É preciso encontrar meios severos para reduzir a violência contra as mulheres

Eu fui vítima há poucos dias. Muitas mulheres sentem | Política

As mulheres protestam pedindo mais rigor nas punições

Vicente Limongi Netto

Oportuna e necessária a exortação da jornalista Ana Dubeux, no Correio Braziliense: “Queremos paz para as mulheres”. Assim, cumprindo sua vigilante missão de zelar pelos interesses da população, o Correio promoveu, nesta quinta-feira, um seminário para discutir meios urgentes e severos para defender as mulheres contra a sanha assassina de canalhas e covardes.

Ana Dubeux tem razão ao exigir providências duras contra esta escória repugnante que cresce e amedronta o Brasil inteiro, não apenas Brasília: “Precisamos criar alternativas reais e rápidas, que se somem às soluções legais. Mulheres merecem e precisam de paz”, salienta Dubeux. Acrescento, fervoroso, precisam de amor, muito amor. 

DIA DO AMIGO – Por falar em amor, o dia 20 de julho tem um significado especial para todos que gostam de exaltar a arte de viver. É o Dia do Amigo. Ele preenche o vazio da alma. O amigo não nos deixar faltar nada.

É uma dádiva dos céus. Espanta a melancolia, fortalece o espírito. Estimula a convivência, respeita a individualidade. Pondera com sabedoria. Amo meus amigos. Não vivo sem eles.

No meu blog destaco o escritor francês Victor Hugo: “Um amigo pela metade, é um traidor pela metade”. E também Mário Quintana: “A amizade é o amor que nunca acaba”.

ESCOLHA INFELIZ -O ex-jogador Neto é um moleque irrecuperável. Figura desprezível e ignorante, que gosta de aparecer jogando as patas imundas naqueles que realmente trabalham pelo futebol e não lhe dão nenhuma importância.

O destrambelhado analista de meia pataca é o novo apresentador do “Apito Final”, na Band, no lugar de Milton Neves. Escolha infeliz.

Desculpas de Pazuello para não ser punido pelo Exército foram patéticas e ridículas

Governo decide efetivar Eduardo Pazuello no Ministério da Saúde - Congresso em Foco

Pazuello chegou até a participar de lives com Bolsonaro

Vicente Limongi Netto

Eleito deputado federal pelo Rio de Janeiro, o ex-ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello (PL), voltou a pegar botinadas na virilha. Para amigos do peito, Pazuello fez candente e notável mea culpa, ao dizer que não foi informado que haveria carro de som e discursos na motociata da qual participou junto com o então presidente Bolsonaro, e não poderia fazê-lo por ser general da ativa.

A justificativa de Pazuello é pífia e até ridícula, ao dizer que não teve a intenção de subir no carro de som, mas foi “chamado” pelo presidente. Só faltou repetir que “uns mandam e outros obedecem…”

FALTA VERGONHA – Pazuello deveria ter vergonha de sair na rua, porque os militares que se prezam jamais cumprem ordens equivocadas e flagrantemente estúpidas. Mas no comando do Ministério da Saúde ele agiu assim, como um bajulador irresponsável, apoiando decisões ridículas do então chefe do governo, que desprezava as recomendações científicas.

O mais impressionante de tudo isso é que Pazuello se candidatou e foi eleito por bolsonaristas fanáticos, que apoiam o ex-presidente até mesmo quando toma decisões flagrantemente negativas.

Militares bajuladores e eleitores destrambelhados existem aos montões. Foram eles que conduziram ao Congresso um personagem desprezível como o general Pazuello.

BERNARDO CABRAL – Em respeito ao advogado Roberto Nascimento, que escreve brilhantes artigo na Tribuna da Internet, é preciso repudiar as farpas ao ex-deputado e ex-senador Bernardo Cabral.

E repasso um depoimento do lúcido e patriota general Agenor Francisco Homem de Carvalho, ex-chefe do gabinete militar do governo Collor, em que ele destaca a isenção de Bernardo Cabral na Constituinte:

“Bernardo Cabral foi o grande nome de nossa Constituição de 1988. Apesar de ter sido cassado anteriormente no regime militar, como relator não permitiu que houvesse os tão desejados revanchismos de ocasião. Assim, merece ser reconhecido e homenageado por todos nós. Parabéns pela sua fidelidade ao nosso amigo comum.”

Precisamos de uma “cultura da paz”, para acabar com massacres em escolas e creches

Num país insano, dor e desespero na creche em Blumenau

Vicente Limongi Netto

Todo profissional de imprensa que dispõe de espaço importante, faria um bem danado ao Brasil e aos brasileiros se dedicasse esforços para a cultura do bem, a exemplo de Ana Dubeux, do Correio Braziliense. Precisamos de um país desarmado, unido em espírito e vontade, para acabar com as colossais insanidades que tomaram conta não apenas do Brasil, mas do mundo.

Nesse sentido, Ana Dubeux escreveu com o vigor costumeiro no Correio Braziliense de 09/04, clamando “por uma cultura de paz”. Segundo a jornalista, não podemos permitir que o Brasil perca a batalha contra o mal.

RIGOR DA LEI – Seres já nascidos com a marca da crueldade e da covardia precisam ser punidos com o rigor da lei.  Sem dó nem piedade. Covardes que destroem famílias, que assassinam crianças, não merecem consideração nem perdão. Ana Dubeux sonha com cruzadas de abraços e de fé. O abraço preenche corações. Animam e aliviam o cotidiano, muitas vezes embrutecido, sem lugar para o diálogo, distante da tolerância e do desejo de servir o próximo. Carinho, atenção e abraço também precisam sensibilizar governantes.

Mas também é preciso mostrar firmeza de atitudes antes de acontecer as tragédias e as desgraças. Vontade política para unir mais os brasileiros. Expulsar dos corações de boa vontade sentimentos negativos, de ódio e de rancor que induzem ao mal.

Ana Dubeux abre os braços e o coração, e clama, em torno da importância do abraço:” Olhe em volta, abrace, escute as crianças, os amigos, os velhos, ajude a quem precisa, divida o que tem, seja solidário, acolha sempre que puder. Vamos semear o bem, porque o mal já está rendendo frutos, infelizmente”.

TRICOLOR EM FESTA – Vitória épica, consagradora, justa e apaixonante do Fluminense. Entrou em campo perdendo de 2 x 0 e teve lucidez, competência e garra para virar o placar, vencer o jogo e conquistar o bicampeonato carioca. Marcelo, Arias, Ganso e André mandaram no jogo. Flamengo tonto e desarrumado, subestimou o adversário e pagou caro.

Méritos para o treinador Fernando Diniz, que armou um Fluminense coeso e moderno, jogando futebol objetivo e inteligente.

De quebra, mostrando grandeza esportiva, com o chocolate de páscoa no couro rubro-negro, o Fluminense ajudou a mandar o treinador patético e boçal de volta para a sogra, em Portugal.

TADROS E BEZERRA – Boas novas e reconhecimento para Roberto Tadros e Guilherme Campelo Bezerra.

O presidente da Confederação Nacional do Comércio, Bens e Serviços foi convidado pelo presidente Lula para integrar o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social Sustentável, o Conselhão da República. Por sua vez, o advogado brasiliense Guilherme Campelo foi nomeado Diretor de Licenciamento da Superintendência Nacional da Previdência Complementar- Previc.

Depois de bajular Lula por oito anos, agora Ciro Nogueira procura desqualificá-lo

“Lula não se atualizou, não deveria ter voltado”, diz o senador

Vicente Limongi Netto

O Correio Braziliense dedicou página inteira neste domingo (dia 2) a bolorentas lorotas, sandices e deboches do senador Ciro Nogueira ao presidente Lula. O parlamentar que domina o PP esmerou-se em rancor, ódio, ressentimento e má vontade contra o governo Lula. Desqualificou o político, o cidadão e o gestor Lula, a quem já serviu com denodo, durante oito anos seguidos.

Bolsonaro seguramente ficou envaidecido com o devotado amor, dedicação e bajulação do seu ex-ministro da Casa Civil.

PREVISÃO ERRADA – Durante a campanha presidencial, Ciro Nogueira botou banca de cientista político, garantindo que Bolsonaro seria eleito no primeiro turno. Quebrou a cara.

Na entrevista ao Correio, o boquirroto senador chama Bolsonaro de desprendido. Na verdade, foi um patético desprendido que na chefia da nação fez pouco caso da ciência. Não combateu a pandemia da covid como devia, causando a morte de milhares de brasileiros.

Mostrou-se inacreditavelmente desprendido, e seu esporte predileto era xingar, insultar e ameaçar jornalistas e até ministros de tribunais superiores. Medonhamente desprendido, durante a disputa eleitoral insinuou que as urnas eletrônicas não eram confiáveis, depois de eleito sucessivas vezes por elas.

O CHEFE DELE – É bom que Bolsonaro leve a sério que Valdemar Costa Neto realmente é o chefe dele. O candidato derrotado ganhou dele o decorativo cargo de presidente de honra do PL,  com quase R$ 40 mil de salário, com advogados grátis e mansão idem, com tudo pago, e mais RS 40 mil para a mulher.

Para eles, isso não é nada, não é nada mesmo. E Bolsonaro retornou com a manjada empáfia. Falando sandices pelos cotovelos. Não percebeu que o Brasil segue a vida sem a ingerência dele. Não apita mais nada.

Costa Neto, por sua vez, dono irremovível do PL, sabe que a sigla dentro do Centrão tem imensas responsabilidades políticas com a governabilidade e com o crescimento da nação.  E Lula precisa cumprir as metas e promessas de campanha, trabalhar para reconstruir o Brasil, sem dar cartaz nem palanque ao ex-presidente. É melhor deixar que os ministros respondam, se for o caso, aos desaforos, provocações e sopapos do adversário.

RESPEITO AO GÉNIO – Alguns repugnantes e desprezíveis integrantes da imprensa esportiva estrangeira que desmerece a genialidade de Pelé.

Esses analistas desqualificados, sem ter o que fazer, insistem em comparações idiotas com craques como Maradona, Messi e Cristiano Ronaldo, que, juntos, não engraxam as chuteiras de Pelé.

É preciso respeitar o grande gênio do futebol.

Quando tudo parece dar errado, é hora de olhar para o alto e dar a volta por cima

Charge do Edra (Arquivo Google)

Vicente Limongi Netto

Quero escrever. Resistir aos pavores da humanidade. É grande a tentação de entregar os pontos. Rogo a Deus que zele pelas crianças. Pelos meus netos, bisnetos, amigos e familiares, pois a cruzada do bem vem perdendo terreno para os decaídos.

Tragédias nas escolas, por exemplo, são resultados das canalhices, maus exemplos e covardias desenfreadas das redes sociais, onde se vê que magistrados venais e hipócritas agridem as mulheres, impunemente. Não têm moral nem autoridade para julgar ninguém.

SAÚDE MENTAL – Nessa linha, sigo as lições e ponderações da jornalista Ana Dubeux (Correio Braziliense-  26/03), “Quanto vale a sua saúde mental?”.  Dubeux também é do bravo quadro que resiste aos dissimulados farsantes do mal, essa corja que desgraçadamente ocupa todos os espaços.

É uma escória alimentada na sarjeta que se delicia com desgraças da humanidade. Guardemos no coração, então, os apelos de Ana Dubeux:

“Se conseguirmos olhar para cada partezinha da vida com alguma profundidade e um tanto de boa vontade, daremos um passo para reconhecer a parcela que nos cabe e poderemos ter mais lucidez para fazer as escolhas certas e conseguir reduzir os danos”.

TREINADOR ITALIANO? – Tudo indica que o correto e bem intencionado presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, foi convencido por ex-jogadores lobistas, empresários de jogadores e parte da mídia esportiva, e já acredita que o engomado italiano Carlos Andreotti é o melhor nome para treinador da seleção.

É o fim da picada. Colossal patetice. Deslumbramento juvenil que desmerece e desrespeita o trabalho de treinadores brasileiros. Todos vitoriosos e capazes.

Profissionais brasileiros não podem ser penalizados por causa da era vexatória de Tite. O Brasil conquistou 5 títulos mundiais com treinadores brasileiros.

ASSIM É FÁCIL – Ancelotti não é mais técnico do que Fernando Diniz, Renato Gaúcho, Dorival Junior ou Mano Menezes. Nunca treinou nenhuma seleção.

Ganhou fama de técnico conceituado depois de treinar o Milan e, agora, o Real Madrid. Times de nível, com elencos extraordinários. Assim é fácil. Até eu faço bonito.

No irritante circuito da galhofa, entrou na roda o português Jorge Jesus, movido pelo desinteressado lobista Júlio Cesar, aquele goleiro que levou 7 da seleção alemã e não teve a competência, a malandragem necessária de conter o ímpeto dos alemães, caindo, parando o jogo, quem sabe, a lavada seria menor.

É preciso sempre reconhecer e homenagear brasileiros notáveis como Bernardo Cabral

TRIBUNA DA INTERNET | Aos 90 anos, Bernardo Cabral pode olhar o passado e ver que o tempo não passou em vão

Aos 91 anos, Bernardo Cabral é consultor jurídico da CNC

Vicente Limongi Netto

Ventos democráticos fortalecem o sol, estimulam a luta por um futuro melhor para todos e iluminam corações. Nesta hora em tanto se questiona a democracia no Brasil e em muitos outros países, é preciso dar louvores à Constituição, que preserva as instituições. Assim, vale a pena recordar e salientar quem se dedicou integralmente, de corpo e alma, à elaboração da Carta Magna — o então deputado federal pelo Amazonas, Bernardo Cabral.

O parlamentar trabalhou como um mouro, como relator-geral da Constituinte. Bernardo Cabral disputou o cargo, em eleições diretas, com o então senador Fernando Henrique Cardoso e com o deputado mineiro Pimenta da Veiga.  Hoje, a Constituição enche de orgulho os brasileiros. Defende direitos humanos, trabalhistas, sociais e individuais.

Bernardo Cabral perenizou a Zona Franca na Constituição, dando grande impulso ao desenvolvimento sustentável da Amazônia, com indústrias não-poluentes. Registre-se e afixe-se, para aqueles de memória fraca ou indolente.  A Carta Magna existe para ser cumprida e não mutilada.

CARREIRA VITORIOSA – Cabral foi presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), é membro vitalício do Instituto dos Advogados Brasileiros. Foi senador, por dois mandatos e ministro da Justiça no governo Collor.

No ano passado, ao completar 90 anos, foi homenageado pela OAB Nacional, com discursos de expoentes da magistratura, como o ministro do STF, Luiz Fux e o ministro do STJ, Mauro Campbell.

Ainda na esteira das contribuições importantes do homem público Bernardo Cabral, há quase 3 décadas, como senador e palestrante, já tinha atenções voltadas para o problema da escassez da água, que hoje atormenta governantes e mobiliza a ONU.

RECURSOS HÍDRICOS – Exortava Cabral: “É preciso colocar-se na agenda da humanidade, como questão central, a falta de planejamento e racionalidade no uso dos recursos hídricos, uma constante que começa a ameaçar o abastecimento adequado”.

Como senador, Bernardo Cabral foi relator, em 1997, da lei que criou a Política Nacional dos Recursos Hídricos. Em 2000, foi, também relator no Senado da lei que criou a Agência Nacional de Água. Em suas manifestações, no Brasil e no exterior, Cabral destacava que “a mãe de toda a vida na terra é a água. Dela surgiu a vida. Dela a vida se nutre”.

Cabral, que é consultor jurídico da Confederação Nacional do Comércio, Bens e Serviços (CNC), completa 91 anos nesta segunda-feira, dia 27. O Brasil deve muito a ele e precisa reconhecer e comemorar.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Assim como Limongi, também tenho muito carinho e admiração por Bernardo Cabral. Para não ser pressionado pelos lobistas, o relator da Constituinte trabalhava escondido num escritório da Gráfica do Senado. Foi lá que eu levei os 18 maiores caciques brasileiros ao encontro dele, inclusive Davi Yanomami. E depois fomos todos juntos falar com Dr. Ulysses Guimarães. Na época, redigi as emendas do interesse dos indígenas e todas elas foram aprovadas na Constituinte. Liderados por Cabral e Ulysses, os parlamentares souberam respeitar os direitos dos índios. Bons tempos. A gente era feliz e não sabia. (C.N.)

É preciso estar aberto a aprender todos os dias, durante a vida inteira

Artista plástico do DF com síndrome de Down exibe quadros em exposição

Quadro de Augusto Corrêa, inovador e personalíssimo

Vicente Limongi Netto

Não perco o entusiasmo pelos textos da jornalista Ana Dubeux, que deu esta lição no Correio Braziliense, edição do dia 19: “Ninguém passa do tempo de viver e aprender”. Realmente, é preciso estar aberto a aprender todos os dias, durante a vida inteira. Ou seja, viver aprendendo.

Quem desdenha da força de trabalho dos idosos, a meu ver, precisa lavar os neurônios, caso os tenha, e com água sanitária.

O CASO DE BAURU – Nesse sentido, Dubeux recorda o melancólico episódio de três patéticas universitárias que debocharam de Patrícia Linares, 44 anos, aprovada para o curso de Biomedicina. numa faculdade particular de Bauru, São Paulo.

Como esperado, o trio de ridículas recebeu imediata indignação da sociedade. Depois da asneira, veio a desculpa esfarrapada e se desligaram do curso.

“O etarismo, além de tudo, é impregnado de uma burrice generalizada, uma ignorância diante das estatísticas do Brasil e do mundo em relação à idade da população”, concluiu Dubeux.

DICA DE EXPOSIÇÃO – Excelentes, originais e expressivas, as 27 telas inéditas do artista plástico Augusto Corrêa, 22 anos, em exposição até esta quinta-feira, dia 23, no Espaço Cultural Athos Bulcão, na Câmara Legislativa de Brasília.

Augusto Correa é um exemplo para a sociedade, por ser portador da Síndrome de Down. Dá a todos nós uma lição de vida, pois demonstra ter se tornado um pintor maduro e talentoso, que faz um trabalho inovador e personalíssimo.

É filho de Jack Corrêa e Tatiana, neto do ex-ministro Walfrido Mares Guia, que se orgulham muito dele.

Informações relevantes, em estilo curto e grosso, sobre fatos da política e do cotidiano

Após intervenção de Bolsonaro, Ibaneis Rocha e Flávia Arruda oficializam  chapa no DF | Exame

Ibaneis soube aguardar com paciência a decisão da Justiça

Vicente Limongi Netto

“Ibaneis Rocha voltou”, cantarolam os novos amigos de infância do governador do Distrito Federal . Políticos brasilienses disputando, quase no tapa, para ver quem primeiro “pediu” o retorno do governador ao cargo. São dissimulados, demagogos e hipócritas. Ibaneis está emocionado e impressionado com o assédio dos bajuladores.

Oceanos de elogios à governadora interina, Celina Leão, pela postura democrática e isenta na ausência de Ibaneis. Apaniguados já colocaram nela a faixa de governadora, em 2026. Creio que Celina não fez mais do que cumprir seu dever.

INTELIGÊNCIA ZERO – O senador Renan Calheiros afirma, convicto, que faltou ao país, um serviço de informações moderno e qualificado, para evitar os atentados golpistas de 8 de janeiro. O equipamento adquirido pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin) foi utilizado para outros fins.

E Brasília está em suspense, porque serão cenas repugnantes e patéticas, prato cheio para adversários políticos, quando os advogados devolverem para a Policia Federal as joias milionárias que Bolsonaro, com a maior cara lambida, levou para casa.

Outra notícia negativa é sobre a professora Edmar Sônia, que ganhou, em sala de aula, um pacote de esponja de aço. Ela fez pouco caso da atitude covarde e claramente racista do aluno. A pouca firmeza da professora estimulará novos casos semelhantes de canalhice.

PAI E FILHO CRIMINOSOS – A nação espera que o desembargador corrupto Cândido Ribeiro, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), em Brasília, e o filho, advogado Ravik de Barros Bello Ribeiro, , envolvidos em vendas de sentenças para traficantes, sejam punidos severamente pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Aposentar o magistrado que desonra o cargo, dando-lhe salário integral sem trabalhar, e apenas suspender a carteira do filho na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), não significam punição, mas a completa desmoralização da boa e digna justiça.

E os brasileiros, já massacrados com tantas impunidades, ficarão conscientes de que, para punir magistrados e advogados criminosos, no Brasil não existe Justiça.

OUTRAS NOTÍCIAS – A Polícia Federal já sabe que o milionário patife Robinho está numa boa e se diverte joga futevôlei em Santos. Mas pode faltar pouco para começar a praticar o esporte na cadeia, se a Justiça brasileira acordar e desfazer a impunidade dele.

A lavada do Brasiliense para o Botafogo, por 7/1 ,lembra outro fiasco memorável e cruel, o 7/1 do Brasil, na Copa de 2014, para a Alemanha. E assim o “Jacaré” candango entrou para a história pelo avesso;

Por fim, uma boa notícia: o presidente da Confederação Nacional do Comércio, Roberto Tadros, entregou ao vice-presidente e ministro da Indústria e Comércio, Geraldo Alckmin, o documento “Propostas e recomendações do Sistema Comércio para o desenvolvimento do país”. Pode ser que o governo se inspire…

Já decepcionado com Lula, só resta ao eleitor esperar 2026 para se livrar da polarização

Ilustração reproduzida do Arquivo Google

Vicente Limongi Netto

Tudo indica que a constatação é verdadeira. A Presidência da República é máquina de moer gente. Revigora, enche de poder o político, mas também maltrata e machuca. Bolsonaro foi eleito com a tarefa de mandar o PT para as cucuias.  Na chefia da nação, porém, esmerou-se em trapalhadas, insultos e omissões.

O eleitor então trouxe Lula da Silva de volta das catacumbas. Ungido como salvador da pátria, é saudado no exterior, por chefes de Estado, enquanto aqui nos arredores palacianos, é massacrado pela tropa bolsonarista.

MUITOS ATROPELOS – Mal iniciou o governo, começaram os atropelos. O ex-finado MST, de triste memória, botou as manguinhas de fora, invadiu propriedades, sem nenhum pio de Lula, enquanto um dos ministros, acusado de corrupção dos pés à cabeça, é mantido no cargo. Com direito à banca de Santo do pau oco.

Por sua vez, o presidente da Câmara, Arthur Lira, foi claro e taxativo no recado a Lula: por ora, no Congresso, são imensos os prenúncios de tempestade para o governo. Trocando em miúdos, Lula tornou-se refém dos gulosos do Centrão.

Por seu turno, Bolsonaro gabava-se com migalhas do noticiário, cutucando Lula em edificantes palestras nos EUA. Agora o mito de barro e a ex-primeira-dama estão enrolados até o pescoço com diamantes e outras joias valiosas.

AGUARDANDO 2026 – Aos brasileiros só resta aguardar por 2026, para ver se prosseguirá a inacreditável, surrada e cansativa toada da ciranda política, do troca-troca e do bate e volta pelo poder. Ninguém merece.

Enquanto isso, o experiente senador Renan Calheiros não berra, não vocifera. Trabalha com eficiência. É do ramo. Sempre dialogando a construindo pontes.

Com visão para eleições de 2024, o senador Calheiros já conseguiu a filiação para o MDB de 68 prefeitos, dos 102 municípios alagoanos. Realmente, é uma façanha política dificilmente alcançada por lideranças em outros Estados.

É preciso endurecer as leis para punir feminicídio, que se tornou uma praga no Brasil

Brasil abre um inquérito de feminicídio a cada três horas

Vicente Limongi Netto

A nação vive apreensiva e indignada com a escória de canalhas e covardes ameaçando, agredindo e matando mulheres. Ninguém aceita nem suporta mais tanta impunidade. O Brasil deveria seguir exemplos de outros países, punindo severamente, com leis mais duras, os assassinos que destroem famílias porque não aceitam o fim do relacionamento.

No exterior o assunto é tratado com o rigor que merece. Prisão perpétua ou pena de morte. Joguem no lixo falsos escrúpulos e hipocrisias.

DIZ ANA DUBEUX – Nesse sentido, na edição do Correio Braziliense de 19/02, a jornalista Ana Dubeux cobrava: “É preciso avançar na legislação do problema. Entender que a violência contra a mulher é responsabilidade de todos- homens e mulheres, escolas, governo”.

O editorial do jornal (04/03) exige: “Fim do feminicídio é uma luta de todos”. O texto reitera uma triste constatação, a lei Maria da Penha, criada para punir ordinários e assassinos, não intimida os agressores. Pelo contrário, virou piada.

Acordem, políticos em geral e governos, comecem a trabalhar pela aprovação de leis que de uma vez por todas enjaulem esses monstros. Assim, vale a pena participar dos debates que o Correio promoverá, dia 7, véspera do Dia Internacional da Mulher, com o tema “Combate ao feminicídio: uma responsabilidade de todos”.

HOSPÍCIO LEGISLATIVO – A instalação, no Senado, do Grupo Parlamentar Brasil-Israel serviu de melancólico palanque para capachos bolsonaristas fazerem proselitismo da trágica passagem de Bolsonaro pela Presidência da República.

Difícil saber qual deles era o mais enfurecido e destrambelhado. Só faltaram babar no microfone, na gravata ou no vestido.

Ouvindo os patéticos e medonhos depoimentos, o embaixador de Israel, Daniel Zohar Zonshine, ficou na dúvida se estava no plenário de uma comissão técnica da Câmara Alta ou dentro de um hospício bem instalado

Algumas notícias do dia demonstram que este país está meio fora eixo

Brasil | Charge | Notícias do dia

Charge do Frank (Arquivo Google)

Vicente Limongi Netto

Notícias correm rápidas, como voos de pássaros. É preciso retê-las e apreciá-las antes que se evaporem. Nessa linha, figuram quatro assuntos publicados no Correio Braziliense de hoje, dia 24.

O editorial saúda a decisão da CBF de incluir três punições severas no regulamento geral de competições da entidade, para casos de racismo dentro de campo. “Antes tarde do que nunca”, salienta o texto, confiante de que o presidente da CBF, o baiano e negro, Ednaldo Rodrigues, não fraquejará diante de pressões de dirigentes atrasados, demagogos, hipócritas, oportunistas e mal intencionados.

OUTROS ASSUNTOS – A deputada bolsonarista Carla Zambelli (PL-SP), aquela que correu pelas ruas de São Paulo, de arma em punho, atrás de um desafeto, é patética, além de ridícula, confusa e destrambelhada.

A deputada afirma que Bolsonaro errou, no discurso de 30 de dezembro. Em seguida acredita que o ex-presidente não fugiu para Orlando, mas que já deveria ter voltado. Depois, observa que Bolsonaro pode vir a ser preso.

Em meio aos comentários mais estapafúrdios, Bolsonaro diz que não leu nem lerá a tal entrevista,  Mas o pior é a salada de raciocínios desconexos que passam longe do bom senso.

FALTA DE ASSUNTO – A meu ver, é uma colossal falta de assunto, o fim da picada, o fato de três deputados brasilienses estarem fazendo das tripas coração, enchendo os peitos de orgulho, na disputa para ver quem é o verdadeiro autor ou autora, da proposta na Câmara Legislativa que trocando o nome da ponte Costa e Silva para Honestino Guimarães.

Por fim, ganhou liberdade a técnica de enfermagem Elize Matsunaga, que matou e esquartejou o marido, tentando fugir e sumir com o corpo em duas malas. Nos Estados Unidos, o crime seria punido com pena de morte ou prisão perpétua. Sem direito às inacreditáveis saidinhas.

Agora, Elize tornou-se motorista de aplicativo em Franca, São Paulo. “Cuidadosa e atenciosa”, opinaram, aliviados, os clientes. Faço votos para que nenhum deles se apaixone ardentemente por ela.

Em prol da coletividade, Lula e Tarcísio de Freitas superam quaisquer divergências políticas

Desastres e 8 de Janeiro reduzem distância entre PT e Tarcísio

Garantir o socorro aos desabrigados é obrigação de todos

Vicente Limongi Netto

O quadro trágico de dezenas de mortos e milhares de desabrigados no litoral paulista uniu os corações e os deveres de dois homens públicos importantes, o presidente Lula e o governador Tarcisio de Freitas.

Lula acentuou, com desprendimento e grandeza de espírito exemplares:  “O bem comum do povo é muito mais importante do que qualquer divergência que a gente possa ter”.

POLÍTICA VERDADEIRA – Por sua vez, Tarcisio agradeceu o carinho e a presença de Lula, determinando urgentes providências para sanar o cenário triste e desolador.

A política verdadeira serve a coletividade. Valoriza o cidadão. Dignifica aqueles que sabem exercê-la com correção e eficiência.

São bem-vindas as boas causas que melhorem a qualidade de vida dos mais necessitados. Partidos existem para atender os anseios coletivos.  Quando desvirtuada por grupelhos sedentos por interesses subalternos, a boa política cai no descrédito. Perde o respeito do eleitor.

ACABAM DESPREZADOS – A democracia permanece inabalável, mas os maus políticos acabam desprezados. A maior tarefa de todo bom e isento chefe da nação é trabalhar pelo bem-estar da população. Lula e Tarcisio de Freitas são bons personagens do presente e do futuro.  Sabem de suas imensas responsabilidades.

Tarcisio não desdenha o passado político. Foi eleito, no primeiro turno, com as bênçãos de Bolsonaro. Foi atuante ministro da Infraestrutura do ex-presidente. Com imenso talento político, o governador paulista, todavia. não tem vocação para caranguejo.  Bolsonaro tornou-se um “quadro amarelado na parede”, diria Drummond.

MERECEDORES – A banda boa da política, intelectuais, juristas, amigos e empresários, preparam-se para homenagear,  próximo dia 27 de março,  a chegada altiva,  triunfal, digna e respeitada, dos 91 anos de idade de Bernardo Cabral, símbolo da resistência democrática.

Por fim, vamos registrar o bom retorno de Marlênio José Ferreira Oliveira, que está de volta ao  cargo de coordenador-geral de representação institucional da Suframa (Superintendência  da Zona  Franca de Manaus) no Distrito Federal. Homem certo no lugar certo.

Pacheco agrada aos senadores com aumento de 18% como ajuda de custo…

Presidência do Senado: Rodrigo Pacheco é reeleito com 49 votos - Jornal  Contábil - Contabilidade, MEI , crédito, INSS, Receita Federal e Auxílios

Pacheco ficou com pena dos senadores e permitiu o aumento

Vicente Limongi Netto

O presidente do Senado é caridoso. Alma boa. Deu reajuste de 18% aos senadores como ajuda de custo. Rodrigo Pacheco não suportou ver senadores tristes, acabrunhados, chorando pelos corredores. Lisos e duros. Com ternos, sapatos e gravatas velhas. Da legislatura passada.

O carnaval será animado. Alguns senadores mais magoados e tristes estavam amuados com Pacheco. Ameaçando romper relações. A mesa diretora estava entupida de lamúrias de senadores. Senadores pobres e desesperançosos estavam tirando as medidas nas costureiras para brincar o carnaval com a singela fantasia “pão e água”. Pacheco tem enorme coração. Quer ver todos alegres e felizes dentro do senado.

REFORMA TRIBUTÁRIA – O presidente da Confederação Nacional do Comércio, Bens e Serviços (CNC), Roberto Tadros, considera a reforma tributária extremamente importante e necessária para o crescimento do país.

Porém, a seu ver, “não é justo o aumento da carga tributária sobre o setor de serviços, que responde por 37% da força de trabalho no Brasil e gerou 55% dos empregos formais no país, na retomada da economia depois da pandemia”.

EDNALDO VAI BEM – Sereno, afável, fala mansa, a gestão do baiano Ednaldo Rodrigues é marcada com atitudes firmes e marcantes. Como a decisão de punir com rigor atos de racismo, no regulamento geral de competições. A entidade estabeleceu penas gradativas como multa de 500 mil reais, perda do mando de campo e perdas de pontos.

Nessa linha, com tranquilidade, sem açodamentos e estranhas pressões de ex-jogadores por técnico estrangeiro para o lugar de Tite, o cartola Ednaldo definiu como técnico interino da seleção o treinador Ramon, que foi excelente meia do Vasco da Gama e acaba de se consagrar como campeão Sul-Americano sub-20. Bola pra frente.

Lula faz sucesso no exterior, mas aqui no Brasil ainda continua perdido em buscar desforras

Nani Humor: Marxismo dos Irmãos Marx

Charge do Nani (nanihumor.com)

Vicente Limongi Netto

Na política externa Lula viaja em céu de brigadeiro. Sorridente, não tem queixas. Colhe bons frutos. O mesmo não se pode dizer da política interna. No quintal do governo federal o mais bobo dar nó em éter. “Tudo vai na mais perfeita confusão”, diria Machado de Assis.

Nos bastidores e fora deles, crescem as brigalhadas e trombadas por cargos. O povo, o mais interessado por benefícios e soluções, angustiado e já com boa dose de decepção, assiste aos inacreditáveis arranca-rabos.

GOELA GRANDE – Os donos dos partidos que apoiaram a eleição de Lula são gulosos. Não têm limites.  Não suportam contenções.  Exigem nomear até guardas noturnos de praças e condomínios.

Por sua vez, neste oceano egoista de demandas pessoais, o povo continua sonhando que um belo dia algum anjo virá, finalmente, protegê-lo. Nessa linha, Lula é porta-voz do governo e de si mesmo. Fala sem tréguas de assuntos que desconhece. Mostra exagerado triunfalismo sobre tudo. Pelo andar da carruagem, nem a vigilante primeira-dama, Janja, tem conseguido frear os arroubos presidenciais.

Ninguém consegue colocar na cabeça às vezes dispersiva do chefe da nação que ele precisa parar de ir nas ondas nebulosas, rancorosas e ávidas por vinganças, das intrigas de petistas mais chegados. Aqueles de cama e mesa. O verbo pacificar sumiu do Palácio do Planalto. É preciso trabalhar firme e forte para o barco Brasil não correr o risco de ficar à deriva.

FIM DA PERSEGUIÇÃO – Pericia da Policia Federal não encontrou anormalidades nem irregularidades no celular do governador Ibaneis Rocha.

Adversários desajustados e desapontados do governador atearam fogo às vestes. Montaram fracassado e melancólico escarcéu. Se o democrata Ibaneis errou, foi confiar no medíocre e golpista “serviço de inteligência” da Polícia Militar.

Não pode ser punido por excessos de estupidez e fanatismo de militares viúvos politicamente do desprezível ex-presidente que fugiu para os Estados Unidos.

TERCEIRO LUGAR – O futebol pentacampeão está salvo. O Flamengo voltou do Marrocos com o sensacional e respeitado terceiro lugar no torneio.

Anjos saindo das frestas dos escombros, venceram a escuridão e o frio das trevas

Número de mortos em terremoto na Turquia e na Síria passa de 11 mil

Tragédia do terremoto já matou mas de 20 mil pessoas

Vicente Limongi Netto

Impressionantes as imagens dos resgates de crianças soterradas no terremoto que atingiu a Turquia e a Síria. Meninas e meninos suportaram pedras e entulhos. Espremidos pelas ferragens. Trêmulos. Cabelos desalinhados. Rostos sujos de barro. Olhos miúdos e espantados. Roupa rasgada, empoeirada. Alguns descalços. Chorando.

Acolhidos pelos braços, pela alma e pelo coração de aliviados e contentes adultos. Vestidos de fé e esperança. Anjos renascidos e agradecidos, retribuindo com beijos e ternura a exemplar bravura e solidariedade de turcos e sírios. Imagens mostrando ao mundo que nem tudo está perdido.

MÃOS À OBRA – Oportuno e firme o editorial “Congresso precisa trabalhar pelo país”(Correio Braziliense- 07/02). Mãos à obra. Basta de discurseiras e brigalhadas.

“O Congresso não pode fugir de suas responsabilidades. Todos os votos que deputados e senadores receberam nas urnas devem ser honrados”, salienta o editorial. O jornal destaca que “devido a tantos anos de descaso dos parlamentares,  a imagem do parlamento no Brasil é péssima”. Recordo, nesse sentido, reforçando e endossando a enérgica cobrança do editorial, trechos do que escrevi sobre o tema, no Correio Braziliense e na  Tribuna da Internet,  nos idos de novembro de 2022:

“A principal missão dos senadores e deputados é trabalhar, sem trégua, dar sangue e suor, pela população. O interesse coletivo tem que ser prioritário. Esquerda e direita devem assumir, de uma vez por todas, suas responsabilidades. Basta de jogar para a plateia, enquanto o povo sofre e amarga humilhações”.

Afinal, por que o senador cuecão deixou Bolsonaro para cair nos braços de Lula?

Senador da cueca acionou Planalto para obter avião e transportar material  de empresa investigada - Tribuna da Imprensa Livre

Charge do Clayton (O Povo/CE)

Vicente Limongi Netto

O cuecão do senador Chico Rodrigues voltou a ser destaque. Desta vez, com toda pompa e de partido novo. Foi para o PSB. Virou socialista. Deixou na mão o ex-ídolo Jair Bolsonaro e virou fã de carteirinha de Lula, mas sem largar o cuecão com bolinhas verde e amarelas. Afinal, por que o senador cuecão deixou Bolsonaro para cair nos braços de Lula? Ninguém sabe. É o maior mistério da política moderna, no Brasil e no mundo.

Assim, o frescor do lixão saúda o Senado de 2023. Não há detergente que alivie o cheiro do cavernoso ambulante, que já foi governador de Roraima. Desde 2021 o fedor está impregnado e não sai mais. O odor ruim maltrata o olfato.

MEDIDAS SANITÁRIAS – Antes que o cuecão bigodudo de Roraima, nascido em Pernambuco, volte na nova legislatura a desfilar fagueiro pelos corredores, o Senado teve de tomar medidas rigorosas de limpeza. Todos serão protegidos. Serão rígidas as normas sanitárias nas dependências da chamada Câmara Alta.

Senadores, visitantes e servidores receberão cartilha com instruções de limpeza, enviadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Aquários foram lacrados. Telas embrulhadas. Flores cobertas de plástico. Alimentos protegidos com papel laminado. Para não contaminar os pedidos, o serviço de delivery passará a ser entregue por drones.

A Mesa Diretora do Senado, atenta aos rigores do meio ambiente e da salubridade, construiu um banheiro exclusivo para o cuecão. Com ducha poderosa, vaso sanitário de ferro e sabonetes internacionais.

BLINDADO DE LUXO – Para não contaminar os motores e estofamentos de couro dos carros dos senadores, o  prestativo presidente reeleito do Senado, Rodrigo Pacheco, presenteará Chico Rodrigues com um moderno blindado de 4 portas à prova de maus odores. Exclusivo. Um luxo.  A sala do Conselho de Ética foi pulverizada, esterilizada e aromatizada com pétalas de rosas, com as cadeiras guardando distância entre os senadores.

Os senadores no “Túnel do Tempo” receberam máscaras fabricadas pelo Instituto Butantã e oferecidas pelo governador Tarcísio Freitas.  Bolsonaro mandou dos Estados Unidos pacotes de fraldas geriátricas. Da cota pessoal do ex-presidente.

Agora precavido, nosso senador não deseja mais ser surpreendido pela Polícia Federal caso volte a guardar dinheiro dentro da cueca. Servidores que cuidam da arrumação e limpeza do plenário, juram que viram o busto de Ruy Barbosa tapar o nariz de vergonha. Com a #nojo.

É preciso punir com todo rigor os garimpeiros ilegais e os golpistas trapalhões

Garimpo ilegal polui as águas e cria crateras na floresta

Vicente Limongi Netto

Fatos se sucedem, pantomimas e acontecimentos são destaques, mas há boas pautas. Cito uma delas: o governo Lula deveria pedir ajuda ao ex-presidente Fernando Collor, que no exercício da chefia da nação expulsou a corja maldita de garimpeiros do território yanomami.  Collor agia com firmeza e determinação. Bandido não se criava na gestão dele.

Lula precisa agir rápido, para ontem, como Collor, se realmente quiser botar ordem naquela região. Indígenas são maltratados, escorraçados, passam fome e sede, sem saúde e remédios, e, soube-se agora, adolescentes são estupradas pelos garimpeiros canalhas, covardes e ordinários.

EXPULSÃO IMEDIATA – Esses garimpeiros são monstros que precisam deixar as terras que não são deles. Por determinação legal, pertencem ao povo yanomami. É preciso expulsá-los, mesmo que seja na força. No cacete, com bombas, granadas, metralhadoras, tanques e outros armamentos pesados.

Eles barbarizam a região, mas permanecem impunes, destruindo e humilhando nossos indígenas. Estão debochando das autoridades federais, com a conivência do estúpido e omisso governador de Roraima.

Garimpeiro ilegal é repugnante e desprezível. Para onde vão, é problema das autoridades policiais federais. Por mim e seguramente para milhões de brasileiros, deveriam ser punidos exemplarmente com prisão, antes de irem para os quintos dos infernos.

OUTRA PAUTA –  Golpistas são desprezíveis,  também merecem mofar na cadeia. No Brasil, além de facínoras, baderneiros e vândalos, trata-se de golpistas trapalhões. Chafurdam na canalhice. Sem neurônios. Dão tiros nas patas imundas. Tropeçam na própria mediocridade.

O quarteto de debiloides, formado por Do Val, Daniel Silveira, Valdemar Costa Neto e Anderson Torres, a serviço do genocida que fugiu para Orlando, agora tenta livrar a própria cara. Dois deles já estão em cana. O senador e o presidente do PL, ainda soltos, tentam confundir a opinião pública com versões malucas e patéticas. São canastrões de chanchadas golpistas.

Por sua vez,  o ministro Alexandre de Moraes, que não teme nem dá trégua para marginais,  já mandou Do Val se explicar direitinho. Hora de chumbo grosso e cadeia na horta dos bazofeiros e energúmenos trapalhões. Faltará Lexotan no porão torpe da politicagem, como observou o ministro do STF, Gilmar Mendes.4

É triste constatar a desfaçatez e o oportunismo da maioria dos políticos brasileiros

Na carona de Bolsonaro, Marinho conseguiu se tornar senador

Vicente Limongi Netto

Político gosta de aparecer. Mesmo como pingente dos fatos. Político medíocre faz tudo para sair da escuridão da alma ruim e pegajosa. Não importa se atropelando o bom senso, a paciência e a inteligência alheia. Político ruim não tem argumentos.

Acostumado a armar palanque para buscar lampejos de luz. Usa e abusa das redes sociais para tentar seduzir figuras torpes e vesgas como ele. Aproveita eleições para azucrinar ouvidos de pessoas que não lhe dão nenhuma importância. Não tem senso de ridículo.

DOIS EXEMPLOS – Mariposa de holofotes fáceis. Não pode ver um foco de luz que fica indócil, fantasiado de homem público exemplar. Exemplos do melancólico e ridículo perfil de vestais grávidas são os senadores Eduardo Girão e Rogério Marinho. Reis da pantomima.

Usaram a eleição para a presidência do senado para despejar insultos levianos e grosseiros na Câmara Alta, nos colegas e no candidato reeleito, Rodrigo Pacheco. Venceu o melhor, o mais preparado.

Patéticos e grotescos, Girão e Marinho levaram como lição boa surra nas urnas.  Apelaram feio, em busca de votos. Colocar uma melancia na cabeça seria menos enfadonho. Presepeiros, sem competência para presidir o Senado. O genocida Bolsonaro bancou Girão e Marinho. Quebraram as fuças.

URGENTE: Jornalista Gloria Maria, da Gobo, morre aos 73 anos | Revista Fórum

Glória Maria sabia se reinventar, a cada momento da vida

GLÓRIA ETERNA – A múltipla jornalista Glória Maria partiu feliz. Como repórter, editora e apresentadora, sempre a mesma competência.

Deixou legado de aplicação, coragem, firmeza de atitudes, carisma, sabedoria, energia,  respeito e amor ao jornalismo. Na toda-poderosa Globo, tornou-se sinônimo de audiência. Quando atuava no Fantástico, sempre que se iniciava a transmissão de suas magníficas reportagens, o Ibope imediatamente subia. Por tudo isso, era intocável dentro da emissora dos Marinhos.

Ao fechar na outra esfera, Glória Maria foi logo instalando seu estúdio no condomínio das estrelas e pautou o Todo Poderoso e Rei Pelé para saberem das novidades.