Saudade do tempo em que ministro do STF podia sair às ruas, porque não era odiado

Impeachment é para quem dá as costas para Constituição, como Bolsonaro, diz ex-ministro do STF - 17/01/2021 - Poder - Folha

Ayres Britto, total respeito à Constituição

Vicente Limongi Netto

Justos elogios de Ana Dubeux (Correio Braziliense – 31/12) ao ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF), Ayres Brito. Poeta, democrata e patriota. O sergipano Ayres Brito sempre esteve na linha de frente dos bons combates. Lúcido, agradável e competente. Foi dos áureos tempos da Suprema Corte valorosa, quando era respeitada pelos brasileiros.

Quando ministros podiam ir, sossegados e sozinhos, na padaria, no boteco tomar um chope ou ir ao shopping. Colega de expoentes como Celso de Mello, Marco Aurélio Mello, Joaquim Barbosa, Carlos Velloso e Sepúlveda Pertence (no céu). Tempos saudosos que não voltam.

Gabriel e Gérson, inteiro, aos 83 anos

SEM ANCELOTTI – Aves agourentas lamentam que o italiano Carlos Ancelotti não vem treinar a seleção. E daí? Timeco do quanto pior, melhor, quer a saída do interino Fernando Diniz. Deixem o moço trabalhar em paz. Derrotas da seleção em 2023 não significam o fim do mundo. A caminhada é árdua, as vitórias virão. A seleção terá mais tempo para treinar. Jogadores importantes estarão de volta ao elenco. Seleção em busca do sonhado hexa precisa de harmonia. Intrigalhadas atraem fracassos.

Niterói em festa. Dia mais do que estrelado na rua Olavo Bastos. Gabriel Marques Limongi, 17 anos, morador em Manaus, feliz e sorridente por ver o sonho realizado, foi conhecer, abraçar e conversar com o ídolo dele, o cerebral e eterno Gerson Nunes, “Tesouro nacional”, na marcante e verdadeira definição do Rafael, pai do Gabriel.

Respeito e aplausos para Gerson, o inigualável e eterno canhotinha de ouro do tri, meu amigo, irmão, camarasa, completando 83 anos no próximo dia 11.

Gerson declarou, saudando Pelé: “Um Rei não morre. Um Rei apenas descansa”. Passados 60 anos, Gerson continua fazendo falta, sem substituto à altura, no meio de campo da seleção pentacampeã. Grande figura. Valoroso amigo.

TERNO DA POSSE – O Correio Braziiense bateu o martelo( 01/01). Davi Alcolumbre pode mandar fazer o terno de posse. Não tem para ninguém. Já está eleito presidente do senado. Fim de papo. Estamos conversados. Matéria inacreditável, assinada por dois repórteres, que ficam devendo aos leitores melhores argumentos, por terem colocado Alcolumbre puxando a fila para ser enviada ao Vaticano para ser canonizado.

Pintaram Alcolumbre como exemplo de postura ética. Não se deram ao básico trabalho jornalístico de ouvir opiniões de outros senadores, ou líderes partidários. Tido como amapaense casto e trabalhador, mereceria um altar nas igrejas, mas na verdade Alcolumbre é o que há de pior na política brasileira. O busto de Ruy Barbosa, dentro do plenário do Senado, fecha os olhos de vergonha quando Alcolumbre passa.

A política brasileira é patética, imunda  e hipócrita. Deputado bolsonarista é agredido, com tapa, por petista, e ainda corre o risco de ser cassado.

15 thoughts on “Saudade do tempo em que ministro do STF podia sair às ruas, porque não era odiado

  1. Sr. Vicente Limongi Netto, peço sua licença em invadir sua excelente matéria, mas recebi um pedido do Sr. Carlos Newton e não tive tempo de escrever antes, minha querida mãe estava internada e como teve alta, e já está em casa comigo, graças ao bom Deus, só agora pude me debruçar para cumprir o pedido do nosso redator.
    Um abraço,
    José Luis

    Tribuna da Internet1 de janeiro de 2024 at 19:51
    Tudo de bom para você e todos os seus, aí no meu querido Leme, onde morei na Gustavo Sampaio.

    Peço-lhe que interceda junto ao Nélio Jacob para que ele não abandone o blog.

    Abs.

    CN

    Sr. Nélio Jacob,
    Recebi com tristeza este recado do nosso redator, Sr. Carlos Newton, se é que entendi bem, o Sr. abandonou o blog.
    Realmente não tenho mais visto seus comentários.
    Não sei qual o motivo desta sua decisão, mas um pedido do nosso chefe, não pode ser recusado.

    Gosto muito dos seus comentários, são lúcidos e sérios e sempre me fazem refletir…
    Evidentemente posso discordar do Sr. em algum comentário, mas isso faz parte da pluralidade de pensamentos. Essa é a parte bacana do blog, e se todo mundo concordasse com todo mundo, o blog seria uma chatice sem tamanho.

    Não sei qual é o motivo da sua decisão, mas imagino que deva ser porque um ou outro tributário pega no seu pé.
    Não ligue pra isso, leve na brincadeira como eu levo… já fui atacado várias vezes e jamais desisti, sabe por que, porque é o espaço mais bacana que há, em matéria de política.

    Então não nos prive dos seus textos, queremos mais, muitos mais…!
    Não se intimide, junte-se a nós, tenho certeza que os que divergem ou convergen com suas opiniões, estão tristes.

    Lembra do nosso grande amigo Chicäo Bendl, deve estar gargalhando lá de cima, ele não levava desaforo pra casa, brigava, mas depois voltava, sempre nos ilustrando com o melhor dos seus pensamentos…
    Hoje nos faz muita falta, sempre lembro dele, era um homem com um coração enorme.

    Voltando ao assunto, claro que a decisão é somente sua, mas não se intimide, afinal somos todos amigos de longa data.

    Bem, volto a repetir que não sei qual é o motivo da sua decisão, reflita melhor, e volte com vontade e força, afinal, todos temos muito apreço pelo Sr.

    Não sei se fui o único tribunário designado pra esta missão pelo nosso redator chefe, logo, estou fazendo a minha parte, MISSÃO DADA, MISSÃO CUMPRIDA!

    Deixo um abraço apertado em nome do Sr. Carlos Newton e de todos os tribunários que sentem um profundo apreço e respeito pelo Sr.

    Cordialmente,
    José Luis

  2. Sobre a decisão do Sr Nélio Jacob, só tenho a lamentar. Um dos usuários que mais agregava ao blog, sempre muito educado, espero de coração que reveja seu afastamento e volte com suas opiniões coerentes e refinadas.

  3. Saudade palavra que nos remete a algo bom que aconteceu. O que está ocorrendo agora no mundo é em especial no Brasil, e o resultado da degradação dos valores. Quanto ao stf, chamar aquilo de supremo é uma piada de gosto duvidável

  4. Ayres Britto não passa de um traíra. Acovardou-se na condução da farsa do Mensalão. Bastou uma matéria de 3 minutos do JN que dizia que seu genro, advogado atuante no direito eleitoral, estava captando clientes com processos no TSE, que seriam julgados pelo sogro, feito presidente daquela corte eleitoral. Dia seguinte, Ayres Britto estava de mala e cuia do lado do establishment que ansiava pela derrubada do Lula e do PT por meio da farsa jurídico-midiática encampada pelo Joaquim dor nas costas Barbosa, que, tão logo descoberta a manobra, foi expulso da Corte Suprema antes mesmo de terminar seu mandato de presidente da casa, sob o pretexto insustentável de que estava sendo ameaçado por petistas. O JN não falou mais no assunto e passou a incensá-lo e promovê-lo diuturnamente não só como “jurista respeitado” como também poeta à altura de Drummond.

  5. Fica, Nélio. Ficaremos pobres sem tua marcante e lúcida presença. Se você for embora cortarei os puls9s e deixarei carta culpando você, porque não atendeu nosso pedido. O Espectro disse que pulará do Cristo Redentor. Com paraquedas furado, para dar mais emoção ao “suicidio”. Saúde, amigo Nélio.

  6. creio que muitos entenderam minha brincadeira. paciência. o importante é que nélio reconsidere sua decisão e espectro continue com saúde e eu, deixe meus pulsos em paz.

  7. “A longo prazo estaremos todos mortos”, é provavelmente a frase mais conhecida do famoso economista J. M. Keynes.
    Eu acrescento, no curto e médio também e sigo com minha filosofia: Não é porque morreu um caranguejo que o mangue inteiro vai ficar de luto.
    Hehehe

  8. Se eu não me engano , o último juiz do STF que saía sozinho para tomar uns chopps na esquina , sem medo do povo era o ex-juiz Joaquim Barboza .

    • Exato Sr. Rafael, o inelegível e alguns “patriotas” que elegeram os ministros do STF como inimigos, fomentando ódio e até divulgando endereço de sua s famílias.

      E um pedido também ao querido Nélio Jacó. Que não nos prive de sua ilustre pena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *