Tudo indica que é hora de se pensar na adoção do regime parlamentarista

Charge reproduzida do Arquivo Google

Willy Sandoval

Desconsiderando a questão política, que realmente deixa o Presidente Temer numa situação insustentável, mas há o receio de que esse modo de agir das autoridades policiais e judiciárias esteja jogando o Brasil dentro de um regime fascista em que ninguém (principalmente agentes públicos) poderá falar absolutamente sobre nada (até mesmo porque também já existe a ditadura do politicamente correto). Considerando ainda que o Brasil é um país com legislação concebida dentro da lógica da criação de dificuldades para venda de facilidades, essa estrutura toda, dentro de um ambiente policialesco, vai travar de vez o desenvolvimento socioeconômico. A não ser que se fizesse uma nova Constituição e legislações complementares que diminuíssem drasticamente o poder do Estado sobre a sociedade.

PAÍS TRAVADO – É mais do que óbvio que daqui para frente teremos uma país cada vez mais travado para negócios e para o progresso. Quanto aos irmãos Batista, a principio eles podem pensar que se deram muito bem, um verdadeiro golpe de mestre. Mas em pouco tempo vão acabar se enroscando no suposto paraíso, os EUA, porque estão acostumados a fazer maracutaias e lá o buraco é muito mais embaixo quando se trata de Justiça.

Infelizmente, todo o dinheiro do BNDES utilizado para se fortalecer os “campeões nacionais” terá sido jogado fora. Em pouco tempo esses marginais vão passar o controle do império para algum grande grupo americano ou de outro país.

PARLAMENTARISMO – Para a estabilidade política e institucional, a melhor solução seria antecipar a adoção do regime parlamentarista. Temer deveria pedir que o Congresso escolhesse um líder, através da formação de maioria parlamentar, que poderia fazer o papel de primeiro-ministro.

O presidente Temer continuaria com o poder de direito e para efeitos protocolares, mas o poder de fato seria exercido por esse líder, enquanto o Congresso estivesse aprovando as mudanças constitucionais para a implantação ou não do regime parlamentarista de forma definitiva a partir de 2018, após um necessário plebiscito ou referendo para o povo chancelar essa importante mudança. Mas o fato é que o presidencialismo não dá mais.

27 thoughts on “Tudo indica que é hora de se pensar na adoção do regime parlamentarista

  1. Parlamentarismo, voto distrital, mudar para Marte,
    NADA vai funcionar enquanto esses vigaristas remanescentes do passado tenebroso (hoje conta também) do Brasil….

    Temos é que manter a Lava Jato operante, ir as ruas impedir que esses VIGARISTAS continuem tendo pleno direito gestor sobre a nossa Pátria…

    Foram Desmascarados !! BASTA !!!
    Hora de expulsar a corja!!!
    Inclusive os rebentos da corja que vem surgindo, na miúda…

  2. Willy Sandoval,

    Foi muito apropriado o seu artigo pois temos que lidar com aquilo que é possível e o Parlamentarismo é a única alternativa que temos. Hoje um presidente é eleito com mais de 50 milhões de votos e depende totalmente de um parlamento corrompido e fisiológico desde o processo eleitoral e tem de ceder cargos a todos os partidos para obter maioria no Congresso, sendo que muitos que chegaram lá não tem voto e foram eleitos pelo quociente eleitoral. O presidencialismo no Brasil está completamente esgotado sendo uma fonte permanente de crises como a que vivemos agora.

  3. Concordo, plenamente, Willy Sandoval.O pior é que o eleitorado brasileiro, por desinformação, perdeu a grande oportunidade de ter mudado essa situação em 1993, Lembro-me do plebiscito realizado, que tivemos opção para mudar. Lembro-me que muitos eleitores, não sabiam sequer a diferença entre os dois regimes. O presidencialismo de sempre, não vinha resolvendo nada.” Tivesse sido implantado no País, a crise política atual já estaria superada, vez que nesse sistema de governo a solução das eventuais divergências entre o Poder Executivo e o Parlamento ocorre rapidamente, sem golpes de Estado e/ou arranhões na Constituição.”

  4. É hora de se pensar em extinguir o sisistemas de leis criado propositalmente para que uma burle à outra , com isso , magistrado possa aplica – las conforme o cpf ou cnpj de quem é reu e quem é autor , dando margem à corrupção. Nosso sistema judiciário é arcoaico , obsoleto , inerte , por essência e moroso propositalmente , é hora de se pensar em um novo sistema tambem .

  5. Ao contrário do que acontece com Rei Midas, tudo que o $istema político podre toca vira bosta, como canta a Rita Lee em “Tudo vira bosta”. Mais prudente é não deixá-lo$ tocar as mãos suja$ no parlamentarismo, no voto distrital e cia, sob pena de virarem bosta tb. Esses temas, entre outros, estão contidos na Democracia Direta Já, o novo que já nasceu, cresceu, desenvolveu-se, inclusive aqui na T.I., e agora precisa estabelecer-se, aliás como urgência urgentíssima, por mais que isso desagrade o velho continuísmo da mesmice do partidarismo-eleitoral, do golpismo-ditatorial, e seus tentáculos, velhaco$, os quais, agora, mesmo na na borda do vulcão, estão acenando com mais 171, como se tivessem alguma moral para chamar o povo para as urnas, como se o mesmo fosse um cachorrinho vira-lata desmemoriado dos me$mo$, ou para o golpe, ou pela via indireta, que, como bem o sabemos, não passará de mais dos me$mo$, ou seja, mais confusão e embromação. Melhor a Democracia Direta Já, para fazer este país funcionar a contento.

  6. Pode implantar qualquer sistema político neste país, que não dará certo com os políticos que estão ai. Este país somente dará certo quando a população brasileira for culturalmente mais evoluída. Este país tem que ser totalmente refundado.

  7. Entregar, em uma eleição indireta, a Presidência do país a Henrique Meirelles, representante histórico dos interesses do capital financeiro internacional e ex-executivo da própria J&F?

    Essa parece ser a aposta por trás da guinada súbita do noticiário da Globo, acometido de uma inusitada indignação republicana.

    O fato de o atual ministro da Fazenda e potencial candidato à sucessão de Temer ter sido, até a queda de Dilma, executivo de ponta do grupo corruptor não mereceu destaque. Henrique Meirelles foi presidente do conselho de administração da J&F, de 2012 a 2016, e presidente do banco Original, controlado pela J&F, entre 2015-2016.

    Tirar um presidente por seu comprometimento com um grupo empresarial e substituí-lo por um ex-funcionário e estrategista direto do mesmo grupo não pode ter motivação republicana.

    (Meirelles) Já foi do PSDB, do PMBD, e agora é filiado ao PSD, partido de Gilberto Kassab. Nenhuma sigla, contudo, reflete o compromisso fundamental de sua biografia: o setor financeiro internacional e as empresas transnacionais atreladas a ele, para os quais pretende entregar o Brasil. E já começou a fazê-lo, ao congelar os gastos públicos por um período de 20 anos, ao propor medidas que inviabilizam a aposentadoria e fomentam o mercado de previdência privada, ao atacar direitos dos trabalhadores…

    … é preciso restabelecer legitimidade ao governo e desfazer as medidas recentes que não contam com nenhum respaldo popular: eleições gerais diretas. Já.

    Movimento SOS Brasil Soberano / Engenharia, Soberania e Desenvolvimento

    https://goo.gl/Xn9Jok

  8. Parlamentarismo com estes políticos? Vamos levar um século para ter um primeiro ministro e vai custar mais que uma eleição presidencial (EM PROPINAS). Só se fuzilarmos todos os deputados atuais.

  9. Prezado Willy Sandoval,

    Debatermos sobra a implantação do parlamentarismo é válido, como de resto qualquer tema que melhorasse a política nacional e suas relações com o povo.

    No entanto, precisamos considerar a existência de fatores imprescindíveis sobre esta possibilidade, e a causa que dificultaria sobremaneira a sua implantação diz respeito ao povo, inicialmente.

    Não só existe a carência em educação e ensino, quanto não temos a tradição parlamentarista.

    O segundo problema e grave é o político brasileiro.

    Ora, somando um povo que não saberia como funciona o parlamentarismo, e um parlamento que age divorciado do país e afastado dos eleitores, o sucesso deste modelo tende ao fracasso antes da sua implantação!

    Se a vaidade do parlamentar brasileiro – a sua índole natural à corrupção, à desonestidade, à traição, superam qualquer resquício de nacionalismo e preocupação com o bem-estar do povo e bem comum, a cada semana teríamos um novo gabinete, pois todos iriam reivindicar o poder, a vitrine, o comando do país!

    Haveria rodízios de gabinetes e eleições mensais para primeiro-ministro!!!

    Seria pior a emenda que o soneto!

    Antes de se estabelecer um debate sobre o parlamentarismo, precisamos reformar esta falsa democracia e o processo eleitoral viciado, inconfiável, alterando o modo como hoje funciona o Legislativo diminuindo o seu tamanho, podando-lhe parte do poder absoluto e ilimitado que possui.

    Somente a partir dessas alterações profundas, necessárias e urgentes, a discussão sobre o parlamentarismo, mesmo que o povo não tenha o alcance devido a respeito desse sistema, porém aperfeiçoado e adaptado às circunstâncias do momento e peculiaridades da população, admito que este presidencialismo atual, corrupto, incompetente, desonesto, traidor, esgotou-se, e urge a sua substituição.

    Porém não deste jeito, não com este parlamento, não com esta política vigente, haja vista se não podemos acrescentar conhecimento ao povo porque demanda tempo e um ensino necessário que está excepcionalmente distante da realidade brasileira, que este parlamentarismo seja construído próximo da perfeição, e somente com gente nova, sem qualquer dos seus parlamentares eleitos no passado, constituído de gente “virgem” politicamente!

    • Amigo e irmão Bendl
      Com povo tacanho, inculto, corrupto por natureza (não por nascimento), só entregando tudo pronto. É o que o PT, Lula e seus asseclas queriam fazer!
      Teu texto tem as lógicas inconcebíveis aos incautos.
      Só com lavagem cerebral.
      Abraço e saúde.
      DFallavena

    • Talvez seja o caso de ouvirmos juristas como o Prof. Carvalhosa, o Luis Flavio, que tem propostas interessantes de convocação de uma Constituinte excepcional, que poderia rever a atual e avaliar também a mudança de regime. Importante a salientar, é que eles defendem que a composição dessa assembléia revisora-constituinte não poderia acolher nenhum politico que esteja exercendo mandato.

    • Questiona-se a gestão do modelo, mas não o modelo em si…

      Infelizmente, ta tudo dominado, precisa apertar o ‘reset’.

      Brasília tem que ser ‘clorada’.

  10. Seria o mais sensato adotar o regime parlamentarista, para que os governos perdurassem apenas enquanto tem condições efetivas de governar. Isso não pela respeitabilidade do parlamento, que não costuma ser muita grande em lugar nenhum do mundo, mas pela necessidade de respaldo parlamentar e popular que os governos necessitam.
    O presidencialismo de mandato fixo não se adapta mais às incertezas do mundo atual, e já se tornou desfuncional até no seu país de origem, os Estados Unidos. onde o presidente só governa efetivamente quanto tem maioria no legislativo e se torna um ‘lame duck’ como dizem lá, quando a oposição domina o congresso e o senado. E lá como cá, acaba-se na situação de presidentes impossibilitados de governar, mas aferrados a seus mandatos formalmente legítimos.

    • “Ninguém põe remendo de pano novo em roupa velha, pois o remendo forçará a roupa, tornando pior o rasgo. Nem se põe vinho novo em vasilhas de couro velhas; se o fizer, as vasilhas se rebentarão, o vinho se derramará e as vasilhas se estragarão. Pelo contrário, põe-se vinho novo em vasilhas de couro novas; e ambos se conservam. Mateus 9:16-17”

  11. Alguns povos precisaram centenas de anos para se aprumar.
    A corrupção é um estado de espirito, é uma atitude. Ninguém nasce corrupto.
    Também ninguém nasce sabendo o essencial. Aprende com o correr da vida e se desejar.
    Não temos cultura, não temos senso de povo, de nação ou de sociedade.
    Sem educação e ensino, sem responsabilidade e sem vontade de querer SER UM POVO, só por milagre.
    E para isto é preciso, em primeiríssimo lugar, é preciso ser cidadão. E isto está cada vez mais raro.
    O país precisa de tudo. Mas, em primeiro lugar, de gente.
    Duas vezes foi oferecido o parlamentarismo. O povo, por ignorância, desconhecimento ou manipulação, disse não.
    E isto em períodos nos quais havia uma maior e mais qualificada consciência social. Alguém dirá que temos isto agora, com o povo indo às ruas.
    Antes de dizer isto, olhe bem quem tem ido às ruas. No caso da atual oposição, o “mundo dos sindicatos públicos”, partidos de regimes totalitários, movimentos para-sociais, baderneiros e criminosos (aqueles que usam máscaras). Estes segmentos e outros que a eles se agrupam, pasmem, defendem o “golpe” – eleição direta já, contra a constituição!
    Se interessar, olhem este site: http://www.diariodocentrodomundo.com.br/usar-mascara-em-protestos-nao-e-ilegal-quem-deve-se-identificar-sao-os-agentes-do-estado/
    Amigos, se antes as reformas eram complicas, agora só se feitas por entidades de outros planetas.
    Acreditem ou, se não acreditam, conversem com pessoas de suas relações sobre o quadro e o que podem/devem fazer?
    “A coisa está horrível. Será que ninguém faz nada”?
    Defendo a revolução cultural e social, mas das minorias conscientes e capazes de pensar. O resto, deixa para lá. Depois a gente vê o que fazer para salvá-los.
    Fallavena

  12. É por esta bagunça que se tornou o Brasil, agora Sérgio Cabral vai sair de Bangu e ficar em Benfica, praticamente no centro da cidade, é por isto que este país nunca vai ser moralizado, sempre haverá o corporativismo, pena de um país lindo, porém governado por pilantras gananciosos, é bem feito para este povo que troca seu voto por camiseta ou churrasquinho na comunidade, aí sem é que vai ter mordomia de verdade, um sujeito com 8 inquéritos, a mulher já foi beneficiada e agora o marido, merda de país.

  13. Qualquer sistema – que não seja socialista e nem comunista – é válido e funciona, o que deve mudar são os políticos atuais, TODOS. Mas um sistema bom seria o Voto em Lista Aberta, pesquisem, única saída! O resto é balela.

  14. Opiniões válidas e realistas que retratam a terrível conjuntura que atravessa o país, anúncio de mais de uma década perdida.

    Não é o sistema que é falho. São as pessoas, as autoridades a quem cabe a gestão visando o progresso do Brasil.

    No meu entendimento, na falta de estadistas, se é que existam, ou porque sumiram do mapa, , o momento pede, exige, um comando disciplinado e rígido, pois está provado que não podemos contar com essa corja de larápios travestidos de políticos.

    O Exército brasileiro, o cidadão fardado, já deveria ter barrado essa bagunça em que esses crápulas transformaram a democracia no Brasil.
    É a minha opinião, gostem ou não…

  15. Henrique Meirelles como diretor da JBS , certamente participou do esquema da venda de carne estragada , da distribuição de propina e compra de benefícios fiscais , agora é Ministro da Fazenda e candidato à sucessão presidencial.
    ISTO CONTINUA SENDO BRASIL !

  16. O Brasil foi assaltado por uma quadrilha bem formada, a consequência disto é a preacariedade de serviços essenciais como: saúde, educação e principalmente segurança.
    A bandidagem se sentiu no direito de se apropriar do estado, como por exemplo o Rio de Janeiro, que pela má gestão, tem causado enormes danos, não tem um plano onde possa mostrar para a bandidagem que se intalou no estado, saiba que há lei e quem infringir será preso, não adianta UPPs se o poder constiuído não opera, é preciso mostrar que a partir de um plano de inteligência aplique a “TOLERÂNCIA ZERO”, pois o estado tem sofrido devido falta de credibilidade na segurança pública, o bandido não está mais respeitando as leis, tomou conta deste espaço, pois o governo Sérgio Cabral e seus auxiliares, deixaram isto acontecer, achavam que poderiam se locupletar com dinheiro ilícito, mas felizmente a lei os pegou e espero que devolvam tudo que roubaram até o último centavo, o estado tem que mostrar que quem rouba do erário tem que pagar e isto tem pressa, é necessário urgência neste plano de combate a criminlidade, pois os investimentos que estariam criando empregos se dissolve e aumenta ainda mais a criminalidade já instalada, a bandidagem perdeu o medo, é preciso que o alto comando da PM, MP, receita federal, façam uma fiscalização mais precisa, pegar todos pelo bolso, o estado tem que estar presente na vida do cidadão de bem.

Deixe uma resposta para Antonio Fallavena Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *