Para variar, a palestra de Bolsonaro na Hebraica foi altamente polêmica

Resultado de imagem para bolsonaro na hebraica

Bolsonaro disse que “fraquejou” e teve uma filha 

Thais Bilenky e Lucas Vettorazzo
Folha

Membros da comunidade judaica condenaram o clube A Hebraica do Rio por dar espaço para o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) dar uma palestra na segunda-feira (dia 3). O presidente da Confederação Israelita do Brasil, Fernando Lottenberg, considerou a iniciativa um erro. “Como era previsto, provocou divisão e confusão. Defendemos o debate pautado pela pluralidade”, disse.

O evento com o deputado, que se diz pré-candidato à Presidência, lotou o auditório da Hebraica, com capacidade para 500 pessoas. Entre outras passagens, Bolsonaro disse que tem “cinco filhos, quatro são homens, no quinto eu dei uma fraquejada, veio uma mulher”.

REFUGIADOS – Criticou a presença de refugiados no país, disse que quilombola “não serve nem para procriar” e procurou criar identificação com a plateia. “Nós somos a maioria, acreditamos em Deus. A cultura judaico-cristã está em nosso meio.”

Foi aplaudido diversas vezes e chamado de “mito”. Mas cerca de 150 pessoas protestaram com gritos como “judeu sem memória”, em alusão a Hitler. Bolsonaro chamou os manifestantes de “cérebro de ovo cozido”.

O presidente da Federação Israelita do Rio, Herry Rosenberg, afirmou que “é perigoso quando resolvemos nos unir a outros fora de nossa comunidade para nos manifestarmos contra um problema de política comunitária. Pode levar a uma exposição negativa”. A fala foi recebida por alguns como crítica ao protesto.

NÃO FOI BEM ASSIM – Uma advogada disse numa rede social que a manifestação foi mais pacífica do que a mensagem que saiu do salão.

O presidente da Hebraica-RJ, Luiz Mairovitch, disse estar “aberto a ouvir ideologias A ou B, importante é conhecer os perigos ou benefícios que um político pode trazer. Não adianta fingir que ele ou tal ideologia não existe”.

17 thoughts on “Para variar, a palestra de Bolsonaro na Hebraica foi altamente polêmica

  1. A julgar pelos dados é apena mais uma triste imitação de Trump. É muito preconceito, ignorância e desinformação junta.
    O pior é que dá resultado. A médio ou longo prazo…
    Só rezando…

  2. Só esperando o avião do Bolsotário cair, se preciso for …

    Bom de prender ele mais o Wyllys juntos numa solitária pra um só.


    “Estão às minhas costas um velho com cabelos nas narinas,
    E uma menina ainda adolescente e muito linda.
    ….
    E ouço as vozes,
    Os dois me dizem,
    Num duplo som:

    É chegada a hora da reeducação de alguém
    Do Pai do Filho do Espírito Santo amém
    O certo é louco tomar eletrochoque
    O certo é saber que o certo é certo
    O macho adulto branco sempre no comando
    E o resto ao resto, o sexo é o corte, o sexo
    Reconhecer o valor necessário do ato hipócrita
    Riscar os índios, nada esperar dos pretos”
    -Caetano Veloso

  3. Bolsonaro vacilou feio. Então ele não sabe que tá cheio de malandro interesseiro de plantão de “olho” no que ele diz para poder fazer um estardalhaço e faturar uma graninha???

  4. “””“é perigoso quando resolvemos nos unir a outros fora de nossa comunidade para nos manifestarmos contra um problema de política comunitária. Pode levar a uma exposição negativa”. “”””‘

    …nos unir a outros fora de nossa comunidade””……

  5. A covardia de Bolsonaro em não revidar a cusparada com um soco na boca do deputado que lhe cuspiu na cara, acabou com a sua carreira política, a meu ver.

    Se fosse condenado a perder o mandato, teria apenas interrompido o seu caminho no parlamento, mas recuperando-o ali adiante. Mantendo-se omisso, e não ter defendido a sua honra e dignidade, comprova que não tem a menor condição de ser presidente do Brasil, pois é capaz de ser ofendido e agredido em outros países quando for visitá-los e não fazer nada, colocando o Brasil em cenários de chacotas e pilhérias.

    Agora, a atitude bestial do parlamentar, imperdoável, repudiável, abjeta, pois se trata da maior ofensa que um ser humano pode causar ao próximo, deveria ser investigada a fundo.

    O deputado com nome de jipe deve ter mantido um acordo prévio sobre cuspir no Bolsonaro, onde atingiria as manchetes nacionais e teria espaço suficiente para seus lamentos e queixas de desigualdades sociais e homofobias, que percebe em todos os locais por onde anda.

    A cuspida do porco não foi contra um colega que supostamente detesta, foi contra o heterossexual, a família, as tradições, princípios e valores cultivados que confrontam esse tipo de vida sem compromisso e obrigações com o país e com as outras pessoas, levadas pela besta parlamentar que deseja implementar seus métodos entre o povo e nação!

    Consequentemente, a cuspida teve outras conotações, que foi um golpe contra aqueles que não aceitam mais um parlamento corrupto e desonesto, promíscuo e irresponsável, incompetente e perdulário!

    A lamentar que, se o Brasil não tem pena capital, que adotasse a Lei de Talião, e este parlamentar abjeto teria a sua língua cortada!

  6. Querem ficar de paz com praticamente todos e sem terem qualquer problema de serem considerados parciais ?
    É só chamar para outra palestra aquela besta humana do “Jean Willys”. Imagino que será uma tortura para quem for assistir, ao menos para quem tenha QI acima de uns 120, mas fica marcada uma neutralidade e uma, digamos, total liberdade de expressão para a sociedade Hebraica. ,

  7. Concordo, Sandoval.

    Se a Sociedade Hebraica convidou Bolsonaro para uma palestra e ele foi vaiado e criticado por alguns hebreus, que faça o o mesmo e por justiça ao wyllys.

    O deputado, que representa as minorias, conforme alega, e que embolsa também os judeus no Brasil, deve apresentar suas ideias e convicções, de modo que a avaliação seja adequada e correta entre duas formas distintas de se viver:
    Ordem e Progresso ou Desordem e Propina!

    Atualmente, qualquer deputado e senador representam incontestavelmente a segunda possibilidade, incluindo Bolsonaro, que aceita ser cuspido por uma besta sem qualquer reação, em comportamento que não se pode dizer civilizado, mas indigno e revoltante, covarde e inaceitável!

    Ainda há tempo de revidar a agressão e desferir uns socos bem dados no imundo e porco parlamentar, pois este apenas teve uma repreensão, uma chamada à atenção, que deve “evitar” este tipo de confronto com quem não ama, com quem não simpatiza, com quem não concorda.

    O mandato que vá às favas, pois o caráter vale muito mais que oito anos sem ser parlamentar, mas concede a primazia de se andar nas ruas sem ser chamado de covarde e de escarradeira humana!

Deixe uma resposta para Antonio Rocha Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *