Vício em dinheiro tem difícil diagnóstico e pode ser apenas tentativa de “vitimização”

Resultado de imagem para cabral preso

Cabral agora quer se fazer de vítima, como se isso fosse possível

Leticia Lopes
O Globo

Além de admitir que eram seus os US$ 100 milhões em contas no exterior, entregues pelos doleiros delatores Marcelo e Renato Chebar, ex-governador Sérgio Cabral disse nesta terça-feira em depoimento à Justiça Federal que se apegou ao poder e ao dinheiro e que esse foi seu “erro de postura” durante o período em que comandou o Estado do Rio.

— Esse meu erro de postura, de apego a dinheiro, a poder, a tudo isso. Isso é um vício — disse Cabral, ao citar um acerto de pagamentos ilícitos na área de prestação de serviços na Saúde com o empresário Arthur Soares, conhecido como Rei Arthur.

ESPECIALISTAS – O Globo ouviu dois psicanalistas, que analisam  de maneiras distintas as declarações do ex-governador. Membro da Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro (SBPRJ), o psicanalista Jeremias Ferraz Lima diz que, em mais de quarenta anos de profissão, nunca atendeu nenhum paciente com vício em dinheiro. Apenas pessoas que se sentiam culpadas por circularem em “ambientes corruptos”.

— O diagnóstico de um distúrbio como esse é muito complicado, já que são sintomas egossintônicos, que agradam ao ego. Você fica viciado em ganhar dinheiro, isso traz prazer e bem-estar, e está diretamente ligado a autoestima. Obviamente, a pessoa não encara isso como um problema. Com o Cabral, passou a ser um porque ele está preso — explica Lima, que também é professor adjunto da UFRJ e autor do livro Psicanálise do Dinheiro.

Lima acredita, porém, que há sinais de que o ex-governador do Rio pode ter, de fato, um vício em poder e dinheiro. No entando, por outro lado, Cabral pode  na verdade “mirar indulgência processual”.

SEM SENTIDO – Para Virgínia Ferreira, professora da Faculdade de Medicina de Petrópolis, as declarações de Sérgio Cabral não fazem sentido. Ela entende que as atitudes do ex-governador se explicam pela “ganância desmedida”.

— Não existe nenhum vício, está muito longe disso. O que há, na realidade, é um desvio de caráter. É bom que se entenda que o vício só traz malefícios. A pessoa sabe que ela está errada, mas não tem controle. O dele é justo o oposto. O que ele tem é uma ganância desmedida. Agora, tenta se vitimizar e certamente minimizar as punições na Justiça — avalia.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Cabral enganou quase todos durante quase o tempo todo. Mas agora acabou. Não engana mais ninguém. O tal vício, na verdade, é apenas falta de caráter, como destaca a dra. Virginia Ferreira. (C.N.)

14 thoughts on “Vício em dinheiro tem difícil diagnóstico e pode ser apenas tentativa de “vitimização”

  1. Agora que bandido Cabral resolver tirar a máscara , devemos todos dar os créditos ao Garotinho que denunciou toda essa quadrilha ; e a imprensa , principalmente as do RJ, que tentaram desqualificar todo seu trabalho de investigativo, que gerou 60 quilos de documentos entregue ao procurador geral em Brasília .
    E quando iria depor de viva voz a ¨justiça¨do RJ o predeu para não expor os que ainda estão soltos.

  2. -Vício em dinheiro?

    -Taí: Assim como no caso de vício em drogas ilícitas, no vício em obrigar uma mulher desconhecida ter relações com o “doente”, ou o vício em traficá-las, já dizia o Ministro da Justiça petistas, Marcio T. Bastos, que a solução não está na cadeia. Está no tratamento e nas pena alternativas.
    Presídio não é lugar de doente. Portanto, vamos tirar dos os “viciados” em roubar, em matar e em estuprar dos presídios e colocá-los todos em clinicas de recuperação.
    Afinal, o país está “nadando em recursos” mesmo!

  3. Agora que bandido Cabral resolver tirar a máscara , devemos todos dar os créditos ao Garotinho que denunciou toda essa quadrilha ; e a imprensa ?, principalmente as do RJ, que tentaram de todas as formas desqualificar todo seu trabalho investigativo, que gerou 60 quilos de documentos entregue ao procurador geral em Brasília .
    E quando iria depor de viva voz a ¨justiça¨do RJ, o prendeu para não expor os que ainda estão soltos.

  4. Depois dessa do tal “vício”, daqui a pouco esse criminoso como a maioria vai dizer que é inocente.

    Essa caso devia ser analisado por Guido Palombo , psiquiatra forense.

  5. Viciado em afanar dinheiro público? Precisa de tratamento sim. Muitos anos de cadeia, sem direito a saidinhas e progressão. Este tratamento é tão bom que trata não só ao doente, mas também a muitos outros que nem foram pegos ainda.

  6. KKKKKKKKKKKKKKKK.
    Fosse válido o argumento todos os presidiários no Brasil poderiam alegar algum tipo de vício.
    Outros cidadãos “supremos” são viciados em “não serem apanhados”…
    Seja homenzinho e pague sua pena!

  7. Calma pessoal, calma.
    O Lula está alegando que os processos contra ele estão viciados e entrou com liminar no supremo com este argumento.
    O fato de ser um consumidor voraz da “maldita branquinha”, consumo este de caráter vicioso, só reforça a alegação. Veremos quantos do supremo tem o supremo vício em crer que elefantes voam, em tese.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *