Ricardo Salles defende os madeireiros e diz que pressão dos ecologistas aumenta desmatamento

Ricardo Salles, o Ministro da Destruição Ambiental | Exame

Ricardo Salles imita Bolsonaro e não diz coisa com coisa

Pedro do Coutto

Numa entrevista a Camila Mattoso, Folha de São Paulo, o ministro Ricardo Salles afirmou que a pressão em favor do meio ambiente na Amazônia está sendo indevida e funcionando para aumentar o desmatamento ilegal.

O ministro, adversário do meio ambiente, disse que pela primeira vez na história, um grupo que dá as caras pode ser chamado de organização criminosa. Ricardo Salles  criticou a demora na investigação sobre apreensão recorde de madeiras no Pará e afirma que informações dos empresários são coerentes sobre legalidade

Para Salles, não tem sentido não termos respostas conclusivas depois de mais de 100 dias da madeira ser apreendida. O chefe da PF do Amazonas, Alexandre Saraiva, disse o contrário e afirmou que todo o material apreendido é produto de crime e que as investigadas não são empresas, mas uma organização criminosa.

“DENTRO DA LEI” – Salles respondeu a Alexandre Saraiva, dizendo que é preciso investigar atentamente para não confundir o produto de ações ilegais com ações legais. O ministro se disse surpreso com a atuação de Saraiva. Para o ministro, com base em documentos que lhe foram entregues pelos desmatadores, o abate das árvores foi feito dentro da lei. O superintendente acha o contrário. Salles acrescenta mais um problema com suas palavras, lançando-o no colo da Presidência da República.

A questão do clima e do meio ambiente preocupa a comunidade internacional com grande intensidade, pois à medida que o desmatamento avança, crescem também as preocupações e as tensões.

ABONO –  Em sua coluna de ontem, no O Globo, Ancelmo Gois publica que o professor Marcelo Neri, da FGV Social, afirmou que o impacto do abono de emergência de R$ 250 durante quatro meses contribuirá para reduzir a miséria no país na escala de 10,3%.

Mas ainda assim, frisa Ancelmo Gois, existem 4,5% de paupérrimos. Pessoalmente afirmo, um abono de R$ 250 em quatro meses não pode reduzir a miséria que abrange milhões de brasileiros. A afirmação de Neri não pode sequer levado a sério.

A crise, portanto, com o Congresso, com o STF, com os generais do Alto Comando e com os representantes do meio ambiente mostram que Bolsonaro encontra-se em uma solitária ilha cercada  de problemas muito graves.

9 thoughts on “Ricardo Salles defende os madeireiros e diz que pressão dos ecologistas aumenta desmatamento

  1. Por todo canto a coisa tá feia:
    A amazônia sendo desmatada
    As cidades virando lixo
    Bandidos que roubam e matam
    E agem como se fossem bicho

    Falo sério, é só sofrimento
    Tá na hora de dar um basta
    Já não há paz nem alimento
    E vivemos divididos em castas:

    O pobre se tornou mais pobre
    O rico se tornou mais rico
    A corrupção virou coisa nobre
    E preocupação maior dos políticos

    Êta, merda! Quando é que isso acaba?

  2. Isso acontece porque ele NUNCA soube governar. É um principiante, ignorante e sem a menor vocação para o comando. Um fracassado. Precisamos urgentemente começar a pensar em colocar alguém que saiba o que é necessário fazer para administrar o país do caos. E que saiba se assessorar de pessoal com conhecimentos técnicos.

    • Essa fala do Ricardo tem endereço certo:
      O ministro do Meio Ambiente está advogando para o presidente e marcando o terreno para derrubar o delegado Saraiva que faz um bom trabalho na fiscalização do desmatamento da Amazônia.
      Ele não dá um passo, que não seja casado com o chefe. Isso no Rio de Janeiro é chamado de pau mandado, um tremendo de um puxa- saco de galocha.
      E o pior ministro do Desambiente da história republicana. Já somos um Paris ambiental mundial.
      Defende os madeireiros e os poluidores, que despejam metais pesados nos Rios amazônicos em garimpos também ilegais, em busco do ouro tupiniquim.
      Se Alexandre Gusmão soubesse disso, ficaria muito triste e com certeza não assinaria o Tratado de Madri, que nos legou aquelas terras verdes para além do Tratado de Tordesilhas.

    • Írio.
      A maioria dos políticos, mentem descaradamente, a verdade não pode ser dita, somente as versões, as mais terríveis que a gente pode imaginar.
      Da minha parte, não tenho nenhum político de estimação, para chamar de meu. Não sou burro de carga, nem cavalo para ser montado. Agora, não tenho nada a ver com aqueles que seguem malucos, cada um sabe, aonde o calo está apertado.

  3. O mito colabora para o enxovalhamento do nome do Brasil a cada dia que mantém este ministro no cargo. E qual é o motivo para tal encanação com o cara? O mito tem tanto medo assim da censura do guru da famiglia? Este Sales é tão amigo dos filhos do “mito”?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *