Tubarões do golpe devem ter penas mais graves que as dadas à horda de bagrinhos

Decisão de Moraes que autoriza operação contra Bolsonaro e aliados traz  três vezes a palavra "corno"

Moraes exagerou na pena dos bagrinhos e terá difículdades

 

Dora Kramer
Folha

Era questão de tempo. Pela dimensão do caso, não demorou. Levou um ano e um mês até que a Polícia Federal batesse às portas dos tubarões envolvidos na conspiração golpista, cujo ápice deu-se de maneira atabalhoada no dia 8 de janeiro de 2023.

Vemos uma resposta a quem reclamava que as investigações, processos e condenações alcançavam apenas os peixes pequenos executores da depredação nas sedes dos três Poderes, destinada a provocar a conturbação da ordem e daí a ruptura institucional.

DEMOLIÇÃO – A casa de Jair Bolsonaro e seus companheiros civis e militares da urdidura criminosa aproxima-se da demolição. Diante do exposto na justificativa da operação de buscas, apreensões e prisões da cúpula então governista da sedição, não resta dúvida sobre o destino dos investigados. Serão condenados e a penas maiores que as imputadas à massa de manobra dos bagres ensandecidos.

O que houve está sendo muito bem contado, não foram conjecturas ou meras conversas sobre hipóteses bravateiras. Havia um presidente da República em estado de sublevação empenhado em colocar o governo a serviço de um golpe em andamento.

As ações estavam em marcha. Na luz e na sombra. Durante o mandato de Bolsonaro foram inúmeras e reiteradas as manifestações públicas ofensivas ao Estado de Direito feitas por ele, ministros, assessores e políticos afinados.

ROTEIRO DA INFÂMIA – Enquanto isso, nos gabinetes montava-se o roteiro da infâmia.

O planejamento de um golpe é de gravidade extrema e requer punição. Até porque quando é de fato executado não há essa oportunidade. Os golpistas assumem o poder, e os legalistas vão para a prisão. Já vimos esse filme, que completa seis décadas neste ano.

Sem a inevitável condenação dos conspiradores, a obra da resistência não estaria completa. Não poderíamos dizer que as instituições estão firmes e fortes e cuja plenitude nos permite conhecer a história do motim antidemocrático que não foi, mas poderia ter sido.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Moraes deveria ter pensado nisso antes de dar pena máxima (21 anos) a quem participou ou apenas assistiu aos atos de vandalismo na Praça dos Três Poderes. Agora ficou muito difícil aumentar a pena, como sugere Dora Kramer. Depois, voltaremos a esse assunto, que é importantíssimo. (C.N.)

13 thoughts on “Tubarões do golpe devem ter penas mais graves que as dadas à horda de bagrinhos

  1. Golpe, com desarmados e sem comando, quem tem garganta profunda, para também engolir essa multilateral e urdida e destrambelhada trama, parecendo composta e filmadas por Trapalhões?
    Bah!

  2. T.I. Recordar é viver..

    Sr. Newton, tudo gravado com comentário do “eterno” Professor da Universidade de Tucanologia Comuna de Paris….

    Aos risos, Toffoli fala sobre ‘roubo’ de processo de despejo em vídeo datado de 2014

    https://www.youtube.com/watch?v=Eo689d7hK1I

    Sr. Newton

    A Rede não perdoa e está tudo gravado, só se os comunas malignos acabarem com a Rede……

    Grande abraço

  3. Licença…

    1) Minha sábia mãe, inspirada em Nossa Senhora de Fátima sempre dizia:

    2) “Boa romaria faz, quem em sua casa fica em paz”. Então, se esse pessoal do 8/1 estivesse em casa, nada disso teria acontecido…

  4. “Cuja plenitude nos permite conhecer a história do motim antidemocratico que não foi mas poderia ter sido”. Exatamente, toupeira !

    A seguir, os babadores-narradores.

  5. O Robespierre tupiniquim na ânsia de “fazer” justiça exagerou na dose. Agora se gente simples, pega com Bíblia na mão na rampa do Planalto foi condenada a 17 anos de cana a quantos anos milicos de muitas estrelas vão ser condenados a quantos? Agora o nosso Robespierre, o campeão da nossa democracia vai fazer o quê, reduzir as penas dos bagrinhos? Um até já morreu por causa do tamanho da injustiça à qual foi condenado. Será que o nosso Robespierre vai ser vítima da tal Lei do Retorno? Confesso que não acredito nesta lei, mas muita gente acredita.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *