“O Brasil voltou” e agora oferece pagamento aos corruptos pelos “serviços prestados”

O péssimo exemplo, de sempre, do Supremo

Charge do Alpino (Yahoo Notícias)

J.R. Guzzo
Estadão

O Brasil, dentro da extraordinária segurança jurídica que o STF garante hoje aos acusados por crimes de corrupção, e mesmo aos já condenados, está oferecendo ao mundo uma invenção jamais tentada até hoje na ciência do Direito: o pagamento aos corruptores por serviços prestados à sociedade. O ministro Dias Toffoli está se tornando uma autoridade mundial no assunto.

Acaba de suspender o pagamento da multa de R$ 3,8 bilhões que a construtora Odebrecht tem com o Tesouro Nacional, como foi estipulado no acordo que assinou com o Ministério Público ao admitir a prática de corrupção em 49 contratos com o governo na primeira era Lula-Dilma. Em troca disso, os diretores da empresa foram poupados de ir para a prisão. Toffoli decidiu, agora, que eles não precisam fazer nenhuma das duas coisas: nem vão para a cadeia e nem pagam os R$ 3,8 bilhões.

PASSANDO A RÉGUA – Como o dinheiro não era mais da Odebrecht, e sim do Erário, a decisão do ministro vale como um pagamento à empresa: os acusados confessaram a corrupção, não foram presos porque assinaram o acordo, e agora fica tudo zerado.

O argumento de Toffoli, em conformidade com a jurisprudência que ele próprio criou, é um desafio à lógica comum. Há “dúvida razoável”, segundo ele, sobre a “voluntariedade” da Odebrecht em assinar o acordo que assinou – ou seja, não está claro se ela queria mesmo trocar a prisão pelos R$ 3,8 bilhões.

A única conclusão possível, então, é que os diretores preferiam ir para a cadeia, mas foram forçados a aceitar a multa. Sempre foi do entendimento universal que ninguém, jamais, paga por livre e espontânea vontade um centavo de qualquer tipo de multa. Mas também não se sabe de ninguém que, tendo dinheiro no bolso, tenha preferido ser preso para não pagar.

EM DOSE DUPLA – Toffoli repetiu com a Odebrecht exatamente o que tinha feito com uma outra corruptora confessa – a J&F, dona do maior frigorífico do Brasil, cujos diretores também assinaram um acordo de leniência para não serem presos pelo crime de corrupção ativa.

A diferença é que o perdão para a J&F saiu bem mais caro para a população – o pagamento, aí, era superior a R$ 10 bilhões. Antes disso, o ministro havia declarado nulas as provas materiais de corrupção contra a mesma Odebrecht, como confissão dos crimes e devolução de dinheiro roubado. Destruíram-se as provas, mas preservou-se o dinheiro – que agora é devolvido à empresa.

Na verdade, a coisa toda vai ficando na moda. Já há uma empresa suíça, que assinou acordo semelhante num caso de suborno na Casa da Moeda, e quer a devolução dos 270 milhões de reais de multa que pagou – do total de 750 milhões que tem de pagar. O Brasil voltou, como se vê.

(Artigo enviado por Gilberto Clementino dos Santos)

6 thoughts on ““O Brasil voltou” e agora oferece pagamento aos corruptos pelos “serviços prestados”

  1. Ora pois…, desde a convocação e a “Anistia, Ampla, Geral e Irrestrita os mesmos mercenários vem sendo garantidos LOCUPLETADAMENTE, para suas DESGRAÇADAS missões futuras!

    • Todos, canalhas subversivos, induzidos à “khazariano” ërros, levados à desastrosos efeitos por “fraternos” agitadores, cegos pela feita estatutária “Mãe da Impunidade”!

  2. POR QUE OS CRISTÃOS PRIMITIVOS ABANDONARAM A PALESTINA? Milhares de crimes ou desobediências sujeitos à pena de morte pelo cristianismo eclesiástico escapavam do seu controle hegemônico teocrático nos tempos modernos, e que previam prisão perpétua, tortura e pena de morte na fogueira, pelos tribunais de inquisição espalhados por toda a Terra; hoje não mais preocupam nadinha as igrejas. Todavia, tocar em seus interesses de marketing promocional como pena de morte, mesmo para facínoras sanguinários, o aborto legal, homossexualidade, etc., bem como orçamento secreto e privilégios fiscais, provocam acessos de cólera nos cristãos eleitores e eleitos. A total reserva de domínio sobre os textos bíblicos, bem como o monopólio da realização do casamento civil/estatal, ou seja, do cartório oficial, por exemplo, a Igreja Católica não questiona mais para a República laica (Perdeu! Perdeu! Playboy!). O cristianismo já saiu de seu ovo da serpente com sua ferocidade e sanguinolência habitual de 2 mil anos, sua característica histórica mais prevalente, mais praticada, e igualmente, a mais escondida das grandes mídias ocidentais dos últimos 625 anos, desde a imprensa midiática de Gutemberg, em 1430. Portanto, são cerca de 600 anos de prostituição da Grande Mídia Ocidental, sobre todos esses séculos em que o cristianismo provocou e protagonizou rios fluentes e influentes de sangue humano e de animais, em suas torturas, escravagismos, guerras, perseguições e todos os demais tipos de barbáries, seja as de fato, imagináveis e inimagináveis. Tudo pelo poder estatal, governamental, administrativo, econômico, financeiro, ‘’moral’’, etc. Depois que Jesus Cristo, Pedro e o Espírito Santo assassinaram Safira e Adonias eles tentaram se estabelecer e progredir na Palestina, Israel, Jerusalém, etc. Os cristão viram que não poderiam vencer os romanos no Oriente Médio, assim se deslocaram para Roma, onde havia 1 milhão de habitantes e poderiam passar despercebidos e incendiar a cidade. Jesus Cristo e o Espírito Santo usaram os ingênuos cristãos como fantoches, como judas de pano, por 300 anos, então descartaram as almas e espíritos dos que já estavam mortos, e se uniram, se fundiram, se amalgamaram, se amasiaram com o Império Romano, seus antigos algozes (‘’se não puder com o ‘’inimigo ‘’ junta-te a ele). Então, as práticas de terrores e horrores do Império Romano solteiro ficaram mil vezes piores após o sagrado casamento abençoado pelos deuses de Roma e por Jeová, Jesus Cristo é o Espírito Santo. A Igreja viveu feliz com Roma, até que Lutero, o Estraga-Prazer, com seu assédio sexual, veio bagunçar a tranquilidade do casal. Cabe salientar que antes do cristianismo destruir a Roma Ocidental e se estabelecer na Roma Oriental, os senadores romanos cristão ocidentais já iam aos cultos à noite e às arenas de gladiadores durante o dia. Muito sangue correu embaixo da ponte até a queda do muro de Berlim. Com Bolsonaro, os evangélicos sentiram que poderiam superar os católicos na teocracia cristã brasileira. Cabe lembrar, que muitos dos cristão católicos e evangélicos (protestantes) estavam cansados dos rios de sangue que fluíam na guerra entre suas duas facções; assim, vieram para o ‘’Novo Mundo’’; aqui eles encontraram uma nova maneira de satisfazer seus instintos bestiais sanguinários por vários séculos com os indígenas e com os escravos africanos. Mas tudo bem! Nada de novo no front, a Grande Mídia aberta da plebe, liada magistral do cristianismo, continua a esconder a verdadeira história sanguinária do cristianismo! Mas quanto aos negros descendentes dos escravos? Esses estão felizes! Acabaram de lavar as escadarias de uma igreja católica, agora estão pulando o carnaval! Em breve estarão elegendo mais políticos evangélicos das Diretas-Já, para disputar poder com o catolicismo de Flávio Dino! A coroa dourada de louros dos imperadores romanos vai sacudir a República ‘’não laica, e sim de maioria cristã’’ do Bozo e seus discípulos! LUÍS CARLOS BALREIRA. PRESIDENTE MUNDIAL DA LEGIÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA.

    • E tudo isso por um deus que nem existe!

      Procure no YouTube pelo canal “Verdades Ocultas da Bíblia” para ver como o Antigo e Novo testamento não passam de copia e cola de outros grupos religiosos mais antigos.

  3. Aguardemos pois o Balreira girar a metralhadora em direção ao Islamismo, budismo e hinduísmo e da macumba.
    O Versos Satânicos rende ao Salman uma facada na barriga e uma no pescoço.
    Sou um cristão que defende o direito de Israel existir.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *