser para proteger os investigados.

Deixe uma resposta para luis fernando Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *