Apesar do tesão, a inabilidade de Lula diminui as chances dele ser reeleito

Chequei Ancap on X: "🚨URGENTE: Charge da Revista Oeste satiriza viagens de  Lula e Janja ao redor do mundo. https://t.co/178lRyQc8S" / X

Charge do Schmuck (Revista Oeste)

Roberto Nascimento

Nos assuntos econômicos e também nas relações administrativas, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, deveria ser mais ouvido pelo presidente Lula, que tem preferido o péssimo conselheiro Rui Costa, ex-governador da Bahia, que desde assumir a Casa Civil colocou na cabeça o sonho de herdar o legado de Lula, mas não tem as mínimas condições de ser o futuro aiatolá do PT, um partido dividido em múltiplas alas.

Se continuar com essas divisões internas, movidas por Rui Costa, Gleisi Hoffmann, Lindbergh Faria e companhia limitada, o bolsonarismo, concentrado no PL e no Centrão, vai empurrar o PT para ser o futuro PSDB, que está nas cordas, justamente pelas divisões dos caciques Eduardo Leite, João Dória e Aécio Neves, três coveiros dos tucanos.

ERROS DOS OUTROS – Essa turma do PT precisava aprender com os erros dos outros partidos. O MDB, que dominava o país, também está morrendo aos poucos. A cada eleição, míngua ainda mais, até chegar ao fim.

Lula não vem se saindo bem, politicamente. Perdeu o timing político e suas falas não têm ajudado ao governo, portanto, atira no próprio pé. Atacar o mercado não é bom negócio, é péssimo. O dólar disparou, prejudicando a economia.

Antigamente, Lula usava o vice José Alencar para cumprir esse papel de criticar os juros altos. Desta vez, Lula não quer pedir o apoio de Geraldo Alckmin, e assim perde pontos com o sistema financeiro e com a classe média, porque ninguém aguenta a subida do dólar toda vez que Lula ataca Roberto Campos Neto.

SABER RECUAR – É preciso saber recuar, sempre que uma estratégia política não dá certo. Persistir no erro é uma sandice. Um exemplo é o Arthur Lira, que preside a Câmara. Levou porrada das mulheres por pautar a PEC da Criminalização da Mulher em caso de Aborto, com a pena de 20 anos, enquanto o estuprador pega no máximo 10 anos, e ainda, de maneira inexplicável, impôs o regime de urgência. O autor do projeto, deputado pastor evangélico Sostenes Cavalcante, da Assembléia de Deus, se escondia diante das críticas avassaladoras das mulheres, que foram às ruas nas capitais para execrar Arthur Lira.

O presidente da Câmara sentiu o golpe e transferiu para agosto, a votação da PEC do Aborto e a PEC da Anistia aos Partidos Políticos, que apenas o PSOL e o Novo foram contras. O PT, enterrou a cabeça na areia, igual um avestruz. O eleitor não deveria perdoar essas atitudes políticas.

Se Donald Trump vencer, quem sairá perdendo será o povo norte-americano

67% consideram Trump vencedor do debate contra Biden

Trump usou sua experiência na TV para roubar a cena

Roberto Nascimento

As análises políticas sobre o primeiro debate entre Joe Biden e Donald Trump, apontam na direção da vitória do candidato republicano. Tenho visão diferente sobre quem venceu ou quem perdeu. Se Trump venceu, quem perdeu foi o povo americano, que é o ator principal e sofreu uma contundente derrota.

Fala-se que o problema é a idade – Trump completou 78 anos dia 14 de junho, é três anos e meio mais jovem do que o democrata Biden, que completa 82 anos no dia 20 de novembro, 15 dias depois da eleição.

UMA AMEAÇA – Todos sabem que Donald Trump é uma ameaça à democracia nos Estados Unidos e no mundo. Seu currículo é impressionante – um empresário misógino, apresentador de TV, abusador de mulheres, mentiroso, sonegador de impostos, cínico, troglodita e principalmente um tremendo de um golpista.

Na sucessão passada, Trump fez de tudo para fraudar a vontade do eleitor americano, a ponto de incentivar a invasão do Capitólio (Congresso americano). Foi uma tragédia que poderia ter ocasionado um massacre de senadores. No final, morreram quatro policiais na invasão e um outro foi levado ao hospital em vida, mas não resistiu.

Trump tem um espírito autoritário e vingativo. Ele usa as armas de psicologia das massas, atuando nas consciências individualistas e nacionalistas, que abominam a concorrência dos imigrantes.

PROMESSAS VÃS – Como candidato, é de uma falta de caráter impressionante, fazendo promessas vãs, que nunca irá cumprir, como o muro da fronteira com o México, a redução drástica dos impostos, subsídios aos combustíveis, pleno emprego e inflação abaixo de zero. É a América primeiro, na enganação dos marqueteiros republicanos.

Portanto, se essa figura dantesca conseguir voltar ao Poder, quem perderá, além dos americanos, serão os demais habitantes do planeta.

Trata-se de um perigo anunciado. A vitória desse ogro significará um passaporte para militares e golpistas da América Latina, principalmente, que sonham em experimentar novo ciclo de ditaduras militares e civis. Aliás, uma avant-première de quarteladas protagonizadas por generais ocorreu nesta semana na Bolívia.

GOLPES EM SÉRIE – A Bolívia, como toda a América Latina, tem histórico de golpes em série. Mais de tentativas de golpes foram desferidas contra a democracia boliviana nos últimos 30 anos. Lembro do troglodita Hugo Banzer, um dos mais violentos ditadores da Bolívia, do mesmo DNA do general paraguaio Strossner e do chileno Augusto Pinochet, quem em 1973 invadiu o Palácio Lá Moneda e matou o presidente Salvador Allende

Os brasileiros precisam ficar atentos, porque o que acontece nos Estados Unidos costuma se repetir por aqui. Esse é o cenário da tragédia anunciada. Por isso, a vitória de Joe Biden ou de outro candidato democrata, significará a preservação do regime em sua inteireza.

Sou otimista e tenho esperança em dias melhores para a humanidade, que nunca correu tanto perigo de extinção como agora, tanto através de uma guerra nuclear, quanto ao perigo das repetidas tragédias climáticas.

Campos Neto não tem condições éticas para ser presidente do Banco Central

Charge do Aroeira (Arquivo Google)

Roberto Nascimento

O economista Roberto Campos Neto perdeu as condições de dirigir o Banco Central em 2021, quando foi envolvido no escândalo Pandora Pampers, numa investigação sobre sonegação de impostos. Na época, foi confirmado que Paulo Guedes, ministro da Economia, e Roberto Campos Neto, presidente do BC, mantinham contas secretas em paraísos fiscais.

Ou seja, Guedes e Campos Neto não confiavam na própria política monetária que estavam colocando em prática. Para fugir dos impostos sobre transações financeiras no Brasil, ganhavam dinheiro no Brasil e investem no exterior. Pode até ser legal, mas é imoral.

TUDO CERTO – Nenhum dos dois pensava no Brasil. É muito fácil jogar pedras no quintal alheio e ficar caladinhos do nosso lado. Não aceitam nenhuma crítica, nada, nada, certamente acham que está certo conduzir a economia brasileira, mas manter os investimentos pessoais no exterior, mas é claro que se trata de total desmoralização.

Sob esse critério antiético, os outros são corruptos, mas nossos aliados são santos, mas só se forem santos do pau oco, para levar nosso ouro clandestinamente, como na era da colônia.

Portanto, Roberto Campos Neto perdeu as condições morais de permanecer no comando da Banco Central naquela época. Seria preciso autorização do Senado para demiti-lo, mas teria valido a pena.

COM TARCÍSIO – E aí está o Roberto Campos, agora engajado na campanha de Tarcísio de Freitas a presidente em 2026. No showmício e banquete promovido pelo governador de São Paulo, em homenagem ao economista, entre loas e afagos, Campos Neto foi convidado para ministro da Fazenda do novo governo, se Tarcísio vencer, é claro.

Há dois sinais claros, que vislumbro do banquete das elites empresariais de São Paulo, com a nata do sistema financeiro:

1- Os donos do poder financeiro e industrial descartaram o ex- presidente Jair Bolsonaro, que já teria cumprido o seu papel e agora vai ser solenemente dispensado.

2- Esse grupo político e empresarial, não conta com a possibilidade de reeleição de Lula em 2026. Como Jair, o presidente Lula deixou de ser o queridinho do Poder Econômico.

ESTÁ EM CAMPANHA Os nomes de Caiado e Zema são como aqueles bois de piranha, fracos e doentes de votos, que vão para o sacrifício para a boiada do governador Tarcísio de Freitas passar livre, leve e solta no caminho do Palácio do Planalto.

Muitos não querem ver, porque estão cegos pela polarização e pela ideologia, mas os movimentos de Tarcísio são claros. Ele vem tendo boa interlocução com o Supremo, com a bancada evangélica (em cultos foi visto rezando com olhos fechados) e, principalmente, o governador implementou ampla medida de cortes de gastos públicos, ambicioso programa de privatizações, inclusive nas Escolas Públicas, a exemplo do implantado no Paraná.

Pergunto: tudo isso é obra do acaso?

Jogo sujo! Lira escolhe a evangélica Benedita da Silva para relatar projeto do aborto

Tietagem a Lira prenuncia chance de reeleição histórica - Diário do Poder

Lira sabe que Benedita, como evangélica, é contra o aborto

Roberto Nascimento

A consagrada escritora Simone de Beauvoir disse que basta uma crise econômica, política ou religiosa para que os direitos das mulheres sejam questionados pelos homens. Por isso, elas precisam se manter vigilantes. Uma verdade inquestionável de Simone de Beauvoir, que é símbolo da luta pelos direitos das mulheres.

Na trilha aberta pela escritora francesa, as mulheres aprenderam a se defender e não estão de bobeira. No final de semana, houve manifestações em muitas cidades do país. Em São Paulo, as ativistas ocuparam a Avenida Paulista em protesto contra os deputados Sóstenes Cavalcante e Arthur Lira, criador e patrocinador desta sandice contra as mulheres. E a campanha contra o projeto será cada vez mais forte.

REAÇÃO FORTE – No Congresso, os parlamentares estão apavorados com a reação das mulheres e também dos homens que têm humanidade em seus corações, que apoiam a causa feminina e defendem os direitos que elas conquistaram ao longo do tempo.

O autor desse projeto da criminalização do aborto é o deputado Sóstenes Cavalcante (PL-RJ), representante do segmento evangélico. Entrevistado pela jornalista Andréia Sadi, disse que vai propor para estuprador a pena máxima de 30 anos, mas não pretende reduzir a pena que sugeriu para punir a mulher que aborta, que no projeto é de 20 anos.

Não contente com essa insanidade absoluta, Sóstenes disse à repórter Andréi Sadi que pretende testar o presidente Lula, que assinou uma carta para os evangélicos em 2022, assegurando ser contra o aborto. Se Lula vetar a lei, vão espalhar na Internet que o presidente é mentiroso e não merece confiança.

URGÊNCIA INDEVIDA – Por manobra do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), foi aprovada urgência para o projeto, que assim vai direto ao plenário, sem passar pelas comissões técnicas. Maia errou também ao escolher a deputada Benedita da Silva (PT-RJ) para relatar a proposta. Ela é evangélica e ativista contra o aborto.

O fato concreto é que as esquerdas e o governo estão sendo covardes, ao não defender com o devido empenho os direitos das mulheres. Somente no fim de semana Lula tocou no assunto, criticando o  projeto.

Mas quem sabe o que a mulher deseja fazer com o seu corpo são elas e não os homens, que não conhecem nem eles próprios. A lei em vigor hoje é muito melhor do que o projeto. Mesmo que escalem parlamentares que sejam pastores retrógrados para fazer lobby no Congresso, não se pode aceitar que eles queiram agravar e piorar a legislação pertinente.

Se vocês acham que Moraes recriou a censura, esperem o que vem por aí

Charge sobre censura - Donny Silva

Charge do Nani (nanihumor.com

Roberto Nascimento

Vem aí mais uma vergonha protagonizada pelo Congresso, em especial da lavra do presidente da Câmara, deputado Arthur Lira, que aproveita a queda nas pesquisas e a atual fragilidade do presidente Lula para passar a boiada, literalmente.

São regras flexíveis, que serão votadas desfigurando o Código Eleitoral, para inviabilizar a punição de políticos que fizerem a festa nas verbas de campanha, oriunda de recursos públicos do Fundo Eleitoral. Vai ser um vale tudo, na qual deputados e senadores poderão fazer o que eles bem entenderem. Lei votada, ninguém mais vai botar o guizo no gato.

DESIMPROPIDADE – Outra mudança em andamento é a flexibilização da Lei de Improbidade Administrativa. Se tornará uma impossibilidade prática a punição de gestores corruptos.

Mas o pior está por vir e atingirá os críticos e comentaristas da Tribuna da Internet: Será considerado crime criticar deputados e senadores, em qualquer plataforma das redes sociais e na internet em geral.

Estão querendo uma pena de 4 anos de prisão em regime fechado, se escreverem que Arthur Lira é corrupto na gestão dos recursos da Câmara dos Deputados, por exemplo. Uma barbaridade, em comparação à Lei da Mordaça e à censura feroz da Ditadura Militar.

BLINDAGEM – Os defensores dessas restrições não têm medo do ridículo e querem acabar com as liberdades democráticas no país. Os chefes dos Três Poderes, por exemplo, não poderão ser criticados de maneira alguma, segundo os articulares dessa reforma medieval. Nenhuma crítica, sob pena de prisão inafiançável.

Lembram de uma PEC da Mordaça? Sim, aquela que José Dirceu tentou aprovar, impedindo o Ministério Público de divulgar trechos de inquéritos contra políticos e autoridades? Pois bem, a Câmara dos Deputados também colocou essa mordaça no radar, e para ontem.

Na prática, vão inviabilizar a ação investigadora do Ministério Público. Seria melhor acabar com o MP, porque aprovada essa PEC do fim do mundo, o procuradores e promotores não teriam mais serventia.

DELAÇÃO PREMIADA – A Lei da Delação Premiada, inspiração da presidente Dilma Rousseff, que foi execrada e depois impichada por não ter vetado essa PEC da Delação está em vias de ser votada em regime de urgência, decretada por Arthur Lira, para acabar totalmente com a Delação Premiada, principalmente se o delator estiver preso. Se trechos da Delação forem vazados, o responsável pela investigação pode ser demitido, a bem do serviço público.

Se todas essas medidas draconianas passarem, ninguém mais vai ser preso no Brasil. Os advogados criminalistas estão rindo à toa, porque essas leis terão o condão de livrar seus clientes das grades e cárceres.

Medidas surrealistas, parece brincadeira, mas não é. Trata-se da realidade nua e crua. Estão tramando tudo isso aí. E há chances robustas de serem aprovadas. Votos, eles têm. Será que a sociedade brasileira vai fazer ouvidos de mercador e aceitar o que deputados e senadores querem aprovar goela abaixo, contra o país?

Proposta para privatizar praias está sendo considerada “traição ao país”

A proposts passou fácil na Câmara e agora falta o Senado

Roberto Nascimento

Concordo com a análise de Pedro do Couto. Essa PEC das Praias nada mais é do que privatização imobiliária do litoral. O debate é salutar, porque traz a lume uma série de problemas que estavam por debaixo do tapete. O foco principal é que essa proposta de privatizações das praias é uma traição nacional.

É preciso raciocinar que a ilegalidade já existe há muito tempo, e o grande exemplo é a quantidade de orla marítima e de ilhas que já estão privatizadas, em todas as regiões do país banhadas pelo Oceano Atlântico.

NA VIDA REAL – As praias de Angra dos Reis, Mangaratiba e Paraty, por exemplo, já foram privatizadas há tempos. Ou seja, para esses municípios pouco muda, porque neles o mais difícil hoje é encontrar uma praia ou ilha que ainda não esteja privatizada.

Ao invés de combater as invasões, as prefeituras incentivam a ilegalidade, para aumentar a arrecadação de IPTU. Assim, a PEC da entrega de patrimônio público para o privado se destina apenas a legalizar a privatização das praias e ilhas, que as elites empresariais e políticas já ocupam em pontos estratégicos da costa brasileira.

Já existem leis sobre a ocupação das praias. Uma das regras é ter uma servidão de acesso ao mar a cada 100 metros, por exemplo. O objetivo da privatização é justamente evitar que sejam preservados esses acessos, para que as praias se tornem totalmente particulares.

RELATOR RECUA – Assustado com a repercussão negativa na opinião pública, o senador Flávio Bolsonaro, relator da PEC das Privatizações das Praias, anunciou que vai modificar a proposta, para incluir itens que proíbam os proprietários de terrenos e ilhas de cercear o acesso as praias. Ora, quem vai botar o guizo no gato?

O suposto recuo do relator é apenas estratégico, para aguardar instruções dos maiores interessados, as redes hoteleiras internacionais, que aguardam a legalização dos cassinos para investir mais pesadamente na construção de grandes hotéis e resorts no país.

A proposta foi aprovada na Câmara com a maior facilidade. Só falta a aprovação do Senado para virar emenda constitucional. A dificuldade atual deriva da reação da atriz Luana Piovani, que peitou o jogador Neymar nas redes sociais e denunciou o esquema. É que, ao invés de se dedicar ao futebol, Neymar agora resolveu ser empresário no ramo da hotelaria. Luana Piovani tomou-lhe a bola, deu um drible da vaca nele, que passou vergonha e já saiu de campo. Melhor assim.

Trump e Bolsonaro arrasam os manguezais morais e éticos dessa democracia moderna

Podcast debate como Trump estimulou teorias conspiratórias - 14/03/2024 - Podcasts - Folha

Após o julgamento, Trump atacou todo mundo, inclusive o juiz

Roberto Nascimento

Em relação à tragédia climática no Sul, a solução chinesa das cidades-esponjas, implantada o na China pelo arquiteto e paisagista Kongjian Tu, é umá proposta que pode ser viável, por prever uma mais absorção das águas das chuvas, ser eficaz e de baixo custo.

Yu acredita que o modelo tradicional, centrado no concreto e focado em represas, barragens, piscinões e canais de drenagem, que fracassaram no Rio Grande do Sul, deve ser acrescido pelo sistema de conter as águas através de vegetação, manguezais, ações verdes, que funcionam como esponjas.

Em São Paulo, há uma lei que obriga a manter uma área verde em toda construção. Deveria ser adotada em todas as cidades do país.

POUCO MUDOU – Depois da Pandemia, pouca coisa mudou na percepção humana das tragédias, portanto, não creio que mudará muito, quando a poeira abaixar e as águas voltarem ao curso normal no Rio Grande do Sul.

O mercado não tem nenhuma disposição para resolver a crise climática. A única preocupação do mercado é o lucro. No Estadão, um artigo do lendário Thomas Friedman aborda os manguezais cortados na Mata Atlântica e os manguezais destruídos da sociedade americana por Trump.

Friedman destaca a importância dos manguezais para o ecossistema: suas raízes trançadas servem de criadouros de peixes e crustáceos, porque impedem a entrada dos predadores, além de absorver parte das toxinas da poluição marinha.

MANGUEZAIS MORAIS – Como os manguezais da Mata Atlântica, também estão sendo destruídos os manguezais morais e políticos da sociedade americana. A sociedade da maior democracia do mundo não se importa mais com os vigaristas, os mentirosos, os corruptos, os sonegadores, os misóginos e com homens como Trump.

O bilionário não ligou para o filho recém-nascido, foi se encontrar com a prostituta famosa e mandou seu advogado pagar pelo serviço. Mas os apoiadores de Trump não ligam para esses deslizes do seu ídolo, que sabe conduzir com maestria esse tipo de gado eleitoral.

Brasil e Estados Unidos estão cada vez mais iguais, na substância e no conteúdo. Donald Trump, apesar de tudo o que ele fez, se mantém em primeiro lugar nas pesquisas nas eleições presidenciais do dia 5 de novembro deste ano.

BRASIL E EUA – O manguezal moral da América foi cortado, vale tudo nos EUA. O que vejo de semelhança com o Brasil, é que ocorre o mesmo com Bolsonaro. Ele também destruiu filtros morais da sociedade brasileira e seus apoiadores continuam firmes com ele.

Sua atuação na Pandemia, a venda de joias por meio ilegal, a falsificação da carteira de vacinação, o planejamento do golpe de Estado, o uso da máquina pública em eventos comemorativos da República para atacar o Judiciário, o incentivo a política de armas para todos, tudo isso e muito mais, numa ampla destruição de manguezais morais e éticos.

Bolsonaro, será candidato em outubro de 2026. O Congresso prepara uma anistia ampla, geral e irrestrita para o mito e todos os envolvidos na tentativa do golpe de Estado. no dia oito de janeiro. O exemplo de Donald Trump está tão vivo que sinto o rufar dos tambores aqui no Brasil.

Haddad, o melhor quadro do PT, está se tornando a maior vítima da polarização

A Terra é redonda o tempo todo', rebate Haddad, chamado de 'negacionista' por deputado do PL | Brasil | O Dia

Chamado de negacionista, Haddad perdeu a paciência

Roberto Nascimento

Fernando Haddad é um petista especial, de grande cultura, que se tornou professor de Ciência Política da Universidade de São Paulo (USP), instituição pela qual se graduou bacharel em Direito, mestre em Economia e doutor em Filosofia. Acumulou também muita experiência na prática administrativa, como ministro da educação e prefeito de São Paulo.

Haddad sempre foi um cavalheiro, um homem fino, enfim. Mas de vez em quando ele se irrita com o fogo amigo do PT e com a pressão do Congresso contra determinados ajustes fiscais que ele considera necessários.

ESTILO DINO – Para agir no estilo de Flávio Dino, certamente Haddad está muito pressionado. É tiro, porrada e bomba de todo lado, da oposição e até do PT, sem falar nas declarações de Lula sobre economia.

O fato é que, por causa da sua ampla cultura e do destaque que tem como segundo nome mais importante do PT, Haddad tornou-se alvo dos demais aspirantes a suceder Lula, que terminará o mandato com 81 anos, já bastante desgastado.

A ordem é partir com tudo contra Haddad. Não sei até quando ele vai suportar. Envelheceu bastante. Aliás, o poder envelhece qualquer um, mais rapidamente do que a ordem natural. No entanto, há os que creem que os cínicos, quando chegam ao poder, não envelhecem, porque são frios, sem nenhuma culpa, pelo mal que produzem. Pode ser, pode ser…

IMPORTADOS ISENTOS – No ano passado, o ministro da Fazenda propôs o pagamento de impostos por produtos importados até 50 dólares, a maioria made in China. Foi uma gritaria danada no Congresso e nos grupos extremados da rede bolsonarista, aqueles amantes de golpes de estado, à moda e semelhança da ditadura de 1964.

Pois bem, agora o barco virou completamente. O setor de varejo e a indústria pressionaram Arthur Lira e Rodrigo Pacheco, para taxarem os produtos chineses, que estão levando a falência os produtores nacionais. O Congresso agiu rapidamente. Está em vias de ser votado um projeto de Lei taxando os produtos importados de baixo custo.

Quem está contra hoje? Ora, os bolsonaristas, os petistas e o próprio Lula. Uma metamorfose de fazer corar qualquer frade de pedra. E o presidente diz que vai vetar, se o Congresso aprovar a taxação.

EM SILÊNCIO – Haddad está em silêncio sobre o tema e nenhum deputado do PL, na sabatina de quarta-feira na Câmara, em que tentaram emparedar o ministro, chamando-o de negacionista, nenhum deles deu uma só palavra sobre o tema.

O Brasil está de cabeça para baixo. É necessário e importante taxar essas importações e fortalecer a indústria nacional, tese defendida por Lula e pelo PT.

Para que tanta polarização, se o PT e p PL, nesse caso, estão de mãos dadas? Vale a pena todo esse estresse e todo esse ódio, quando nos bastidores as duas maiores forças políticas acabam se entendendo? E o pior é que esses interesses comuns entre lulistas e bolsonaristas nada têm a ver com os interesses nacionais. E tudo está ficando muito estranho.

Prefeitura devolveu R$ 125 milhões que seriam usados na drenagem do Guaíba

Prefeito de Porto Alegre quer retomada das aulas e revela preocupação com  habitação - ISTOÉ Independente

Prefeito diz ter contratada uma empresa norte-americana…

Roberto Nascimento

A jornalista Maria Fernandes, do Valor Econômico, excelente profissional, publica coluna as sextas-feiras no jornal Valor Econômico, sempre trazendo informações importantes e exclusivas. Pois bem, nesta sexta-feira, dia 17, a colunista noticiou, que o sistema de bombas, que impediria as águas do Guaíba de invadir Porto Alegre, estava mesmo inoperante.

E o pior: revelou que uma verba de R$ 125 milhões, enviada em 2015 pelo governo federal, retornou em 2019, porque a prefeitura não usou o dinheiro na modernização do sistema de drenagem.

PÉSSIMAS GESTÕES – Como se vê, os prefeitos de Porto Alegre, de 2015 até hoje, acharam desnecessário gastar em manutenção e modernização. Talvez, não acreditassem, que as águas iriam alcançar o nível de 5,30 m, como ocorreu em 1941 e motivou a instalação do sistema de drenagem e outras obras. O estudo, que deu origem a essa informação, foi elaborado por 48 técnicos das universidades gaúchas.

Na manhã deste sábado, dia 18, assisti uma entrevista do prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo (MDB) na CNN. Ele está perdido, não tem preparo para lidar com a tragédia proveniente da inundação da cidade.

Só fala em dinheiro, Nossa Senhora, que loucura. Nada disse sobre a falta de manutenção das bombas de drenagem, que se estivessem em operação evitariam o pior. O incompetente prefeito anunciou a contratação de uma empresa dos Estados Unidos para a gestão do pós-enchentes na cidade. Ainda não foram informados os valores que serão gastos pela Prefeitura com essa terceirização, que chega a ser uma ofensa aos engenheiros e especialistas brasileiros.

ACREDITAR NA CIÊNCIA – Os políticos deveriam acreditar na ciência e levar em conta os alertas dos especialistas. Os oceanos Pacífico, Atlântico e Índico, não estão conseguindo manter o esfriamento da atmosfera terrestre, porque suas águas estão de 3 a 5 graus mais quentes.

Por isso, surgem as ondas de calor e formação de massas de ar quente, que impedem o avanço natural das frentes frias. Essa massa de ar quente fica paralisada e forma gigantescas nuvens.

O encontro da frente fria e a massa de ar quente localizada causa a precipitação dessas chuvas torrenciais, que no Brasil se tornam tão devastadoras.

EM OUTROS PAÍSES – O problema não está ocorrendo apenas no Brasil. No Afeganistão, a enxurrada foi avassaladora, no mesmo momento da tragédia que assola os gaúchos. Chove torrencialmente, também na Indonésia. É um fenômeno global.

O aquecimento da Terra atingiu um ponto perigosíssimo. Apesar disso, os países continuam ignoraram as metas de redução do desmatamento, do uso de combustíveis fósseis e de uma política econômica sustentável. A Rio 92 foi solenemente ignorada.

Entendo perfeitamente, que não deveríamos politizar a ajuda a população do Rio Grande do Sul. Não é a hora da luta política, apesar das eleições municipais próximas. Eleição de governador em 2026, é apenas um retrato na parede. Não adianta antecipar o pleito, porque o povo saberá separar o joio do trigo.

Primeiro passo é aumentar a vazão do Lago Guaíba e da Lagoa dos Patos

Desnivel do estuário da Lagoa dos Patos é muito pequeno

Roberto Nascimento

Os prejuízos das famílias, que perderam suas casas, e das empresas, com instalações devastadas, além dos prédios públicos inundados, pontes destruídas, aeroportos alagados, formando um dantesco cenário de destruição.

O que aconteceu no Rio Grande do Sul foi uma manifestação da natureza. Uma sucessão de fenômenos naturais, que ocorreram naquela região. Impossível de serem contidos pela mão inteligente do homem.

NINGUÉM SABERÁ – Por que no Sul e não em outro lugar? Ninguém saberá. Como não sabemos a razão da devastação de Petrópolis, Teresópolis, Friburgo, que foram também devastados, até com maior número de vítimas. Na última calamidade em Petrópolis, por exemplo, morreram 240 pessoas.

Não gosto de falar em clima de guerra, porque esse desastre é também culpa dos homens, porque a tragédia teve um componente de controle hidrológico da Lagoa dos Patos, que tem 265 km de extensão, mais da metade do trajeto Rio São Paulo.

Todos os rios da região desembocam no Lago Guaíba e depois vão para a Lagoa dos Patos, cuja vazão, a caminho do mar, é sempre muito lenta, devido ao desnível ser pequeno.

PEQUENA VAZÃO – O final da Lagoa tem uma passagem estreita. Quando a maré está alta, as águas têm dificuldades para desembocar no oceano, e desta vez houve problemas nas engrenagens usadas para aumentar a vazão no Lago Guaíba e na Lagoa dos Patos.

As obras iniciais de engenharia deveriam focar nessa dificuldade. É o primeiro passo para impedir que a tragédia se repita. Se a Lagoa dos Patos vazar mais rapidamente, com a abertura de novos escoadouros e ampliação dos já existentes, o Lago Guaíba não transbordará tão facilmente, reduzindo o refluxo das águas e os trágicos efeitos em Porto Alegre e nos municípios a montante, rio acima.

MAIS DIQUES – Outra obra necessária, seria aumentar o número de diques, construídos na altura de cinco metros, principalmente em torno de Porto Alegre e São Leopoldo. Todos os diques da região foram ultrapassados por causa do volume gigantesco das águas.

Há possibilidade também de fazer diques subterrâneos, como o governo Leonel Brizola fez na Baixada Fluminense e o governo Marcello Alencar construiu no Rio Carioca, bairro de Laranjeiras.

No Sul, o prejuízo está sendo grande, mas a população gaúcha é forte e em pouco tempo há de recuperar tudo, para voltar ao estágio de potência agrícola e industrial do Brasil. Algumas cidades, porém, devem ser reconstruídas em locais mais altos, assim como todas as sedes, celeiros e silos das propriedades rurais que sofreram inundação.

Tarcísio de Freitas é ameaça ao país, pois aprendeu a se fingir de democrata

Sem Bolsonaro, maioria dos manifestantes na Paulista prefere Tarcísio em 2026

Tarcisio de Freitas quer ser a nova versão de Bolsonaro

Roberto Nascimento

Tarcísio de Freitas é um governador que se finge de democrata, mas apoia a bancada da bala, da porrada e da bomba. Alega que se arrependeu de ter dito a frase famosa “não estou nem aí para os direitos humanos”, mas esse arrependimento foi da boca para fora.

A violência policial em São Paulo se tornou a maior do Brasil. Incentivada por Tarcísio de Freitas, adota o famigerado “excludente de ilicitude’, prática de seu secretário de Segurança, o capitão linha-dura Guilherme Derrite, eleito deputado federal pelo PL. Ou seja, o governador paulista não respeita hierarquia nem disciplina e nomeia um capitão para comandar coronéis.

PAÍS SOB AMEAÇA – Quem vai nos livrar do fanatismo religioso, da Teoria do Domínio, do fim do Estado Laico, das mentiras disseminadas nas Redes Sociais, sem nenhum controle. Quem?

O maior exemplo foi a tentativa de golpe de estado em 8 de janeiro, após a conspiração ser preparada durante todo o ano de 2022. Para quê? Para implantação de uma ditadura nos moldes de 1964, ainda mais violenta, tocada pelos kids pretos. Aí sim, a censura seria total, ampla e irrestrita.

Liberdade de expressão não significa o direito de torpedear as Instituições, tomar de assalto o Estado, escravizar o povo, matar, torturar e sumir com os adversários. Com base num anticomunismo doentio, com a implantação do medo vermelho nas consciências puras das pessoas simples, isso é uma covardia.

BRASIL É CONSERVADOR – O comunismo ruiu com a queda do regime soviético. Além disso, o Brasil é um dos países mais conservadores, patrimonialistas e individualistas do planeta. Não há a menor perspectiva de comunismo, é uma característica de seu povo.

Além do mais, as Forças Armadas são profundamente conservadoras, e sem o poder armado não se muda regime algum, principalmente uma troca de capitalismo por comunismo. Trata-se de uma impossibilidade prática. Mas a extrema-direita sempre se utiliza dessa armação para enganar os incautos.

Assim, eu jamais votaria num candidato como Tarcísio de Freitas. É um representante da extrema-direita, similar ao Bolsonaro, mas que atua como um camaleão, tentando se fingir de democrata.

Lula não tem entusiasmo para liderar base aliada e os problemas se agravam

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva discursa no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, onde acompanha julgamento de recurso contra condenação no caso triplex do Guarujá (Reuters/Leonardo Benassatto/Direitos

Lula anda discursando demais e articulando de menos

Roberto Nascimento

A desoneração da Folha de Pagamento não se coaduna com os ditames do regime capitalista. Na verdade, o empresário que pleiteia tal benesse na realidade deseja aumentar a margem de lucro, ao invés de investir e abrir empregos, como era o objetivo da Medida Provisória.

Os prefeitos, quase todos endividados, querem usar essa economia advinda da desoneração, para contratar mais pessoas em seus municípios, através de OS e alavancar suas reeleições em outubro deste ano. Se endividam ainda mais e depois correm com o pires na mão, para pedir ajuda ao governo federal, visando rolar a dívida, sinônimo de calote.

JUROS EXAGERADOS – Alguns governos estaduais não fogem à regra, usam e abusam desse direito de se endividar. Rio de Janeiro, Minas e Rio Grande do Sul estão com dívidas bilionárias e têm problemas para pagar. Cláudio Castro, do Rio, acaba de entrar com ação no Supremo para reduzir os juros cobrados pelo governo federal, que são muito altos e dificultam o pagamento.

Em relação aos empresários de 17 setores, que ganharam do governo Dilma Rousseff o presente da desoneração da folha de pagamentos, o que significou reduzir as contribuições para o INSS. Estão furiosos, com a possibilidade do fim da farra tributária e ameaçam demitir empregados em tom de ameaça.

Esses maus brasileiros não, querem saber da pátria e nem ligam para o déficit do INSS, a cada ano crescendo, pois a oferta de emprego não avança e o brasileiro está envelhecendo muito rápido, logo requerendo suas aposentadorias, o que lhes é de direito, porque contribuíram ao longo da vida.

PRESSÃO TOTAL – A conta não fecha e empresários e prefeitos pressionam o Congresso para manter as desonerações indevidas na folha de pagamento. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), sabe disso, mas, seus interesses políticos falam mais alto do que o Brasil.

Pacheco quer eleger o senador Davi Alcolumbre como seu sucessor na presidência do Senado em fevereiro do ano que vem e depois alavancar com a ajuda dos prefeitos de Minas Gerais, sua candidatura ao governo de Minas em 2026.

Há alguém bobo no Senado e na Câmara? Se não fossem muito espertos, nenhum deles tinha chegado lá. Por causa dessa gente malandra, de tempos em tempos é necessário fazer mais uma reforma da Previdência, destinada a suprimir direitos adquiridos dos pensionistas e aumentar o tempo de idade e de serviço, dificultando suas aposentadorias.

BASE ALIADA –  E o governo Lula não soube manter uma base aliada confiável, vive tendo problemas no Congresso. O adiamento da votação dos vetos do presidente Lula, para o dia 9 de maio, articulado pelo governo, não será capaz de evitar a derrota.

Não vai adiantar nada trocar o articulador político do governo, ministro Alexandre Padilha e repassar a missão para o vice presidente, Geraldo Alkimin. O vice não tem vocação para operador político. Esse papel, no momento, só pode ser exercido com eficácia, pelo presidente Lula. Mas, Lula não está com aquele entusiasmo de outrora, para receber deputados, senadores e líderes das bancadas no Congresso.

Então, as crises vão continuar do mesmo jeito que está agora,: O Legislativo pressiona, o governo libera emendas. Dão um tempo e voltam a emparedar o governo. Será assim até a eleição de 2026. Quem pode duvidar desse roteiro dos horrores?

Musk usa Brasil para desgastar Biden e facilitar a volta de Trump ao poder

Elon Musk reativa conta de Donald Trump no Twitter; saiba o que motivou decisão

Elon Musk apoia Donald Trump e sabe fazer o jogo político

Roberto Nascimento

É triste constatar o verdadeiro motivo de os deputados do Comitê Jurídico da Câmara norte-americana publicarem documentos sigilosos da Supremo Tribunal Federal e do Tribunal Superior Eleitoral do Brasil, de 2020 até 2024.

Não existe preocupação deles com a política brasileira. O interesse é prejudicar o governo democrata de Joe Biden e enfraquecer o presidente na disputa de poder contra o republicano Donald Trump, nas eleições de outubro deste ano.

QUESTÃO PARTIDÁRIA – O fato concreto é que o Comitê Jurídico é dominado por deputados do Partido Republicano, que são ligados ao empresário Elon Musk.

Ao aceitarem fazer uma parceria com o bilionário, eles não tinham qualquer interesse no Brasil. Apenas aproveitaram a oportunidade para enfraquecer Joe Biden, por apoiar o atual governo brasileiro, inclusive se manifestou contra o golpe tramado para melar as eleições de 2022.

Elon Musk também é republicano e está nessa jogada para derrubar o presidente democrata. Por isso, denuncia com tanta insistência uma suposta censura que estaria sendo implantada no Brasil, para deixar mal o presidente Biden, pelas boas relações que mantém com o governo Lula.

SEMPRE O LUCRO – Há também as razões empresariais. As empresas de Elon Musk mamam nas tetas do governo norte-americano, sim, têm contratos bilionários com estatais, como a NASA (Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço), para as viagens espaciais. Segundo um dos acordos, a NASA terá cinco missões espaciais com a SpaceX, empresa de Elon Musk. Desde o final de 2020 a SpaceX já recebeu cerca de US$ 5 bilhões por prestar os serviços.

Há outros contratos com empresas de Musk, numa vergonhosa teia de interesses políticos e comerciais, que explicam melhor esse súbito interesse de Musk pelo Brasil.

Não queremos nem aceitamos a censura que ele denuncia, assim como não aceitamos que o país seja usado no jogo sujo da política norte-americana.

Todos precisam lembrar que não foi nada fácil impedir o golpe de estado

Governo do DF previa fechar Esplanada em caso de manifestações em 8 de  janeiro | Política | Valor Econômico

De repente, as pessoas começam a esquecer o 8 de Janeiro

Roberto Nascimento

Confesso que já critiquei muito o Judiciário, junto com Legislativo e o Executivo, os três Poderes irmanados na linha da impunidade. Quando o Judiciário passou a atuar de verdade, processando e julgando políticos, governadores, empresários, bilionários, principalmente a partir da Ação Penal 470, todos nós passamos a elogiar os ministros da Suprema Corte.

Quando o pêndulo favorável ao STF passou a mudar? Bem, foi depois que o ministro Dias Toffoli entregou soberanamente ao ministro Alexandre de Morars o inquérito das milícias digitais e depois o inquérito da tentativa de golpe de estado.

JULGA RÁPIDO – O fato é que Alexandre de Moraes julga rápido e decide pela prisão temporária ou preventiva, independente da classe social. É o que se tem visto.

Estranhamente, agora todos estão atacando o Supremo, com uma ferocidade sem tamanho, certamente porque estão sendo presos os representantes da extrema direita. Elegeram o ministro Alexandre de Moraes para bater dia sim, dia não. O mais estranho é que o Legislativo, Centrão e o PL são os mais críticos ao ministro-relator.

Suas excelências, os deputados federais, ainda não se deram conta do estrago que o padrão bolsonarista pretendia fazer no Congresso. Se o golpe de estado tivesse sucesso, a turma golpista iria fechar temporariamente o Congresso. Já estava preparada uma cópia do Pacote de Abril de 1977, da lavra do presidente general Ernesto Geisel, seguido de uma lista de parlamentares cassados, bem maior do que em abril de 1964.

FALAM EM LIBERDADE… – Vamos seguindo em frente contra o retrocesso praticado por essa nova direita, que fala em liberdade da boca para fora, porque o que querem mesmo é uma ditadura militar, com tanques nas ruas ou sem tanques mesmo, contanto que a liberdade seja apenas um sonho de uma noite de verão.

Quem mais fala em liberdade é justamente quem não acredita nela, como ocorre com Jair Bolsonaro e seu séquito de admiradores, especialmente os integrantes das bancadas da Bíblia e da Bala.

Não podemos esquecer. O esquecimento é a morte violenta da alma, é pior do que a morte. A morte você lembra, o esquecimento é como se nunca estivesse existido. Nem podemos agir como o Conselheiro Aires disse: “As coisas só são previsíveis quando elas acontecem”. Felizmente, o golpe do Bolsonaro não aconteceu. Mas, era previsível a olhos vistos.

Musk faz papel ridículo ao denunciar a ocorrência de censura aqui no Brasil

Rafinha Bastos fora do CQC! Será? Charge

Charge do Rice (Arquivo Google)

Roberto Nascimento

Chega a ser ridículo falar em censura no Brasil de hoje, como vem fazendo o empresário americano Elon Musk, que nasceu na África do Sul e presenciou censura de verdade, ao vivo e a cores, de conotação racista. Musk é exibicionista, gosta de se mostrar e resolveu atacar o ministro Alexandre de Moraes, para que seja retirado qualquer controle sobre sua plataforma “X” no Brasil.

Musk não sabe mas censura, mesmo, houve no regime de 1964. Começou com o AI-5, em dezembro de 1968, e se prolongou por dez anos, e o único jornal censurado este tempo todo foi a Tribuna da Imprensa, de onde derivou nossa Tribuna da Internet.

SALVOS PELO CONGO – Na verdade, fomos salvos pelo congo, porque teríamos esse monstro de volta, caso o golpe de estado sobreviesse… Eu não poderia escrever este texto e não haveria Tribuna da Internet para publicá-lo.

A liberdade de expressão pressupõe responsabilidade. Não existe liberdade total, é uma utopia. Em tudo na vida há limites, que são estabelecidos pelas leis que regem a vida em comunidade, em que é preciso respeitar o direito alheio.

Aqui mesmo, na Tribuna da Internet, o editor tem de estar sempre coibindo palavrões e ofensas que maculam a liberdade de expressão. Mas as opiniões contrárias expressas pelas minorias precisam ser sempre respeitadas. É a isso que se chama democracia, o melhor regime que existe.

REGRA IGNÓBIL – Se Bolsonaro tivesse executado o golpe, nem esquerdopatas nem direitopatas estariam escrevendo aqui na TI, neste momento. A censura seria uma regra, como foi na ditadura de 64. Quem criticava o regime corria risco de ser preso, torturado e até assassinado, são fatos concretos que os militares da época jamais puderam negar.

O empresário Elon Musk é muito novo e não tem conhecimento do que aconteceu no Brasil. Criticar suposta censura determinada por Alexandre de Moraes é uma atitude exacerbada e injusta. Por que ele não denuncia as torturas cometidas rotineiramente na prisão de Guantánamo?

Moraes tem agido para assegurar o direito à livre informação, sem as manipulações das redes sociais. E o descumprimento de ordem judicial em democracia tem que ser punido.

Supremo está no caminho certo, superando as críticas que lhe fazem

Humor Político on X: "Supremo acima de todos por Claudio Mor #Constituição #JustiçaBrasileira #STF #DiasToffoli #charge https://t.co/8mDiaflpKk" / X

Charge do Claudio Mor (Arquivo Google)

Roberto Nascimento

Foi uma decisão acertada do Supremo Tribunal Federal o compartilhamento dos dados de movimentação financeira atípicas, que podem atingir o coração do crime organizado e da lavagem de dinheiro.

Alvo de muitas críticas e em constantes disputas com o Congresso e o governo, é preciso reconhecer que o STF é hoje o Poder com mais credibilidade da República e vem agindo com uma celeridade impressionante.

FORTE CAMPANHA – Acredito que, por causa de suas decisões rápidas e oportunas, o tribunal vem sendo atacado pela direita e pela esquerda. Na verdade, a campanha contra o Supremo une as duas correntes ideológicas e o Centrão também.

Não consigo entender as razões de tantos ataques ao Supremo. Por exemplo, passaram a criticar a Supremo Corte Suprema no caso da ampliação do foro privilegiado, que visa a evitar que possam fazer manobras que retardem suas condenações.

Pela decisão do STF, não adianta mais que os corruptos de foro privilegiado renunciem ao mandato para serem julgados na primeira instância. Ou seja, a Justiça quer julgar o corrupto com foro que ele tinha quando cometeu ilícito no exercício das suas funções públicas.

HÁ REAÇÃO – Lógico, suas excelências estão em pânico, a ponto de já planejarem uma proposta de emenda constitucional (PEC) para acabar com o foro privilegiado para todo mundo, com medo do STF.

Deputados e senadores perceberam que é mais fácil se livrarem das penas na primeira instância e depois tentarem procrastinar o processo até a prescrição, na infinidade de recursos protelatórios, e os advogados conhecem muito bem, esse caminho das pedras da impunidade das elites corruptas deste país.

Portanto, não posso concordar com as críticas ao Supremo, que desde o Mensalão vem condenando parlamentares, coisa muito rara no Brasil.

ERROS OCORREM – Um ou outro ministro do STF, que toma decisão beneficiando criminoso, não pode servir de mantra para o ataque à instituição máxima do Poder Judiciário.

Lembro que ditadores e golpistas, quando iniciam o planejamento de conspirações e quarteladas, o primeiro alvo que tentam trazer para o seu lado é o Judiciário. Quando não conseguem, fazem campanha para desmoralizar os ministros da Suprema Corte. O Brasil, a Venezuela e a Nicarágua são exemplos dessa política ditatorial.

Bolsonaro usou essa estratégia, assim que foi empossado. Dia sim, dia não, ele atacava o STF. Queria um Judiciário para chamar de seu. Propôs até mandato de 15 anos, para trocar todo mundo e indicar ministros da sua copa e cozinha. Como FHC, Bolsonaro também queria ter um pé na senzala e na cozinha da casa grande.

Autoritarismo de Trump ameaça EUA e pode contaminar a política do Brasil

Pré-candidato republicano e ex-presidente dos EUA, Donald Trump, em comício a apoiadores depois de vencer as prévias republicanas em Nevada, em 8 de fevereiro de 2024.

Trump nada tem de democrata e sabe conquistar eleitores

Roberto Nascimento

Os autocratas e os psicopatas se utilizam dos instrumentos da Democracia, se elegem dentro das regras eleitorais e uma vez eleitos, no dia seguinte começam a trabalhar contra a Democracia, atacando os Poderes da República, nomeando magistrados amigos, comprando o Legislativo e por fim, desqualificando o processo eleitoral para moldá-los a seus interesses ditatoriais de perpetuação no Poder.

E tudo isso está sempre assentado nas Forças Armadas e Policiais do Estado, garantidoras do ditador no Poder e se beneficiando com o carinho financeiro e a proteção jurídica que lhes são concedidos.

CENÁRIO DE HORROR – Nicolas Maduro se insere nesse cenário de horror, iniciado pelo coronel Hugo Chavez na Venezuela, que não está sozinha nesse modelo, vigente nos quatro cantos do mundo, pois 46 países dos 193 que formam a ONU são considerados ditatoriais ou subdemocráticos.

É tão encantadora a farsa da tomada do Poder permanente, com eleição ou sem eleição, que países com forte tradição democrática quase sucumbiram, por conta de líderes messiânicos, que utilizaram as redes sociais para disseminar mentiras para capturar a consciência do cidadão eleitor.

Donald Trump, quase conseguiu destruir a democracia nos EUA, foi por pouco, e agora quer tentar de novo. Jair Bolsonaro copiou o modelo trumpista literalmente e sonhou se transformar no novo ditador do Brasil, através de um golpe de Estado, fracassado por falta de apoio da maioria das Forças Armadas, e havia dúvidas se não seria substituído por um general de quatro estrelas.

AINDA EM JOGO – Depois do vendaval golpista, no entanto, o jogo da tomada do Poder pela força ainda não terminou no Brasil. A Câmara e o Senado, duas instituições do Estado, têm atuado na defesa de criminosos e estão dispostas a tramitar projetos de lei e emenda para submeter ao crivo das mesas diretoras as decisões judiciais que atinjam deputados e senadores.

Trata-se de gasolina no paiol, à mercê de um fósforo aceso. A promiscuidade entre o parlamento e o crime, pode ensejar a tentativa de nova intentona golpista.

É uma possibilidade remota, mas existe, sobretudo se Trump vencer nos EUA. E se acontecer, ninguém moverá uma palha para defender deputados e senadores, que seriam considerados o estopim de novo período militar no Brasil, sem data para acabar.

Lula precisa modernizar e aprimorar o discurso, para não perder mais eleitores

CHARGE – Blog do Cardosinho

Charge do Quinho (Charge Online)

Roberto Nascimento

Se o governo está indo muito bem, inflação dentro da meta, aumento do PIB, desemprego caiu, redução da taxa de juros, já próxima de um dígito, aprovação da Reforma Tributária, enfim, um conjunto de boas notícias econômicas.

Então, por que a avaliação do governo despencou? É simples. Basta conferir os discursos de Lula, com apoio à ditadura da Venezuela, por exemplo. Depois, a comparação com Hitler, ao se referir ao genocídio que o governo de Israel pratica em Gaza e que provoca a desgraça humanitária da população palestina.

MAIS BOBAGENS – Em seguida, veio a fala sobre as calcinhas no Palácio do Planalto, foi terrível. Depois, na reunião ministerial, citar Bolsonaro e chamar o ex-presidente de “covardão”, isso pegou muito mal, dando munição para às redes sociais bolsonaristas.

Para piorar o quadro, surgiu a reportagem da Folha, atestando que os 261 objetos não foram furtados do Alvorada, como anunciaram escandalosamente Lula e Janja da Silva. Os móveis e outros bens foram descobertos no depósito do Alvorada. Uma tremenda mancada.

Se continuar com esses erros, os partidos da direita vão ganhar as eleições municipais de lavada. Lula não pode, de moto próprio, pavimentar a estrada para a direita voltar ao poder em 2026.

REDUZIR OS DANOS – Em 2018, a direita apostou em Bolsonaro, mas ele foi tão mal, que acabou abandonado por diversos setores que não quiseram apoiar sua reeleição. Preferiram deixar Lula ganhar em 2022, para reduzir os danos causados ao capitalismo nacional e internacional.

Agora a direita trabalha na surdina, para voltar em 2026, com um candidato mais inteligente e ensaboado. A derrota de Lula é dada como certa, caso tente a reeleição.

As pesquisas refletem o momento e atestam o fechamento da boca do jacaré, quando a reprovação e a aprovação do governo estão empatadas.

NOVOS TEMPOS – Não estamos em 2002 ou em 2010. Muita coisa mudou de lá para cá. Nesses tempos modernos de 2024 a direita está muito mais forte e ativa nas redes sociais, fazendo a cabeça do povo.

É preciso reduzir esses danos provocados por Lula e por posicionamentos do próprio PT. Alguém precisa ter coragem para dizer ao presidente que ele está dando tiros de canhão no pé.

O marqueteiro da campanha, Sidônio Palmeira, foi recontratado. Ele precisa controlar Lula. Nesse momento, é preferível o presidente se calar e evitar declarações por demais polêmicas e que possam ter viés negativo.

Se tivesse havido golpe, a liberdade da imprensa seria a primeira vitima

Charge do JCaesar | VEJA

Charge do JCaesar | Veja

Roberto Nascimento

Assim que foi encontrada a minuta do golpe, na casa do delegado federal Anderson Torres, o ex-ministro da Justiça declarou que era um documento apócrifo, que não sabia como tinha ido parado na sua casa, possivelmente ele próprio teria levado para depois se desfazer dele. Também não lembrava quem lhe entregara o documento. Na verdade, Torres parece ter a memória afetada, deveria ser submetido a uma junta médica, é impressionante que até agora ninguém tenha percebido isso.

Ironias à parte, hoje se sabe que Anderson Torres estava metido até o pescoço na trama macabra do golpe de estado, e assim jogou fora sua carreira de delegado federal.

MENTIRAS MIL – Bolsonaro também mentiu, ao afirmar que nunca tivera acesso à minuta golpista. Além do documento na casa de Torres, a Polícia Federal encontrou em 8 de fevereiro outra minuta que anunciava a decretação de um Estado de Defesa no país. Apócrifo e sem assinatura, o papel estava na sede do PL, partido do ex-presidente Jair Bolsonaro, em Brasília.

Com os depoimentos do tenente-coronel Mauro Cid, do general Freire Gomes e do brigadeiro Baptista Junior, agora se sabe que Bolsonaro mentiu ao dizer que desconhecia a minuta do golpe, cuja preparação ficara a cargo do então ministro Anderson Torres e ao assessor Filipe Martins.

Agora sabe-se que o próprio presidente fez (ou mandou fazer) correções no texto, reduzindo os “considerandos” (justificativas) e tirando o ministro Gilmar Mendes e o senador Rodrigo Pacheco da lista das autoridades a serem presas, encabeçada por Alexandre de Moraes.

PRINCIPAIS ENTRAVES – Dois fatores foram preponderantes para que o golpe não se consumasse: 1) Não houve falhas no processamento das urnas eletrônicas, portanto, deixou de existir o motivo que justificaria a intervenção militar; 2) A falta de apoio do presidente americano Joe Biden, que se declarou contra o golpe e reconheceu a vitória de Lula, ainda no domingo.

Lula deve muito ao presidente Biden, que durante todo o ano de 2022 enviou representantes para informar à alta cúpula militar seu compromisso com a democracia no Brasil, algo muito diferente do papel desempenhado pelo presidente John Kennedy, que apoiou o golpe de 1964.

Os tempos mudaram e muito. Se Trump estivesse no poder, estaríamos sendo governados pelo Comando Revolucionário. Nem poderíamos estar escrevendo aqui, sob o risco de prisão sem direito a advogado e habeas corpus, e a Tribuna da Internet nem mais existiria.

NOVA DITADURA – Estaríamos de volta a 1964. O Supremo e o Congresso teriam suas atividades suspensas pelo general Braga Netto (verdadeiro arquiteto do golpe). A lista dos presos seria longa – Alexandre de Morais, esquerdistas, legalistas e adversários de Bolsonaro seriam encarcerados no Batalhão de Forças Especiais sediado em Goiânia.

Sobre esse general golpista Braga Netto, os colegas estão fugindo dele como o diabo foge da cruz. Está sem clima no Exército e por isso, tem chorado pelos cantos, se fazendo de vítima.

Tem dito que cumpria ordens de Bolsonaro, mas dificilmente os generais de quatro estrelas obedeceriam a ordens de um despreparado capitão, que deveria ter sido expulso do Exército lá atrás. Como disse o general Freire Gomes ao depor, se tivesse ocorrido o golpe, seriam 20 dias de euforia e 20 anos de tragédia.

Está ficando claro que, ao dar o golpe, Braga Netto iria derrubar Bolsonaro

Braga Netto fala como pré-candidato à Prefeitura do Rio

Braga Netto pensou que passaria a perna em Bolsonaro

Roberto Nascimento

Apesar da manutenção do sigilo nas investigações, sem que realmente haja qualquer vazamento, numa blindagem nunca antes sequer imaginada, está bem claro que a tentativa de golpe teve dois líderes – o então presidente Jair Bolsonaro e seu candidato a vice, general Braga Netto.

Ambos têm a mesma postura pouco militar – não assumem nada do que fizeram. Bolsonaro disse no ano passado que nunca viu a minuta do golpe, que só teria circulado, segundo ele, nas gavetas do então ministro da Justiça, delegado federal Anderson Torres. Ele é assim mesmo, quando surge o problema, larga a responsabilidade com os subordinados.

AUTONOMIA TOTAL – Sobre seu ajudante de ordens Mauro Cid, o ex-presidente disse que o auxiliar tinha total autonomia, podia tomar as iniciativas que bem entendesse. Logo, as ilicitudes praticadas, mormente no caso da adulteração da carteira de vacinação ou na compra e venda de relógios e joias, tudo teria sido obra do tenente-coronel.

Depois, sobre a reunião golpista de julho de 2022, Bolsonaro deixou que a culpa recaísse no general Augusto Heleno, ex-ministro do Gabinete de Segurança Institucional, que sugeriu virar a mesa antes das eleições, porque depois nem o VAR mudaria o resultado. Aliás, usar parábolas futebolísticas indica a pobreza intelectual do então ministro.

Foi essa postura defensiva de Bolsonaro que fez Mauro Cid acatar o advogado e aceitar a delação premiada. Ele será ouvido novamente nesta segunda-feira sobre as declarações do general Freire Gomes, ex-comandante do Exército, e não pode mentir. Se for apanhado em flagrante, perderá o benefício da delação.

CONSTRANGIMENTO – Para o general Freire Gomes, foi muito constrangedor ter sabido que Braga Netto o tratava como cagão e traidor. Na época, o general golpista ainda julgava deter o poder e botava banca. Depois, acovardou-se e se mantém num silêncio desmoralizante a partir da revelação de sua participação no planejamento do golpe de estado.

A meu ver, seria Braga Netto o comandante supremo da conspiração que viria a tirar Bolsonaro do topo do comando revolucionário para instalar nova ditadura militar no país.

Nesse plano, o general contava com o major Ailton Barros, um militar tão despreparado que foi expulso do Exército e considerado morto, para que sua mulher continuasse recebendo seu soldo e sustentando o mau elemento. Bem, com um morto-vivo em sua linha de frente, Braga Netto não poderia mesmo ir longe.