Infantilmente, para proteger o amigo, Lula se envolveu no escândalo da Abin

Ex-diretor da PF comandará Abin, Lula vai questionar | Política

Lula é velho amigo do diretor da Abin, que está implicado

Carlos Newton

O número 2 da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alessandro Moretti, será exonerado. A informação foi confirmado com fontes do governo federal pelo jornalista Gerson Camarotti, que adiantou, ao vivo na GloboNews, na noite desta terça-feira (30), o nome escolhido para o cargo.  Marco Aurélio Cepik, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e especialista em informações, deve assumir o posto de diretor adjunto na Abin, se o confuso quadro não mudar da noite para o dia.

Lula estava resistindo e disse que deixaria Moretti se defender no cargo, mas a pressão de aliados e de ministros do Supremo foi irrepresável, e Lula teve de capitular.

LULA GOSTA DE AJUDAR OS AMIGOS
Hélio Schwartsman
Folha

Lula é um bom amigo. Ele tentou arranjar um empregão na Vale para o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega. Não deu. Teve mais sucesso com o também amigo Cristiano Zanin, para o qual assegurou um ótimo cargo no STF. Já Dilma foi contemplada com um alto posto nas finanças internacionais, com direito a passagens de primeira classe.

O presidente também parece sofrer genuinamente sempre que precisa demitir pessoas pelas quais guarda algum carinho. Foi assim com o general Gonçalves Dias, que comandava o Gabinete de Segurança Institucional. Foi também assim com as ministras Ana Moser (Esporte) e Daniela Carneiro (Turismo), cujos cargos Lula precisou ceder ao centrão, mas não sem enrolar por semanas.

ESCÂNDALO DA ABIN – O roteiro se repete agora com Luiz Fernando Corrêa, diretor-geral da Abin. Não poderia haver escândalo mais afastado do PT e mais próximo do clã Bolsonaro do que este, envolvendo o monitoramento ilegal de desafetos do governo anterior.

O próprio Carlos Bolsonaro acaba de se tornar objeto das investigações conduzidas pela Polícia Federal.

Mas há sinais de que a agência, já sob direção da atual administração, se mobilizou para atrapalhar as apurações. Por mais antiga que seja a ligação entre Lula e Corrêa, o presidente precisa erguer o mais rápido possível um cordão sanitário entre sua gestão e a Abin, sob pena de tornar sua uma crise que é dos Bolsonaros.

LONGE DOS AMIGOS – Diz-se que o poder é solitário porque existe uma contradição irredutível entre as exigências da função pública e os imperativos do amor e da amizade.

Idealmente, um presidente não poderia, nas decisões que toma, distinguir entre sua própria mãe e seu pior adversário político. O princípio da igualdade diante da lei requer que ambos recebam o mesmo tratamento.

É claro que não é o que ocorre na vida real. Mas um presidente exercerá seu múnus público de forma tão mais ética e eficiente quanto mais for capaz de ignorar os deveres da amizade.

One thought on “Infantilmente, para proteger o amigo, Lula se envolveu no escândalo da Abin

  1. “Mas um presidente exercerá seu múnus público de forma tão mais ética e eficiente quanto mais for capaz de ignorar os deveres da amizade.”
    PS. Desde o descobrimento, só Itamar!!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *