Saiba por que o Dieese erra repetidamente quando calcula o preço da cesta básica

Políbio Braga

Há muitos anos a Agas, que representa os supermercados do RS (o Estado tem o maior número de habitantes/supermercados do País) opõe restrições aos resultados anunciados pelo Dieese para os preços da cesta básica.

Na quarta-feira, o Dieese revelou que Porto Alegre foi a campeã do País. Acontece que os economistas da Agas debruçaram-se sobre os preços dos 13 itens que compõem a cesta básica e constataram que Porto Alegre não é a campeã, mas ocupa a sétima posição.

É uma denúncia muito séria. O que há ? É que o Dieese compara o mesmo produto com quantidades e tipos diferentes. É como comparar banana com laranja.

O editor conversou com Antonio Longo, presidente da Agas, que fez questão de ressaltar a importância do serviço do Dieese, mas reclamou mais uma vez da falta de atenção em relação às colocações que faz há muitos e muitos meses.

As razões do desconforto da entidade também dizem respeito à própria composição da cesta básica, montada há 60 anos:

– Artigos de higiene, como papel higiênico, sabonete e pasta de dentes, não podem continuar de fora da cesta básica, assim como manteiga não pode continuar dentro.

Traduzindo: o primeiro passo é repensar o que realmente compõe o que poder-se-ia chamar de cesta básica. Simples assim. Depois, então, é que vamos calcular a evolução.

(Do Blog do Polibio)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *