Caso Marielle: Lessa delata Domingos Brazão como um dos mandantes, diz site

O conselheiro do Tribunal de Contas do Rio de Janeiro (TCE-RJ), Domingos Brazão

Domingos Brazão, conselheiro do TCE, seria um dos mandantes

Carlos Estênio Brasilino
Metrópoles

Domingos Brazão, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e ex-deputado, seria um dos mandantes do assassinato da vereadora carioca Marielle Franco (PSol), morta a tiros ao lado de seu motorista, Anderson Gomes, em 14 de março de 2018.

Este é o principal teor da delação premiada feita à Polícia Federal pelo PM reformado Ronnie Lessa, acusado de ser o autor dos disparos. As informações são do site The Intercept Brasil.

DELAÇÃO NO STJ – O acordo de delação tramita no Superior Tribunal de Justiça (STJ), o que indica que o mandante do crime contra a parlamentar e o motorista tem foro especial por prerrogativa de função, também conhecido como foro privilegiado — direito atribuído a autoridades que ocupam cargos públicos, como é o caso de Brazão.

Isso significa que o titular desse cargo é submetido a investigação, processo e julgamento por órgão judicial previamente designado, o que não ocorre com a população em geral.

Réu em uma ação penal no STJ pelos crimes de organização criminosa, corrupção e lavagem de dinheiro, Brazão buscava derrubar no Supremo Tribunal Federal (STF) provas colhidas no curso das investigações contra ele, como informou, em novembro de 2023, o colunista Guilherme Amado, do Metrópoles.

MOTIVAÇÃO – Entre outros pontos, o The Intercept Brasil aponta a suposta motivação para o crime: “A principal hipótese para que Domingos Brazão ordenasse o atentado contra Marielle é vingança contra Marcelo Freixo, ex-deputado estadual pelo PSol, hoje no PT, e atual presidente da Embratur”.

Quando era deputado na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, Domingos Brazão entrou em disputas sérias com Marcelo Freixo, hoje no PT, e com quem Marielle Franco trabalhou por 10 anos até ser eleita vereadora, em 2016.

Domingos Brazão foi citado, em 2008, no relatório final da CPI das Milícias, presidida por Freixo, como um dos políticos liberados para fazer campanha em Rio das Pedras.

ADVOGADO NEGA – Na reportagem, o The Intercept Brasil ressalta que procurou o advogado Márcio Palma, que representa Domingos Brazão. “Ele disse que não ficou sabendo dessa informação. Disse também que tudo que sabe sobre o caso é pelo que acompanha pela imprensa, já que pediu acesso aos autos e foi negado, com a justificativa que Brazão não era investigado”, destaca o site.

“Em entrevistas anteriores com a imprensa, Domingos Brazão sempre negou qualquer participação no crime.”

O ex-policial Ronnie Lessa foi preso em março de 2019 e está no presídio de segurança máxima de Campo Grande, no Rio de Janeiro. Ele cumpre pena pela ocultação das armas utilizadas no crime.

OUTRO DELATOR – O também ex-policial militar Élcio de Queiroz, preso por participação na morte da vereadora do PSol, teria incriminado Brazão em julho do ano passado.

Em depoimento à Polícia Federal, ele confessou que dirigiu o carro durante o atentado que chocou o país.

O crime aconteceu no dia 14 de março de 2018, no bairro de Estácio, centro do Rio de Janeiro.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Com toda certeza, foi com base nessa delação que o ministro da Justiça, Flávio Dino, anunciou que o caso Marielle Franco seria elucidado em breve, e a informação foi confirmada pelo diretor-geral da Polícia Federal, Andrei Passos. (C.N.)

34 thoughts on “Caso Marielle: Lessa delata Domingos Brazão como um dos mandantes, diz site

  1. Assassinato de Marielle Franco

    Em setembro de 2019, a procuradora-geral da República Raquel Dodge pediu ao Superior Tribunal de Justiça para “apurar indícios de autoria intelectual de Domingos Brazão” no assassinato da vereadora Marielle Franco, colocando o conselheiro afastado do TCE-RJ como o suspeito número um de ser o mandante da morte da vereadora. De acordo com a procuradora-geral, suspeitava-se que Brazão tivesse ligações com o Escritório do Crime. Dodge também solicitou a federalização do caso, com o caso passando a ser julgado pela Justiça Federal. Brazão negou envolvimento com a morte de Marielle

    Ou seja: já poderiam ter avançado no caso.

    Fonte: “Domingos Brazão” wikipedia

    • Em janeiro de 2024, o ex-policial Ronnie Lessa firmou um acordo de delação com a Polícia Federal, afirmando que Domingos Brazão teria sido um dos mandantes e responsáveis pelo planejamento do atentado que resultou na morte da vereadora e de seu motorista. A razão para ele ter ordenado o assassinato seria vingança contra Marcelo Freixo, ex-deputado estadual que presidiu a CPI das Milícias, de quem Marielle foi assessora

  2. Chora Noruega, Suiça, Suécia, Bélgica, Holanda, Finlãndia, Japão,

    Sua escolas não estão com nada, os alunos dos Cieps do Brizolixo dão de 1.000 á zero.

    O método do paulolixofreiriano é o “melhor melhor do Mundo”…..

    Cuidado, NASA..!!!

    Está vai para nosso Amigão J.L.

    Sacolé com bala’ viraliza no Carnaval do Rio; por que você não deve provar…

    https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2024/01/23/ofereciam-sacole-com-bala-droga-no-carnaval-viraliza-mas-e-um-perigo.htm?cmpid=copiaecola

    Abraçao..

  3. MOTIVAÇÃO – Entre outros pontos, o The Intercept Brasil aponta a suposta motivação para o crime: “A principal hipótese para que Domingos Brazão ordenasse o atentado contra Marielle é vingança contra Marcelo Freixo,

    Sr. Newton

    O que o Marcelo Freixo fez para o Brazão.?

  4. BOMBA !!!

    Ronnie Lessa confessa que o mandante da morte de Mariele Franco e do seu motorista Anderson Gomes foi Domingos Brazão.

    A notícia é quase tão bombástica e inédita como a que dá conta que o Brasil foi campeão de 1970.

    Falta rodar a ferramenta 5W1H nesse crime….

    • Sim, Domingos Brazão pediu voto para Dilma Rousseff. Assim como Eduardo Cunha, Marco Feliciano, Silas Malafaia, Magno Malta e o partido que abrigava Jair Bolsonaro.

      Bem-vindos ao Brasil.

  5. Sr. Newton

    O suposto-mandante , Domingos, tem um “brazão” da Impunidade.

    Nada de braçada nessa maldição da impunidade que tomou conta do Páis.

    O resto o Sr. já sabe…

    Grande Abraço

  6. Prezado Amigão,
    É sempre muito bom ser lembrado por você. Tenha certeza que o carinho e respeito é recíproco.

    Eu sou um crítico ferrenho do Rio de Janeiro, pois amei esta cidade com toda a paixão que pude expressar por este encantador lugar.

    Dito isto, hoje não nutro mais este sentimento que outrora tanto enlevei.

    Hoje o Rio de Janeiro não significa absolutamente nada pra mim.
    Sou da Zona Sul da cidade que sempre me tratou com mãos de anjo na minha plena juventude. Tenho histórias pra dar e vender, na sua grande maioria, histórias excelentes.
    Conheci gente famosa, de todos os níveis e calibres da sociedade Carioca.
    Sempre circulei nos melhores ambientes e vi de tudo, principalmente drogas, e sempre fiz questão de que aquilo não me contaminasse, nunca me permiti experimentar nenhum alucinógeno.
    Apenas observava… sabia que isso não era um bom caminho pra mim.

    Vi amigos pirarem por causa das malditas drogas, outros empobreceram e cheiraram até os apartamentos que viviam. Vi vários vender imóveis que receberam de herança nos abastados bairros da Zona Sul, só pra cheirar cocaína.
    Como puderam fazer isso? Não sei, mas fizeram, perderam o juízo e consequentemente minha amizade. Nunca me misturei com coisas estranhas, vi muitas, mas o meu instinto me fazia afastar do perigo imediatamente.
    Mesmo assim, o Rio de Janeiro era esplêndido, uma cidade iluminada por Deus.

    Posso dizer que conheci quase que o mundo inteiro, mas por melhor que a viagem fosse, a vontade de voltar era imensa. Descer pela escada do avião, era apoteótico, estava voltando pra melhor cidade do mundo.

    Até que no final da década de setenta e comecinho dos años oitenta, pela primeira vez escutei do pai da minha namorada, “tenham muito cuidado ao chegar em casa, não demorem muito dentro do carro conversando porque estão assaltando os carros se aproveitando dos casais distraídos”.

    Foi a primeira vez que me alertaram sobre o perigo.
    Assim foi feito, deixava minha namorada em casa e rapidamente ela entrava no prédio.

    Armando, de lá pra cá, só piorou, olha quantos anos estou falando…

    Hoje o Rio de Janeiro perdeu toda a graça, e é perigoso até dentro de nossas casas.

    Voltando a falar mais um pouquinho sobre o Maravilhoso Rio de Janeiro, tínhamos um time de futebol e jogávamos na praia. Enfrente a um prédio que se chamava Camões que fica na Av. Atlântica com a rua Figueiredo de Magalhães.

    Cheguei a jogar com o Júnior (capacete) do Flamengo, Edinho, Lino, irmão do Júnior que jogava o fino do Volleyball, o Bernard também, nunca fui bom nesse esporte, mas eram meus amigos de praia e do CIB.
    O Júnior tem um irmão, Nena, que jogava mais bola do que ele, mas não queria saber de treinar. Já o Júnior, nos deu muitas alegrias, que jogador espetacular, dos melhores do mundo na posição.
    Que lavava nossas camisas era a mãe do nosso amigo Lourenço, que morava na ladeira dos Tabajaras, uma pacífica favela, muitas vezes nos revezávamos pra levar as camisas na favela pra ela lavar. Ficavam impecáveis pro próximo jogo.
    Zero violência, zero perigo, a favela era um bairro de gente humilde e trabalhadora dentro da Zona Sul. Era um convívio amigável, sem medo e sem estresse.

    Estou te contando isso porque tenho uma enorme saudade daqueles tempos, onde ir de Copacabana de ônibus até o Mourisco, sede do Botafogo que aos domingos tinha dança pop, a velha domingueira, era uma coisa normal, como em qualquer cidade do mundo,é hoje. Me lembro que o gaiato que entrasse sem camisa no ônibus, o transgressor, era logo repreendido pelo motorista.
    Hoje se o condutor fizer isso, toma um tiro na cara.

    Como posso gostar do Rio de Janeiro, hoje?
    Não dá! querido amigo… não dá.

    Estou meio afastado da TI porque novamente minha querida mãe está internada😔, mas se Deus quiser ela vai superar novamente os problemas de saúde e voltar pra casa comigo.

    O Sr. Carlos Newton, deve lembrar de todo esse revival. Tenho certeza que ele também aproveitou um bocado.

    Como dizia, o genial Lilico: bons tempos que não voltam mais…

    Sofro muito por esta cidade perdida, jogada nas mãos da bandidagem, que a meu ver, não tem mais jeito.
    Daqui pra frente, tudo será pior…

    Te deixo um enorme e fraterno abraço extensivos para o Sr. Carlos Newton, esse gentleman que conduz a espetacular TI, de forma ímpar.

    José Luis

    • Amigo José Luís, se soubesse seu sobrenome publicava como artigo. Melhoras para sua mãe. Cuidei da minha até os 100 anos, depois cuidei do irmao dela, que se foi aos 97 anos. Conheci bem esse Rio de Janeiro que você retrata etambém morei no Leme, na Gustavo Sampaio. A gente era feliz e sabia disso.

      Forte abraço,

      CN

        • Estimo as melhoras da senhora tua mãe, Sr José Luis. Digo-te com toda a saudade e certeza: nem aqueles tempos de juventude nem minha mãe voltarão.

          • Amigão,

            Entendo perfeitamente sua revolta com tudo o que está acontecento com nosso Páis, principalmente com nossas cidades.
            Tudo dominado pelo bandistismo, tanto nas ruas como nos palácios.

            Te digo que de vez em quando dá vontade de pegar o boné e vazar deste Páis, onde se mata por causa de uma merda de um celular.

            Andando pelas ruas com celular no bolso ou falando é um perigo de morte constante.

            Reparou que tudo mudou rapidamente para pior com a entrada da Turminha do Amor Doce Amor em 1.985.?

            Logo eles que tanto pregam a democracia, mas só utilizam para para si e seus amigos…

            Espero total recuperação da sua Mama, melhoras para ela….

            e vamos em frente…

            Grande Abraço

            e Tudo de Bom

          • Tempo Bom, não volta mais….

            Tempo Bom

            Lilico

            Tô invocado hoje, negão!
            Alô, Realengo, aquele abraço!
            É bonito isso? Comigo não!
            Tempo bom não volta mais (que bonito!)
            Saudades de outros tempos iguais (vocês na boquinha!)
            Alô, Luiz de Carvalho! Salve o Barros de Alencar!
            Bonito!

            Em Mangueira tem Cartola.
            Na Portela, Zé com fome
            Na Bahia mestre Bimba nunca perdeu o seu nome
            Ai, tempo bom

            Eu adoro a Bahia, hein, ô, bicho!
            Alô Sílvio Santos! Tá com o sorriso mais bonito que o estado de Sergipe!
            Alô, Fernando Solera! Alô, Mário Luiz!
            Todo mundo cantando!
            Olha a briga do papai e da mamãe!

            Papai com mamãe não pode
            Mamãe com papai não pode
            Mamãe fica invocada
            Papai pula que nem bode

            A velha quando agarra o velho encima do cabo de vassoura não é mole não, bicho
            Todo mundo cantando!
            Alô, Alfredo Borba! Se malhar meu disco te boto na encruzilhada, hein, ô, malandro!
            Alô, Mário Luiz! Alô, Irmão Zarur! Deus está presente!

            Você diz que sabe tudo! (Sabe nada!)
            Lagartixa sabe mais
            Ela sobe na parede
            Coisa que você não faz, tempo bom!

            Malandro é metido a sabido
            Sabido foi Ruy Barbosa, a glória da Bahia, cumpadi!
            Alô, Messias! Outra vez na boquinha!
            Ô, Hebe Camargo! Ensina o Marcelinho a cantar essa música
            Alô, José Mauro! Bonito!

            O meu samba é bem bolado
            O meu samba é bem bolado
            Vou mandar aquele abraço
            Antes que eu fique invocado, tempo bom!

            Haroldo de Andrade tá mais elegante que desfile de carvoeiro
            Alô, Zefinha! Alô, Muniz! Bonito!
            Careca do Jorge Curi brilhando mais que lombo de pão doce
            Malandro é São Benedito, ô, Zacarias, que é crioulo e é santo!
            Não é que morreu um caranguejo que o mangue vai ficar de luto
            Alô, garotada! Estudando, hein?
            Se não vou me invocar e vou dar com o pau na moleira!
            Bonito! Todo mundo!

            https://www.youtube.com/watch?v=-xpGF73T164

  7. Quando a imprensa amestrada corrupta e a esquerdalha imunda vai descobrindo que a jovem cola-velcro consumidora de drogas foi assassinada por um dos SEUS, o silêncio vai se tornando ensurdecedor…

  8. Deu no Claudio Humberto.
    Outro ‘inocente’ da Lava Jato

    Deltan Dallagnol lembrou que Domingos Brazão, apontado na delação de Ronnie Lessa como mandante do assassinato de Marielle Franco, foi preso pela Lava Jato em 2017, mas foi solto. A morte ocorreu em 2018.

    Sem resposta

    Após suposta delação apontar o mandante da morte de Marielle Franco, o estadual Bruno Engler (PL-MG) fez um incômodo questionamento: “Será que o Adélio Bispo faz uma delação premiada também?”.

    Repercussão

    Possível desfecho sobre o crime que vitimou Marielle Franco movimentou as redes sociais. No X, antigo Twitter, um dos assuntos mais comentados foi #QuemMandouMatarBolsonaro.

  9. Escritório do Crime:

    na delação de Ronnie Lessa fica notória a participação do chamado “Escritório do Crime” e sua relação com Adriano da Nóbrega (cuja mãe e esposa foram lotadas aproximadamente DEZ anos no gabinete de Flávio BROXAnaro).

    Transcrevo um comentário de alguns dias atrás:

    Falta pouco para a elucidação do caso Marielle / Anderson:

    1) Os executores dos crimes já estão presos: Ronnie Lessa e Elcio Queiroz.

    2) Um deles já confessou: Elcio Queiroz.

    3) Ambos integravam o Escritório do Crime.

    4) O Escritório do Crime, sob o comando de Adriano da Nóbrega, tinha ligação umbilical com gabinetes da familícia BROXAnaro.

    De concreto:

    1. Membros da familícia – Flávio e JM BROXAnaro, comprovadamente -, por anos a fio integram o Escritório do Crime (responsável por assassinatos por encomenda).

    1.1. A questão é se algum dos membros da familícia foi ou não mandante dos crimes.

    1.2. Caso não tenham encomendado o crime – isso não isenta a participação da familícia pois, como já dito anteriormente, eram / são partes integrantes e indissoluvéis do Escritório do Crime.

    Obs. Só espero que mais uma vez não seja engendrado um acordão entre a EXquerda e a extrema-direita que termine por livrar BROXAnaro e sua curriola.

  10. Para o meu Amigão Armando:

    Lilico era sensacional!
    Um verdadeiro baluarte da Tv Globo.

    Agradeço pelas palavras de apoio pra minha querida Mãe.
    São essas coisas que dão um conforto impagável no coração da gente e me dá alento, tendo a certeza de que amigo não é apenas o que está perto, amigo é você, sempre bacana comigo, apesar da gente não se conhecer, isso não tem preço, amigão!

    Tempo bom lê lê… não volta mais… saudades…

    No link abaixo ele aparece no SBT.
    Mas ele começou na Rede Globo, lembra Armando?
    Acho que era no programa humorístico Balança, mas não cai.

    Um Abração
    José Luis

    https://youtu.be/Di0zdjL2p7g?si=fq4Ow5WYWG20AtJO

    • Lembro sim,

      Eu era fanático por esses programas de humor.

      Não perdia um na década de 70/80, Os Trapalhões, Viva o Gordo, Balança Mais Não Cai, A praça da Alegria, Chico City….

      Bons tempos aqueles.

      Tenho o humor nas veias, deve ser por isso….

      Grande Abraço, Melhoras para Sua Mama, tudo vai correr bem…

      Valeu, Amigão…..

  11. Para o meu mais novo, velho amigo, Carlos Vicente:

    Que bacana receber seu recado me dando uma força.

    Foi uma inesperada grata surpresa.
    Sinto muito por sua querida mãe, eu já perdi meu pai…
    Espero que ele ainda esteja aí ao seu lado.

    Muito obrigado pelo carinho, Sr. Carlos Vicente.

    Mas, voltando ao assunto Rio de Janeiro, concordo com o Sr. de que, aqueles tempos, nunca mais voltarão.

    Não é saudosismo, sabe, Sr. Carlos Vicente, é a constatação de que vivemos um sonho naquela época e hoje acordamos num pesadelo.

    Estamos vivendo um filme de terror, algo inimaginável, acho que não há uma cidade turística no mundo que seja tão violenta quanto o nosso Rio de Janeiro, deve existir alguma, mas não deste jeito que ninguém pode mais sair na rua comprar pão. Corremos o risco de não voltar pra casa.
    Isso não é exagero, é fato!

    Bem, vou ficando por aqui, celebrando a nossa nova amizade, digo-lhe que seu recado me deixou muito feliz.

    Se cuida, nesta cidade de meu Deus…

    Um forte abraço,
    José Luis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *