Ao denunciar o “genocídio” de Israel, Lula está fazendo uma aposta de altíssimo risco

Lula diz no G20 que Putin não será preso no Brasil se vier ao país | CNN  Brasil

Lula apressdamente aposta em uma nova ordem mundial

Maria Hermínia Tavares
Folha

O maior problema criado pelo apoio brasileiro à denúncia contra Israel, feita pela África do Sul na Corte Internacional de Justiça (CIJ) não é a adesão aberta à ideia controversa de que em Gaza ocorre um genocídio. Afinal, há espaço para discutir como designar o massacre de civis palestinos pelo Exército israelense, que sobrepassa o legítimo exercício do direito de defesa do país diante do selvagem ataque do Hamas, em 7/10.

A decisão do presidente Lula não foi um passo inédito, nem resultado, sobretudo, da indignação com o drama palestino. Outras tragédias humanitárias correm mundo — e o entorno do país — sem que ele julgasse necessário manifestar seu repúdio.

APOSTA ARRISCADA – O apoio à iniciativa sul-africana se segue a outros gestos que denotam uma guinada mais ampla na política externa brasileira: parece indicar uma aposta para além de nossa tradicional preferência por um mundo multipolar, no qual a hegemonia dos Estados Unidos seja compensada pela existência de outros centros de poder.

Na realidade, há sinais de que o Palácio do Planalto e os conselheiros diplomáticos do seu atual titular possam estar pensando em como situar o país numa ordem internacional “pós-ocidental”, como se designa o sistema que resultaria da decadência dos Estados Unidos; do surgimento de países intermediários na escala de poder como a Índia e outras nações do Leste Asiático; e, sobretudo da ascensão da China, para além da esfera econômica.

Só assim se explicariam os rapapés do presidente Lula ao autocrata russo Vladimir Putin, condenado por crimes de guerra pelo Tribunal Penal Internacional. Ou a prioridade dada aos Brics, que passaram a incluir países notórios por seus governos autoritários e, aos poucos, transformados em caudatários do projeto global de poder de Pequim. Ou ainda, o endosso à iniciativa de Pretória.

INSENSATEZ – Se for essa a aposta que inspira a política externa de Lula-3, embute riscos óbvios para o país, no curto e no longo prazo.

De imediato, dá margem a críticas que apontam a inconsistência de uma atuação ora pautada no prudente realismo que sustenta o princípio da não intromissão em decisões internas alheias — e fundamenta a leniente atitude de Lula diante de Cuba e da Venezuela — ora na invocação dos direitos humanos para condenar a invasão de Gaza.

No longo prazo, na ordem pós-ocidental, o Brasil, cujas instituições políticas seguem o figurino da democracia liberal, teria dificuldade de encarar investidas internas, quando lá fora governos autoritários ditarem as regras do convívio internacional.

Pode até ser esse o destino do mundo, mas apostar nele é insensatez.

9 thoughts on “Ao denunciar o “genocídio” de Israel, Lula está fazendo uma aposta de altíssimo risco

    • Sr. Newton

      São Pedro nem pode mais dar uma cuspida lá de cima que é o caos na Cidade.

      Quarta-Feira, a energia faltou energia durante 3;30 na região.

      Depois de uma pancada de chuvas e ventos, as luzes começaram a piscar, por duas vezes, depois, apagou tudo.

      Só voltou por volta das 19;20 hs.

      Viu como o Brasil Mudou…..

      As “doações” feitas pelo Quadrilhão do Irmão Mais Velho, não foi exatamente aquilo que pregavam em discursos cheios de caviar e do bom e velho vinho francês, com garrafas de 50 mil euros…….

      O resto o Sr. já sabe…..

      Abraços….

      Parece que as chuvas vão continuar hoje até domingo aqui na Cidade do Tucanistão…..

  1. 1) Licença… tenho 71 anos e desde criança ouço falar em “Nova Ordem Mundial”, portanto, não é novidade nenhuma…

    2) O atual presidente não está se antecipando a nada, está só repetindo o que falam há décadas…

    3) E esta Nova Ordem Mundial talvez só venha no próximo século…

    • Bom dia,

      A Nova Ordem Mundial já está batendo em nossas portas. Irã está se consolidando como a maior potencia militar do Oriente Médio. Deram um recado direto para Israel e EUA atacando os Balusques (no Balusquistão – Afeganistão). Eles acertam qualquer coisa em Israel inclusive sua usina nuclear e provavelmente eles possuem bomba atómica além de dominarem a tecnologia de drones. Os porta-aviões americanos têm grandes chances de serem afundados se existir um conflito direto EUA X Irã. Quem vai ganhar um conflito dessa magnitude aí já é outra história, mas com certeza isso seria o início da Terceira Guerra Mundial.

      A Nova Ordem Mundial está se formando com os países do Brics que apesar do Putin dizer que não se trata de uma aliança militar, na verdade ela é uma aliança militar. Só não vê isso quem não quiser. A cooperação entre Rússia, China, Irã , e até mesmo a Coreia do Norte estão cada vez mais sólidas. China conseguiu unir dois países que sempre tiveram atritos que no caso é Irã e Arabia Saudita.

      A China hoje é a fábrica do mundo e pretende ser o comercio do mundo. O bloco China – Irã – Rússia – Coreia do Norte criam a maior força militar do planeta. A guerra da Ucrania provou que a OTAN está sucateada. Além disso, A Turquia está querendo sair da OTAN (ela possui o maior exército da Europa). EUA tem um gasto militar de 1 trilhão de dólares por ano e não conseguem municiar a Ucrania pois a sua indústria militar é muito forte no papel, mas na realidade ela não consegue produzir na mesma grandeza que Rússia, Irã e China. Sem contar que hoje existe uma demanda de recrutamento militar nos EUA. Ninguém quer prestar serviço militar e para suprirem as suas forças, eles precisariam hoje recrutar 60 mil combatentes. Isso também está acontecendo com outros países da OTAN.

  2. “Este país já poderia estar consagrado como a quinta economia do mundo há muito tempo, mas há muita gente nesse país que teima em retroceder. O que fizeram com a nossa Petrobras? A privatização da Eletrobras? A privatização da Eletrobras, as pessoas não gostam que se fale, mas foi um escárnio nesse país o que se fez num setor estratégico como o setor de energia”, disse o presidente nesta quinta-feira, 18, em evento na Bahia.

    Como se o ladrão não soubesse do assalto que sua quadrilha cometeu …

  3. Lula iniciou nesta manhã um “giro” pelos Estados do Brasil para melhorar a imagem do governo em um ano de eleição municipal .

    Cadê o ministro do tapinha nas fuças ?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *