Vale põe réu do caso Mariana para negociar com o governo sobre Brumadinho

Peter Poppinga participa de coletiva de imprensa da Vale Foto: Pablo Jacob/Agência O Globo/27-11-2015

No caso de Mariana, Peter Poppinga é acusado de homicídio

Bela Megale e Mateus Coutinho
O Globo

Destacado como um dos interlocutores da Vale para discutir com o governo a tragédia de Brumadinho (MG) causada pelo rompimento de uma barragem da mineradora, o executivo Gerd Peter Poppinga é um dos réus no processo que apura a queda da barragem de Mariana, que também pertencia à empresa. Poppinga responde por homicídio triplamente qualificado com outros 18 réus por envolvimento no desastre que culminou em 19 mortos em 2015.

Diretor-executivo de Ferrosos e Carvão da Vale, Poppinga participou de reunião com o presidente da Vale, Fábio Schvartsman, e o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, nessa terça para tratar de questões sobre Brumadinho. O executivo foi um dos responsáveis por elaborar a proposta que a Vale apresentou ao governo relativa ao encerramento de atividades de todas as barragens de rejeitos de mineração do modelo a montante, o mesmo que desabou em Brumadinho e Mariana.

PARTICIPAÇÃO – Na denúncia apresentada em 2015, a Procuradoria da República em Minas aponta que, nas duas reuniões que  Poppinga participou no Conselho de Administração da Samarco, foram tratadas a situação da barragem de Fundão. Na primeira delas, em 15 de abril daquele ano, segundo o MPF, o executivo foi informado das falhas na barragem.

“Também teve acesso à imagem da barragem com o Dique 1 recuado junto à ombreira esquerda, em desconformidade com o projeto e o manual de operações; e já alteada em aproximadamente 5 metros em relação à cota da última apresentação realizada ao Conselho”, assinalam os procuradores na acusação.

Já na segunda reunião, em agosto daquele ano, o MPF aponta que o executivo foi avisado de várias medidas de corte de custos da empresa, e recomendou que fossem feitos mais cortes.

CORTE DE GASTOS – “O Conselheiro também recomendou estudos de alternativas para redução dos gastos com projetos de sustentabilidade da operação, dentre eles o alteamento de Fundão até a cota 920, em curso no momento do rompimento”, segue a acusação, que aponta que Poppinga teria se omitido “de forma consciente e voluntária de exercer de forma suficiente e adequada seus deveres de organização, coordenação e vigilância geral das atividades da empresa”.

No fim do ano passado, a defesa de Poppinga entrou com um habeas corpus junto ao Tribunal Federal Regional da 1ª. Região (TRF-1) para que ele não fosse julgado pelo crime de homicídio doloso, ou seja, aquele com intenção de matar. Assim como outros réus do caso, os advogados do executivo defendem que ele responda pelos crimes de desabamento seguido de morte. A justiça ainda não decidiu sobre o pedido.

SEM PASSAPORTE – Em 2015, Poppinga, que era conselheiro da Samarco — empresa denunciada pelo rompimento da barragem de Mariana e que tem a Vale como acionista — chegou a ter o passaporte apreendido. Procurada, a defesa de Poppinga não quis se manifestar.

Em nota, a Vale informou que Poppinga “assumiu a função de conselheiro da Samarco  no início de 2015 e participou unicamente de duas reuniões do Conselho de Administração daquela empresa” e que ele “jamais teve envolvimento ou interação com questões operacionais da Samarco”.

Sobre a participação dele na reunião de terça, a empresa diz que “seu papel não é de negociador, e que ele apenas integrou a comitiva na condição de representante institucional da empresa”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Sem comentários. (C.N.)

12 thoughts on “Vale põe réu do caso Mariana para negociar com o governo sobre Brumadinho

  1. Tudo dominado. Nada vai acontecer com a Vale novamente. Esse nosso judiciário… como diz a letra de Aldir Blanc “São dois pra lá, dois pra cá.”

  2. Já passou da hora do governo Bolsonaro afastar toda a cúpula da Vale incluindo o Conselho de administração.

    Ônix não gosta da ideia, um que deveria também ser afastado.

    Se faz urgente tal mudança.

    Lembremos que a Vale é uma paraestatal controlada indiretamente pelo governo federal.

    Privatização da Vale Já!

  3. O Vale da Morte escolheu, exatamente, um negociador experimentado, que já conhece os meandros que levam à impunidade. Sabe, de antemão, as palavras que vai dizer; as instâncias por onde vai peregrinar, e conhece, nesse percurso, até quem são as mãozinhas receptivas a propinas!

  4. É por esse motivo que nossa legislação deveria separar as coisas, ou seja, a apuração dos culpados da indenização das vítimas fatais, que deveria ocorrer em até 48 horas. Mudanças na lei JÁ.

    • Judeus:os donos do mundo
      Os apócrifos Protocolos dos Sábios de Sião, inspirados em obras anti-semitas do século 19, revelariam os planos dos judeus de conquistar todas as nossas riquezas.
      Por Da Redação
      31 out 2016, 18h34 – Publicado em 30 set 2005, 22h00
      Patrícia Queiroz

      TEORIA – Os judeus querem dominar o mundo

      OBJETIVO – Tese de complô ajudou a desviar a atenção de outros problemas

      Em 1868, o escritor alemão e anti-semita Hermann Goedsche publicou a novela Biarritz, sob o pseudônimo de sir John Retcliffe. Tudo indica que seria mais um livro condenado ao obscurantismo. Porém, 35 anos mais tarde, o texto incentivou o mito de que os judeus pretendiam subjugar e dominar o mundo, disseminado com estrondo pelos Protocolos dos Sábios de Sião. Como se sabe, a tal conspiração serviu de pretexto para os nazistas assassinarem de 5 milhões a 6 milhões de judeus na Segunda Guerra Mundial. Retcliffe – ou Goedsche – romanceou uma reunião secreta dos chefes das 12 tribos de Israel com o demônio, pretensamente realizada no cemitério sionista de Praga, na atual República Tcheca. O objetivo era perverso, segundo as próprias palavras do autor: “Ali, iluminados apenas por uma chama azul, relatavam os êxitos e os planos para alcançarem o fim último, o domínio judaico do mundo”. Uma cabala judaica insurgia para instigar guerras, lutas de classes e o ódio entre os povos, a fim de garantir poder aos judeus e o sucesso do império do ouro………..

      https://www.google.com/amp/s/super.abril.com.br/historia/judeusos-donos-do-mundo/amp/

  5. Por enquanto o autoritarismo vai em ‘marcha lenta’… Primeiro mes, e essa alta corte de judeus da Vale, que lembram nazistas…
    E tivemos um ‘Salim Matar’ do governo a defende-los!

    Esse governo é a salada mista mais indigesta que já surgiu surgir no cenário politico…

    Poppinga, PROPINGA, PROPINA.

    Impressionante, ministro do STF atende ao requerimento de um bandido como o Lula em questão de horas quanto a um passeio no cemitério, enquanto o José que roubou um pão no mercadinho pra matar a fome fica meses esquecido em uma penitenciaria….

    Quando o Dória acertar com o Bozó os termos da nova indústria mais lucrativa do Brasil – PRESIDIOS Privatizados – aí todos entenderão….

    Estes serão os anos do acorrentamento, das jaulas.
    ELES acima de tudo e lama na cara de todos…

  6. Quem Ganha com a Vale? Ganham e ficam ricos os diretores e presidente. Diretores Da Vale Ganham Até R$1,5 Milhão Por Mês Entre Salários e Vantagens. A diretoria da Vale está entre as mais bem pagas pelas grandes empresas brasileiras.
    Os diretores espertos da Vale, que usaram a jogada de marketing de oferecer a merreca de R$100 mil para cada vítima fatal da tragédia de Brumadinho, ganham por mês quinze vezes mais esse valor. Entre salários e benefícios (bônus, participação nos lucros), cada diretor da Vale ganhou no ano passado R$1,6 milhão por mês (exatos R$ 1.587.180,70), no total de R$19 milhões (ou R$19.046.168,46) por ano. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

    Já na primeira entrevista, o presidente da Vale usava preto, sugerindo luto e despojamento. Tudo retirado dos manuais de gestão de crise.

    Murilo Ferreira, presidente da Vale até fevereiro/2017, foi o executivo mais bem pago do país no ano: levou quase R$60 milhões para casa.

  7. DORAVANTE, O IDEAL É QUE CADA REGIÃO CAMINHE COM AS PRÓPRIAS PERNAS E FÔLEGO, e que seja econômica para não ser corrupta, com cada uma por si e a confederação por todas, unidas porém independentes, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso. ESTÁ mais do que na hora de trocarmos todas essas bancadas por uma só bancada, a da Meritocracia Eleitoral, via Democracia Direta, porque evoluir é preciso, trocar a malandragem pela ilibada reputação e o notório saber, com o Brasil de fato emancipado em 7 regiões administrativas autônomas, que mandará para Brasil apenas um representante entre os mais qualificados de cada região para o exercício da função para compor o Governo Confederativo em BrasIl, desativando todo o complexo republicano federal atual que perfaz a Ilha da Fantasia do sistema político apodrecido, que tornou-se insaciável e insustentável, ao ponto de levar ao esgotamento o potencial tributário da população que, que exceto a Deus, não tem mais a quem apelar contra os privilegiados que não têm do que reclamar e que amam nadar de braçada na piscina do erário, cujas verdades dos me$mo$ não correspondem aos fatos. http://www.tribunadainternet.com.br/charge-do-duke-1601/?fbclid=IwAR1UwMVWCMksGZM4HAiZ6yKT_7rUhkUJI13GOLaJ98XbkGwPRpzoV3E2d_4

    • Então Paulo Guedes está a ler seus comentários pois conforme a T I relata o imbecil quer dar forças aos municípios com uma fatia maior dos impostos para municípios depois estado e por ultimo a federação.

      • Sim, é nos municípios que as vidas e as coisas acontecem. Mas não basta apenas fazer o dinheiro chegar nos municípios, sob a égide do mesmo e velho sistema político apodrecido. Aliás, o Lula já fez isso, como nunca ninguém conseguiu fazer antes, encheu as burras dos municípios de dinheiro, e deu no que deu. Muitos dos prefeitos de então nem sabiam o que fazer com tanto dinheiro. O diabo é o sistema podre, tipo saco sem fundo, mais furado do que queijo suíço, face ao qual o desvio e o desperdício de dinheiro público é fantástico. A mudança tem que ser do jeito que estou propondo, e se não der certo, corto os meus bagos e jogo-os para a cachorrada de rua comê-los. Palavra de Leão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *