Temer é como Dilma: participou de tudo, mas ainda quer bancar o “inocente útil”

Resultado de imagem para temer charges

Charge do Jota A. (Portal O Dia/RJ)

Deu na Folha

Um dos ex-executivos da Odebrecht afirmou em sua delação premiada que o presidente Michel Temer comandou em 2010, quando era candidato a vice-presidente, uma reunião em São Paulo em que se acertou o pagamento de US$ 40 milhões de propina relativos a 5% de um contrato da empreiteira com a Petrobras. Em termo por escrito entregue aos investigadores e em depoimento gravado em vídeo, Márcio Faria da Silva diz que o encontro aconteceu no escritório político de Temer em São Paulo, em Alto de Pinheiros, no dia 15 de julho de 2010, às 11h30.

O ex-executivo, então presidente da Odebrecht Engenharia Industrial, braço da empreiteira responsável por obras industriais no Brasil e no exterior, conta ter ficado impressionado com a naturalidade com que a propina foi cobrada.

NA CABECEIRA – O dirigente da empresa relata que além de Temer, que se sentou à “cabeceira da mesa”, participaram da reunião Rogério Araújo, outro executivo da Odebrecht, e os então deputados federais Eduardo Cunha (RJ) e Henrique Eduardo Alves (RN), todos do PMDB, além do lobista João Augusto Henriques.

“Foi a única vez em que estive com Michel Temer e Henrique Eduardo Alves e fiquei impressionado pela informalidade com que se tratou na reunião do tema ‘contribuição partidária’, que na realidade era pura propina”, escreveu Márcio Faria no termo que entregou aos investigadores.

No vídeo de seu depoimento, o ex-executivo da Odebrecht diz que só ficou sabendo que o escritório era de Temer ao chegar ao local. Ele disse que chegaram a conversar amenidades e que ele chegou a perguntar a Temer como era lidar com Dilma Rousseff, pessoa considerada “complicada”.

OS DOIS RAPAZES – Segundo seu relato, Temer afirmou que qualquer problema com ela seria resolvido pelos “rapazes”, Eduardo Cunha e Henrique Alves. “Sinalizando para o colo dele, disse que os dois rapazes iam resolver os assuntos necessários de interesse do PMDB.”

Márcio Faria diz que na reunião não se falou em valores, “mas ficou claro que se tratava de propina com relação à conquista do contrato e não uma ‘contribuição de campanha'”. “Totalmente vantagem indevida, porque era um percentual em cima de um contrato. Era um percentual de um valor determinado no contrato”, reforça no depoimento gravado em vídeo.

Outros delatores da Odebrecht confirmaram a versão de Márcio Faria, com a apresentação de documentos de pagamentos no Brasil e no exterior.

IMUNIDADE – Em dezembro a Folha revelou que o ex-executivo havia citado a participação de Temer em 2010 em uma reunião para tratar de doações à campanha eleitoral do PMDB daquele ano em troca de facilitar a atuação da empreiteira em projetos da Petrobras.

O contrato era no âmbito do PAC SMS, da segurança ambiental da estatal em dez países. A Odebrecht Engenharia Industrial, presidida à época por Faria, era responsável pelos contratos de prestação de serviço do projeto para a área de negócios internacionais da Petrobras.

No despacho que pede abertura de investigação sobre o senador Humberto Costa (PT-PE) e outros envolvidos em suposta corrupção envolvendo o programa PAC SMS, a Procuradoria Geral da República poupa Temer citando artigo da Constituição Federal que veda a investigação do presidente da República na vigência de seu mandato sobre atos estranhos ao exercício de suas funções.

CUNHA CONFIRMA – Preso em Curitiba sob acusação de envolvimento no esquema da Petrobras, o ex-deputado Eduardo Cunha chegou a fazer um questionamento formal em sua defesa sobre se Temer tinha conhecimento de “alguma reunião sua [dele] com fornecedores da área internacional da Petrobras com vistas à doação de campanha para as eleições de 2010, no seu escritório político, juntamente com o sr. João Augusto Henriques”.

Na época, o juiz Sergio Moro, que conduz a Lava Jato na primeira instância, indeferiu essa e outras 20 questões que não foram encaminhadas a Temer, pois, segundo o magistrado, eram “inapropriadas”.

A Secretaria Especial de Comunicação da Presidência afirmou em nota que “o presidente Michel Temer jamais tratou de valores com o senhor Márcio Faria” e que “o presidente contesta de forma categórica qualquer envolvimento de seu nome em negócios escusos”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Como no filme estrelado por Marilyn Monroe, Dilma Rousseff nunca foi santa; Michel Temer, também. Junto com Lula, os dois se perderam na noite suja da corrupção. Se o genial dramaturgo Plínio Marcos ainda estivesse por aqui, certamente ficaria muito decepcionado com o transformismo do PT, que traiu os trabalhadores para se fingir de “zelites”. Quanto ao PMDB, só prestou até a época de Ulysses Guimarães. Depois dele, o dilúvio, com a queda do helicóptero. Até hoje estamos órfãos, porque Brizola também morreu e Carlos Lupi não cabe dentro da cova política .  (C.N.)

8 thoughts on “Temer é como Dilma: participou de tudo, mas ainda quer bancar o “inocente útil”

  1. Isso só está acontecendo no Brasil, o maior escândalo de corrupção do universo, porque o brasileiro é muito omisso, passivo e aceita tudo !

    Era pro povo estar invadindo as ruas e pedindo renúncia total dos políticos !!!

    Espero que a Greve Geral do dia 28 de abril seja massiva e ao menos pressione esses corruptos !

  2. E ai Nelson Rodrigues? Toda unanimidade ainda continua sendo burra? Então o que dizer dos políticos brasileiros que em 3 anos de lava jato ainda não apareceu um, um só que assumisse qualquer culpa no caso, São unanime e declaradamente INOCENTES.
    Alem de serem todos condenados pela roubalheira ainda deveriam ser penalizados pela falta do mínimo de vergonha na cara, principalmente aquele que diante de todas as evidências e dizem que também provas, vive arrotando inocência, o tal de lula.

  3. Não podemos culpar o Temer pela nossa situação desesperadora. Todos os setores essenciais foram dizimados pela ambição criminosa dos políticos ladrões. Se voltássemos ao tempo de Luis XVI, muitas cabeças rolariam. Mas o Brasil continua perdido no tempo, com o povo inseguro, doente e afetado pela imoralidade dos que deveriam dar exemplo de retidão. Não temos Justiça, nem Legislativo nem Executivo, mas insistimos em chamar essa merda de sistema de governo de Democracia.
    Então será o que teremos.

  4. É uma vergonha, quer dizer que os delatores são todos mentirosos, estão delirando, estão malucos e inventaram tantas histórias, será que esta cambada de políticos pensam que nós somos idiotas, sabemos que quando pedem propina não é pago em cheque ou depósito, a não ser lá no exterior em países onde não há tanta investigação, é preciso acabar com estas notas que o noticiário dá, nos causa asco ver repórteres na tv dizendo que eles dizem que tudo é normal, as contas foram aprovadas, que não sabia a origem do dinheiro, doação de 100 milhões, 50, 30 ou 10, é muito dinheiro, espero que esta justiça coloque esta corja toda na cadeia, mas que devolvam tudo que roubou, agora isto eu sei,estou delirando.

  5. NR, assino, o PDT de Lupi, é lixo, onde andam os descendentes de Brizola?? PT, PMDB, PDSB, PDT, PP, e penduricalhos, associados em quadrilha hedionda, como as 7 pragas do Egito, a devastar com suas imoralidades, e transformar o Brasil em grande Senzala, de 220 milhões de escravos, e corja de mil como amo e senhores, até quando meu Deus, somos um povo pacifico, e mantemos a Esperança, de tua intervenção, para sairmos desse oceano de lama de forma a não haver derramamento de sangue.
    Trio do terror, que transformou o Brasil em republiqueta democradura. formando a pior quadrilha hedionda. Almas trevosas, o Ranger de dentes, vos espera no além túmulo.

Deixe uma resposta para Roberto Marques Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *